×
Home
FocoNews
Clássico Rei
Carro e Campo
Mosaico
Fatos e Notas
Especial Foco
Fotos
RN em Foco
Espaço GEEK
Edições
Anuncie aqui
Fale conosco









#Fotos em
Destaque

Curso de quadrinhos voltado para educação é abertoGibiteca do Centro Cultural e Biblioteca Professor Américo de Oliveira Costa oferece curso sobre Quadrinhos na Educação

Gibiteca do Centro Cultural e Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa oferece gratuitamente o curso Quadrinhos e Educação: Possibilidades de Aplicação”. O curso de formação continuada, realizado em parceria com o Projeto Diálogos com os Quadrinhos, tem início nos dias 24 e 25 de setembro, dentro da modalidade EAD Semipresencial com 40 horas de carga horária.

O curso será ministrado pelo historiador e quadrinista Beto Potiguara, idealizador e coordenador do Projeto Diálogos com os Quadrinhos. Estão sendo disponibilizadas 15 vagas para cada turma. O curso é dirigido a educadores, estudantes de curso de Educação e da área de Ciências Humanas e interessados sobre o tema.

Os encontros presenciais acontecerão quinzenalmente nas segundas-feiras, das 14h às 17h, para a turma vespertina e às terças-feiras, das 8h às 11h, para a turma matutina. Os encontros presenciais serão realizados nas dependências do Centro Cultural e Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa, órgão vinculado à Secretaria da Educação do RN, localizado na Zona Norte de Natal.

O módulo inicial do curso abordará os temas: “O histórico das HQs”; “Linguagem dos Quadrinhos”; “Tipos e/ou gêneros de Quadrinhos”; e a “Produção de uma HQ”.

Reserva de vagas e maiores informações podem ser feitas presencialmente na portaria do Centro Cultural e Biblioteca Escolar Professor Américo de Oliveira Costa, na Avenida Itapetinga, 1430, Conjunto Santarém, Zona Norte de Natal, e também pelo telefone (84) 3232-7396, ou pelo e-mail gibitecapotiguar@gmail.com.


(Foto: Montagem)
Aluno da rede pública é classificado para Jornada de FoguetesO aluno embarcará para o Rio de Janeiro, em novembro, para representar o RN na competição.

O estudante Weverton Ruan Aleixo, da escola estadual Paulo Freire, localizada em Baía Formosa, conquistou uma vaga na 23ª edição da Jornada dos Foguetes após ter batido a média nacional na Mostra Brasileira de Foguetes 2019. O aluno embarcará para o Rio de Janeiro, em novembro, para representar o RN na competição. 

Através dos conhecimentos obtidos no projeto desenvolvido em sua escola, com o título “Lendo sobre a História da Ciência também se aprende Física”, o estudante Weverton Ruan Aleixo da Silva de Alexandria, aluno da 1ª série do ensino médio, pode se preparar para a mostra, o que levou a classificação na jornada. “Eu nunca pensei que iria ter uma experiência dessas, é um projeto maravilhoso e permite melhorar a nossa aprendizagem”, enfatiza o estudante. 

Em Baía Formosa, cerca de 160 alunos do ensino médio da escola Paulo Freire participaram da Olimpíada de Lançamento de Foguetes, uma atividade da Mostra Brasileira de Foguetes. 

O projeto responsável pela melhoria na qualidade do ensino e consequentemente, no interesse às aulas, está no 3º ano de execução e segue sob orientação do professor José Venício, que compreende a importância do projeto para o desenvolvimento dos estudantes. “O projeto desperta no aluno o interesse pelos estudos e a busca pelo conhecimento”, explica.

O projeto

Desenvolvido na escola consiste em duas etapas, a primeira parte do projeto é propor questionamentos aos estudantes sobre a física que gerem interesse nos alunos, que neste caso, é falar sobre astronomia. Em seguida, inicia-se a prática de desenvolver os foguetes.  

Dessa forma, o projeto desenvolve no aluno o hábito pela leitura e o aproxima do conhecimento científico, em especial, da física. Assim, mostrando pra ele que a física está presente em nosso dia a dia. Ou seja, é importante a apropriação do conhecimento científico para entender e transformar a realidade onde vivemos. 

A atividade conta com a participação dos estudantes do terceiro ano do ensino médio, que já fizeram parte do projeto e agora auxiliam os novatos na atividade de confecção de foguetes e esse auxilio é fundamental na eficácia da execução do projeto. 


(Foto: Cedida)
Alunos da rede pública resgatam símbolo cultural de São GonçaloPela iniciativa de resgate de um monumento emblemático da cultura do município do RN, os estudantes foram premiados com uma viagem à Itália.

Uma iniciativa protagonizada por alunos do Centro Estadual de Educação Profissional Dr. Ruy Pereira dos Santos (CEEP), localizado em São Gonçalo do Amarante (RN), está ultrapassando os limites da escola e ganhando o mundo. Intitulada de Projeto Missão Galo a iniciativa, realizada pelos estudantes do centro, foi um dos projetos vencedores do “Desafio Criativos da Escola 2019”, cujo prêmio é uma viagem à Roma, na Itália. 

Ação vinculada ao Design for Change, movimento internacional presente em 65 países, o “Desafio Criativos da Escola” tem por objetivo encorajar educadores e educandos (do ensino fundamental I e II ao ensino médio) a transformarem suas realidades por meio de projetos que envolvam a educação, e já contemplou mais de 2,2 milhões de crianças e jovens no mundo todo. 

Concorrendo com 1.443 propostas oriundas de diversos estados do Brasil, o Missão Galo está entre um dos sete selecionados brasileiros à vigem, que acontece em dezembro deste ano e contará com a presença do líder mundial da Igreja Católica, o Papa Francisco. 

Sobre o Missão Galo 

O Projeto Missão Galo surgiu há pouco mais de um ano e nasceu de uma inquietação dos próprios alunos que, no caminho feito diariamente à escola, observaram o monumento de 12 metros, de um galo branco, mas não sabiam o seu significado ou o porquê de estar instalado em um ponto central da cidade. 

“O monumento sempre nos rendeu uma curiosidade e foi basicamente essa curiosidade que nos motivou a iniciar nossas investigações. E com isso, nós começamos a pesquisar sobre a história do município, entrevistamos os moradores para saber o que eles sabiam sobre o monumento. Começamos a juntar as peças e assim conseguimos resgatar a história que até então era desconhecida por grande parte da população da cidade”, conta a aluna e integrante do Projeto Missão Galo, Maria Bruna Acciole, de 17 anos. 

A iniciativa, que começou com um pequeno grupo de estudantes, foi ganhando adeptos e hoje conta com oito integrantes, todos alunos do 3º ano do ensino médio do CEEP.  Depois das pesquisas iniciais, consultando fontes como moradores antigos da cidade, os alunos descobriram que o monumento instalado no caminho da escola é inspirado em antigas “quartinhas”, jarrinhas de barro em formato de galo que também eram utilizadas como objeto de decoração. 

Essas quartinhas foram adaptadas ao longo dos anos, ganhando, inclusive, a contribuição de uma artesã local, Dona Neném, que decorou o galo com flores vermelhas em adornamento. A partir dessa descoberta, os integrantes do Missão Galo entenderam que o galo tratava-se de um item folclórico e cultural de São Gonçalo e decidiram, por meio de um jogo lúdico de tabuleiro, levar a descoberta à população local. 

“Nesse momento nós percebemos que não conhecer o significado do galo significava que a população não conhecia a própria história da cidade. Então, nós fizemos um jogo no qual os alunos percorrem um jogo de tabuleiro e vão conhecendo mais sobre a história da cidade”, destaca um dos professores que orientadores dos alunos do projeto, Wesley Petrosa. 

A metodologia para disseminar o resgate da história deu tão certo que o Missão Galo já visitou três escolas municipais, nas quais foram realizadas oficinas para implantação do jogo. Agora, a o objetivo é levar a ideia às demais escola da cidade. 

Viagem 

Além do Missão Galo, outros seis projetos brasileiros foram selecionados para viagem, oriundos dos seguintes estados:  Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Sul, Amazonas, Minas Gerais e Bahia. Cada um desses projetos deve indicar até três alunos e um educador para realizarem a viagem. 

No itinerário em Roma, os estudantes participarão de uma conferência global, chama da “Eu posso”, que reunirá jovens e adolescentes de 43 países diferentes. Além disso, também estão previstos dois dias de passeios turísticos aos alunos que realizarem a viagem. No caso do Projeto potiguar, as alunas indicadas a irem à Itália são Maria Clara Oliveira, Maria Bruna Acciole e Patrícia Camila da Silva, que serão acompanhadas pelo professor Wesley Petrosa. 

Maria Bruna explica que, apesar de nem todos poderem participar da viagem, o grupo inteiro está ansioso pelo momento. Além disso, para os estudantes, a realização do projeto Missão Galo significa uma experiência que acarreta valores aos alunos e à cidade. 

“A felicidade já começou quando descobrimos que éramos finalistas! Estamos muito ansiosos, pois esse projeto é muito importante. Foi por meio do Missão Galo que nós, enquanto alunos, assumimos responsabilidades extra curriculares e evoluímos tanto pessoalmente quanto profissionalmente. E isso mudou nosso olhar como cidadãos de São Gonçalo. Agora nós conhecemos muito mais o município onde moramos”, ressalta a estudante. 

Além da viagem cada escola premiada ganhará 1.500 reais, que devem ser aplicados no desenvolvimento e expansão do projeto, e 500 reais aos educadores envolvidos. 


(Foto: Cedida)
Projeto escolar propõe debate critico em sala de aulaAtividade envolveu estudantes da 3ª série do ensino médio do município de Martins

Uma ação desenvolvida por alunos do ensino médio da escola estadual Dr. Joaquim Inácio (EEJI), localizada no município de Martins (RN), vem estimulando a prática da reflexão crítica dos estudantes, bem como sua formação enquanto atores sociais. O Projeto Café Filosófico trata-se de uma ação integralmente realizada pelos alunos, e tem por objetivo debater assuntos que dizem respeito à vida acadêmica, cidadã e social dos discentes, estimulando-os a realizarem uma leitura de mundo de forma crítica. 

Idealizado pelo professor de filosofia José Barbosa, que levou sua ideia aos alunos (primeira à terceira série do ensino médio), o projeto foi implantado de forma experimental em 2017, e a cada ano é realizada uma edição discutindo temas pertinentes à rotina dos estudantes. 

A ação é realizada por meio de palestras, mesas-redondas, mostras de diagnósticos político-sociais, apresentações culturais, entre outras atividades, que são abertas à comunidade civil e demais escolas da cidade. Em sua primeira edição, o projeto debateu o tema “Por que tanto medo da Filosofia, das Ciências Sociais, das artes e do Pensamento Crítico”. Na segunda edição, realizada ano passado, o tema abordado foi “Os limites entre o humor e o bullying”. Este ano, em sua mais recente edição, o assunto debatido foi “Depressão na Adolescência: por que acontece?”. 

O professor José Barbosa destaca que a ação assume um papel significativo na formação dos alunos que dele participam. “Vejo que o Café Filosófico é um projeto que faz com que o estudante desenvolva seu próprio protagonismo, levando para fora dos muros da escola questões que estão diretamente ligadas à vida dele mesmo e da comunidade na qual está inserido”, avalia o professor.

Além da escola em Martins, a iniciativa também foi levada para a escola estadual Dr. José Fernandes de Melo, situada na cidade de Pau dos Ferros (alto oeste potiguar). Os alunos coordenadores do projeto também pretende distribuir o conteúdo do Café Filosófico em um canal no Youtube, assim como planejam realizar ações itinerantes nas demais escolas da região.

Participação no Prêmio Educador Nota 10

Foi por meio dessas ações que o projeto participou da 22ª edição do Prêmio Educador Nota 10, iniciativa realiza pela fundação Victor Civita, em parceria com a Editora Abril, Globo e a Fundação Roberto Marinho. O evento é considerado um dos mais importantes prêmios da educação básica brasileira e envolve escolas públicas e privadas de todo o país, desde a educação infantil até o ensino médio.

Realizado anualmente, o objetivo do Prêmio é reconhecer o trabalho dos docentes que desenvolvem atividades didáticas inovadoras. Ao todo 4876 projetos, oriundos de diversos estados brasileiros, foram inscritos para participar do prêmio nesta edição. 

A seletiva foi realizada por uma equipe de “selecionadores”, que analisaram os trabalhos submetidos seguindo critérios como: evidências de aprendizagem, didática específica da área, equidade e inclusão como valores trabalhados, entre outros. Com a participação, o Projeto Café Filosófico passa a ter assinatura gratuita, durante um ano, dos conteúdos do site da Nova Escola e Gestão Escolar.


(Foto: Cedida)
Alunos de Natal contam com app para o transporte público“App Meu NatalCard” é gratuito e está disponível para os sistemas iOS e Android

O NatalCard registrou a marca superior a 3 mil usuários cadastrados no app Meu NatalCard e mais de 400 transações de recargas, momentos antes do seu lançamento oficial, ocorrido dia 14 de agosto, na unidade do NatalCard, na zona sul de Natal. Na ocasião, todos os recursos do app foram apresentados para representantes de entidades estudantis e de outros setores presentes na solenidade.  

De acordo com o gerente de TI do NatalCard, Caio Ribeiro, o app Meu NatalCard veio para trazer comodidade e praticidade para os estudantes na aquisição dos serviços NatalCard. “A princípio, o sistema entra em operação atendendo às necessidades do público estudantil, tais como a consulta de saldo; fazer recargas por meio do app e solicitar a carteira de estudante, recebendo-a em sua casa, sem precisar se deslocar.”, afirmou.  

 Praticidade e facilidade - O app “Meu NatalCard” agrega funções: Pontos de recarga; Histórico de recarga; Recarga; Solicitar carteira; Descontos exclusivos e muito mais. O usuário tem em mãos um recurso tecnológico e seguro, que possibilita planejar e organizar melhor os seus créditos de passagens e assim, se deslocar na cidade com muito mais segurança.  

No que diz respeito às recargas dos cartões dos estudantes, essas podem ser feitas via o app por meio de pagamento em boleto e cartão de crédito. Por se tratar de uma transação bancária, o prazo dos créditos caírem no cartão de transporte é de até 48 horas, após realizado o pagamento do boleto. “A função de recarga ainda se expande a uma programação mensal em que o estudante pode fazer recargas automáticas mensais, debitadas em seu cartão.”, explicou Caio. É importante frisar que os pontos de recarga continuarão a atender os usuários. E nesses postos físicos, o crédito cai de modo imediato.  

Já o recurso “Solicitar carteira” do app possibilita obtenção da Carteira de Identificação Estudantil - CIE (UNE, Ubes, ANPG). De modo rápido, o estudante recebe a sua CIE em sua casa, sem precisar se deslocar. A plataforma está sendo parabenizada  por esse público, cada vez mais afinado com a tecnologia, como afirma o estudante Ericleiton Matias, tesoureiro da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes): “A tecnologia é um peso fundamental na sociedade. Ingressar a juventude em um app como esse é dar o direito a essa de, cada vez mais, se aprimorar e usufruir da modernidade nos tempos atuais.”, comemorou. 

A secretária de Mobilidade Urbana da Prefeitura do Natal, Elequicina dos Santos, avalia que o app Meu NatalCard representa um momento de grande importância para o desenvolvimento do trabalho desempenhado pelo NatalCard: “Essa é uma inovação que veio para melhorar a vida dos estudantes e a gente espera que isso progrida e venha atingir os outros cartões. Estão de parabéns o NatalCard e os estudantes que já aderiram a essa inovação.”, festejou. 

O futuro - O desejo de que o app Meu NatalCard amplie a oferta de benefícios para os demais cartões NatalCard já é uma demanda para a empresa. De acordo com Nilson Queiroga, consultor técnico do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal (SETURN), essa é uma das metas futuras, em consequência da evolução desse sistema: “O aplicativo é um grande benefício para os clientes e, em particular, nessa fase, aos estudantes. Vem facilitar a vida dos alunos, no acesso ao transporte público. Tanto com relação à aquisição dos créditos eletrônicos como também para esse adquirir à sua carteira de estudante. Essa é uma primeira etapa; além do estudante, outras categorias, como a do Vale Transporte, Passe Fácil, também serão contempladas com esse aplicativo.”, afirmou Queiroga. 

O aplicativo Meu NatalCard é gratuito e está disponível para os sistemas iOS e Android. 


(Foto: Divulgação)
RN é o maior medalhista da Olimpíada Nacional de HistóriaA cerimônia de premiação contou com a participação de estudantes, professores, historiadores de relevância nacional

O IFRN foi o grande vencedor da 11ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), cuja final aconteceu neste fim de semana (17 e 18 de agosto), na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A Instituição conquistou 19 medalhas, sendo 4 ouros, 6 pratas e 9 bronzes, de um total de 20 premiações angariadas pelo Rio Grande do Norte, que também foi o estado com mais premiações no certame.

Ao todo, o evento distribuiu 75 medalhas, sendo 15 de ouro, 25 de prata e 35 e bronze.  Além delas, foram concedidas ainda medalhas de honra ao mérito. A região Nordeste também teve um papel de destaque, com 58 medalhas, o que corresponde a 77% do total. A final contou com a participação de 314 equipes, reunindo 1,2 mil convocados de todos os estados brasileiros.

A cerimônia de premiação contou com a participação de estudantes, professores, historiadores de relevância nacional e autoridades, como representantes da Anpuh (Associação Nacional de História), Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), ProfHistória (Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História) e a presença do reitor da Unicamp, Marcelo Knobel.

Protagonismo do IFRN na premiação

Para Gerardo Júnior, professor de História do Campus Mossoró do IFRN e acompanhante dos alunos e alunas medalhistas, a conquista é um exemplo da qualidade do processo de ensino e de aprendizagem dos Institutos Federais como um todo, e do IFRN, em específico: “precisamos fortalecer e defender ainda mais os pressupostos educacionais que estão consubstanciados no nosso Projeto Político Pedagógico (PPP). Não podemos aceitar uma possível privatização e/ou o sucateamento dos Institutos Federais”, afirmou.

Ainda segundo o professor, o diferencial do IFRN para proporcionar uma conquista deste porte é a proposta de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional e Tecnológica, em quatro anos, que possibilita aos estudantes uma formação educacional mais completa e complexa. Também foi realizada uma preparação no Campus Mossoró, desde fevereiro, com palestras, atividades virtuais análogas às encontradas nas fases da ONHB, resolução de questões no estilo da Olimpíada e encontros semanais com os atletas olímpicos do conhecimento. “O empenho e a dedicação dos estudantes que abraçaram esse projeto de ensino, que se tornou a ONHB em nossa instituição foi fundamental”, concluiu.


(Foto: IFRN)
Alunos discutem sobre o espaço com engenheiro da NASAEm Caiçara do Rio dos Ventos, estudantes puderam tirar dúvidas sobre a exploração aeroespacial

Buscando debater sobre a importância do gosto pela pesquisa científica, na tarde dessa quinta-feira (15), os alunos da escola estadual Doutor Geraldo, localizada em Caiçara do Rio dos Ventos, receberam na escola o educador norte-americano e engenheiro da National Aeronautics and Space Administration (NASA), Gabe Gabrielle.

Durante a apresentação, o engenheiro explicou como foi a sua experiência na estatal americana, estimulando os alunos de ensino médio da unidade de ensino a buscarem sua realização pessoal nas profissões que desejarem seguir. “Minha mensagem principal é: faça seu melhor, aproveite tudo que você faz e o mais importante, acredite em si mesmo”, enfatiza Gabe Gabrielle. A palestra contou com tradução simultânea.

Gabe, que já foi chapeiro em uma rede de fast food, falou sobre os 20 anos dedicados aos estudos na faculdade para chegar à agência de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração aeroespacial. O palestrante já passou por cerca de 320 escolas nos Estados Unidos e na Europa, incentivando estudantes com sua história.

Para Maria de Fátima Macedo, diretora da escola, é fundamental o encontro com os estudantes para motivá-los a continuarem. “Foi muito importante a vinda desse engenheiro, porque ele possui muitos conhecimentos para transmitir aos nossos estudantes, que estão em formação de si próprios”, explica a gestora da escola. Além disso, ela enfatiza que os estudantes adoraram a palestra. “Eles nunca tiveram esse tipo de experiência, ficaram maravilhados, não queriam sair da sala”, relata a diretora. No final da atividade, o engenheiro deixou material gráfico, fotos, posters para serem distribuídos na escola.

A ida do engenheiro até Caiçara do Rio dos Ventos tem um motivo especial. No município localizado a 95 quilômetros de Natal, existe o Habitat Marte, um espaço que simula o planeta Marte. Esse projeto é uma iniciativa do cientista Júlio Rezende, professor de Engenharia de Produção na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) que recriou no semiárido do RN a primeira estação de pesquisa sobre Marte da América do Sul.


(Foto: Cedida)
Jerninhos une 2250 alunos das escolas públicas e privadasTradição no calendário escolar, os Jerninhos têm por objetivo estimular a prática do esporte entre os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

A Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC), por meio da Subsecretaria de Esporte e Lazer, realiza na próxima quinta-feira (15), a abertura da fase final da 25ª edição dos Jerninhos, competição desportiva escolar que reúne estudantes das redes pública e privada de ensino do Rio Grande do Norte. A solenidade será realizada no Cirque Amar, instalado no bairro de Capim Macio, a partir das 14h. 

Tradição no calendário escolar, os Jerninhos têm por objetivo estimular a prática do esporte entre os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental. Além disso, os jogos também têm como foco o desenvolvimento sócio educacional e cooperativo dos participantes. Este ano a competição iniciou-se em no mês de maio, movimentando 2.250 alunos de 120 escolas do estado potiguar, sobretudo das unidades de Natal e região metropolitana. 

Durante a abertura da última fase, cada escola participante será representada por pelo menos 10 alunos e dois professores responsáveis. No primeiro momento será realizada a solenidade formal do evento, com desfile dos atletas, hasteamento da bandeira, juramento e corrida do fogo simbólico. Em seguida, o evento será encerrado com atrações artísticas do Cirque Amar.  “Trata-se de um patrimônio do esporte e da educação do RN. O Jerninhos é uma competição marcada pela alegria dos jovens competidores, que, desde cedo, aprendem o valor do esporte em suas vidas”, pontou Canindé de França, subsecretário de Esporte e Lazer da SEEC.

No total, os Jerninhos contam com 16 modalidades esportivas, que são: atletismo, badminton, basquete, capoeira, futebol society, futsal, ginástica artística, handebol, jiu-jitsu, judô, karatê, natação, taekwondo, tênis de mesa, vôlei e xadrez.

Formação cidadã 

Paralelo às modalidades, a competição engloba duas categorias. A primeira é voltada às crianças de 1 a 7 anos de idade, e conta com jogos lúdicos sem caráter competitivo, além de todos os participantes recebem premiação. Já a segunda categoria contempla estudantes de 9 a 10 anos, e dispõem de premiação de troféus para os campeões e medalhas para os três melhores colocados em cada categoria

Um dos coordenadores do Jerninhos, o professor Jorian Fontes explica que o motivo de todos receberem premiação na primeira categoria se dá devido ao caráter cidadão da competição. De acordo com o professor, a ideia é que o aluno desenvolva em si a cultura do companheirismo e respeito. 

“Os Jerninhos são o início de uma possível vida de atleta da criança, mas, antes disso, essa competição assume um forte compromisso com a questão cidadã. Por meio dos jogos, o aluno trabalha questões relativa à responsabilidade, disciplina, companheirismo, respeito e diversidade. Então, levando isso em consideração, o lado cidadão é tão importante quanto o lado atleta”, aponta o coordenador.

Na edição de 2018 dos Jerninhos, os jogos movimentaram 121 escolas do RN e mais de 1.900 alunos. 


(Foto: Tribuna do Norte)
FIERN lança nova etapa do MAIS RN em espaço virtual lançamento ocorreu durante o Fórum “O MAIS RN e o desenvolvimento municipal” que reuniu prefeitos, secretários, assessores de Prefeituras, além de vereadores.

A promoção do potencial e dos diferenciais dos municípios do Rio Grande do Norte como mecanismo para captar investimentos e gerar desenvolvimento socioeconômico é a proposta da nova fase do MAIS RN, com o lançamento de uma plataforma digital, na manhã desta quarta-feira, dia 7, no auditório da Casa da Indústria. O lançamento ocorreu durante o Fórum “O MAIS RN e o desenvolvimento municipal” que reuniu prefeitos, secretários, assessores de Prefeituras, além de vereadores.

Na abertura, o presidente da FIERN, Amaro Sales de Araújo, fez uma defesa do pacto do MAIS RN com os municípios. E enfatizou a importância de, nesta nova fase, uma plataforma digital que traça um novo rumo para os municípios, dentro de um plano de desenvolvimento de polos regionais. “O MAIS RN é um plano, uma ferramenta de planejamento para o Estado e para os municípios potiguares”, afirma.

O presidente acredita que com o Fórum atingirá três objetivos. Primeiro, aproximar o plano MAIS RN dos municípios, por meio de gestores, assessores e técnicos que atuam no desenvolvimento econômico em âmbito municipal. Segundo, apresentar a plataforma digital de divulgação das potencialidades municipais em articulação com o MAIS RN. E por último, estimular o diálogo entre os municípios para o desenvolvimento econômico dos polos regionais.

O evento contou ainda com a participação dos presidentes da Federação dos Municípios do RN (Femurn), José Cassemiro, da Federação das Câmaras Municipais (Fecam), Paulinho Freire, além do secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Jaime Calado. A parceria com essas instituições, segundo o presidente da FIERN, é essencial para a execução do plano de desenvolvimento estratégico MAIS RN.

O presidente também historiou a elaboração de um plano de desenvolvimento sustentável para o Rio Grande do Norte articulado com governo, setor produtivo e instituições em um pacto pensado para 20 anos, ressaltou a colaboração do assessor Marcos Formiga na condução do projeto junto a consultoria Macroplan e de Rogério Marinho, à época secretário de desenvolvimento econômico do Estado. “Fazer um projeto pensado para 2035 é uma iniciativa de pensar grande o futuro do RN”, destacou Amaro Sales.


(Foto: FIERN)
SESC tem programação cultural para o mês de agostoMostra SESC de Arte e Cultura acontece nas cidades de Parnamirim, Natal, Mossoró e Caicó

O SESC RN realiza no mês de agosto sua Mostra de Arte e Cultura no período de 06 a 31 nas unidades de Parnamirim, Natal (Cidade Alta, Zona Norte, Rio Branco e Potilândia), Mossoró e Caicó. A programação tem atividades de literatura, artes visuais, teatro, dança, audiovisual, cinema.

O Happy Hour das sextas-feiras nas unidades de Caicó, Mossoró e Natal (Cidade Alta) também tem atividades do Mostra SESC com shows de artistas locais. A Mostra contará também atividade direcionadas ao público de escolas públicas da Zona Norte de Natal.

A atividade irá proporcionar o contato dos jovens com a arte da grafitagem,em cinco dias de oficinas de grafitagem no muro, além de um bate-papo sobre o grafite no Rio Grande do Norte com Miguel Carcará, Erre, Rodrigo, Clarissa Torres, Viviani Fujiwara, Fábio Freitas e Consuelo. O trabalho desenvolvido durante a semana culminará na inauguração do muro do Sesc Zona Norte.

A programação da Mostra Sesc de Arte e Cultura também acontece em localidades fora das unidades Sesc. Uma delas acontece no Beco da Lama, em Natal, com a intervenção da Nação Zamberacatu, grupo fundado em 2012, com objetivo de difundir a cultura afro-brasileira no estado.

Em Caicó, a tradição dos declamadores será destaque com o encontro de poetas declamadores que contará com a presença do poeta mossoroense, Antônio Francisco, Jadson Lima, Robson Renato, Manoel Cavalcante, José Fernandes e as crianças Davi Lima, Ingrid Natália, Clara Bezerra e Tiago Camilo.

O projeto tem dois pontos de culminância, sendo um no dia 22 de agosto, Dia do Folclore, com uma programação no Sesc Zona Norte, com os grupos folclóricos (Folia de Rua, Grupo de Capoeira Cordão de Ouro, Coco de Roda de Ponta Negra, Congos de Combate de São Gonçalo e Nação Zamberacatu) e as danças circulares (utilizadas por diversos povos para celebrar a vida em todas as suas fases: nascimento, casamento, morte, e assim por diante). 

Outro momento será no dia 31 de agosto, com o Sábado Cultural no Sesc Cidade Alta. A programação inclui espetáculo infantil com a Cia. teatral Monicreques, Contação de histórias com o grupo Cordel Animado (PE), Intervenção Nação Zamberacatu, Banda Sinfônica de Natal e o Komboio do Sol, projeto com criação de Zeca Santos, dramaturgia de Henrique Fontes, cenografia de Irapuan Júnior. A equipe é composta por 33 profissionais da arte, dentre eles, um elenco formado por seis atores-cantores.

Mostra Sesc

A Mostra Sesc de Arte e Cultura é uma iniciativa de promoção e resgate à cultura, ao acesso ao conhecimento, e ao mesmo tempo proporciona oportunidades para que a comunidade desenvolva o gosto pela arte.

O evento chega a sua 12ª edição na Zona Norte, e na 6ª edição acontecendo simultaneamente em várias cidades potiguares.

Estímulo à Cultura

No Sesc, a cultura não é só entretenimento, mas também mecanismo fundamental para o resgate da cidadania. O Sesc RN valoriza e estimula a produção cultural potiguar por meio de programações nas áreas de artes cênicas, artes visuais, música, literatura, audiovisual, biblioteca e multilinguagens.

Os investimentos na área são sistemáticos. Para se ter uma ideia, entre 2014 e 2018, o Sesc RN investiu R$ 9 milhões em projetos na área de cultura. A estimativa para 2019 é investir em torno de R$ 3 milhões de reais para atender a um público de 165 mil pessoas.


Debinha Ramos, um dos nomes da Mostra SESC de Arte e Cultura (Foto: Divulgação)
50 anos: Trump recebe astronautas da missão Apollo 11 Na véspera dos 50 anos da chegada do homem à Lua, mandatário norte-americano se encontrou com Michael Collins e Buzz Aldrin no Salão Oval.

O presidente americano, Donald Trump, recebeu os astronautas da missão Apollo 11 Buzz Aldrin e Michael Collins na Casa Branca, nesta sexta-feira (19), por ocasião do aniversário de 50 anos da chegada do Homem à Lua.

“Amanhã é um grande dia”, disse Trump, acrescentando que “são 50 anos depois do dia em que plantamos a linda bandeira americana na Lua”.

Falecido em agosto de 2012, Neil Armstrong foi o primeiro homem a pisar na Lua e comandou a missão que neste sábado (20) completa 50 anos. No início desta semana, Collins visitou a base de lançamento de onde os três partiram rumo ao espaço, em Cabo Canaveral, Flórida.

Enquanto Armstrong e Buzz saíram da órbita da Lua a bordo de um módulo de exploração Eagle e puderam pisar em solo extra-terrestre, Collins permaneceu na nave Columbia garantindo a segurança da missão.


(Foto: AFP)
Top of Mind: Grande festa das marcas do mercado potiguarA cerimônia de entrega do Troféu Top of Mind aconteceu no auditório do Centro de Convenções de Natal

Fotos: Canindé Soares.


(Foto: Canindé Soares)
Rubens Ewald Filho morre em SP aos 74 anosEwald Filho foi internado no dia 23 de maio após sofrer um desmaio seguido de uma queda de escada rolante

O jornalista e crítico de cinema Rubens Ewald Filho morreu nesta quarta-feira (19) em São Paulo aos 74 anos. Considerado um dos maiores especialistas em cinema, Rubens Ewald Filho estava internado estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Samaritano, em Higienópolis, na região Central de São Paulo.

Ewald Filho foi internado no dia 23 de maio após sofrer um desmaio seguido de uma queda de escada rolante. Ele passou por um tratamento cardiológico e das fraturas decorrentes da queda, mas não resistiu.

Nascido em Santos, Rubens Ewald Filho assistiu a mais de 37 mil filmes. Ele fez trabalhos como roteirista de novelas como “Éramos Seis”, “Drácula, Uma História de Amor” e “Iaiá Garcia”, além de “Gina”, da TV Globo, entre outras. Também como ator teve participações em filmes como “Independência ou Morte” e “Amor Estranho Amor”.

Ele foi grande responsável por popularizar o papel de crítico, ao falar de maneira mais técnica sobre filmes em vários canais da TV. Trabalhou na Globo, SBT, Record e Cultura.

Na TV por assinatura, comentou filmes na HBO, Telecine e TNT, sua emissora mais recente. No canal, participava da transmissão das maiores premiações, incluindo o Oscar.

Além da crítica, escreveu livros como “Dicionário de cineastas” e atuou como consultor em projetos como o Pólo de Cinema de Paulínia (SP), entre outros.

Rubens escreveu os roteiros de “A árvore dos sexos” (1977) e “Elas são do baralho” (1977), filmes dirigidos por Abreu.

Todo seu conhecimento sobre cinema Rubens Ewald Filho deixou registrado também em livros como “Dicionário de Cineastas”, “Cinema com Rubens Ewald Filho”, “Os 100 Maiores Cineastas”, “O Oscar e eu” e “Os 100 Melhores Filmes do Século 20”.


Foto: Gustavo Magnusson
Projeto inovador une a Matemática ao cultivo de hortaliçasEscola Estadual Angelita Felix, do município de Lagoa Nova, tem projeto de Matemática que evita desperdício de água e garante produção de hortaliças

Projeto realizado na Escola Estadual de Tempo Integral Angelita Felix, na cidade de Lagoa Nova, chama a atenção por fazer da Matemática ferramenta de combate ao desperdício de água e de produção de hortaliças. O projeto “Tempero Complexo”, que tem à frente o professor de Matemática, Carlos Antonio Fernandes, tem mobilizado alunos, educadores e comunidade no setor urbano da cidade de Lagoa Nova, localizada na região Seridó do Rio Grande do Norte.

Iniciado no mês de março e com culminância (encerramento) previsto para o dia 18 de julho deste ano, o projeto, que faz parte de eletiva da disciplina de Matemática, tem como objetivo o aproveitamento de água mineral desperdiçada no bebedouro da Escola na implantação e manutenção de uma horta dentro do terreno pertencente a instituição de ensino.

O projeto “Tempero Complexo”, que hoje conta com 30 alunos que estudam nos três do Ensino Médio, tem já produzindo seis canteiros, com cada um medindo em torno de 1 metro de largura por 5 de comprimento. Cerca de 30 litros de água mineral, do bebedouro, que iria para o ralo, é reaproveitada por dia no empreendimento produtivo dos jovens estudantes.

A horta já está dando resultados beneficiando diretamente a Escola com legumes como Coentro, Alface, Couve e Rúcula. Também estão plantados para uma futura colheita o Repolho, a Cebolinha, e o Pimentão. “A horta não utiliza agrotóxicos, e sim inseticidas orgânicos, que são implementados a partir de pesquisa feita pelos próprios alunos”, ressalta o professor Carlos Antonio Fernandes.

“Boa parte dos alunos está muito envolvida. Cada canteiro tem seis alunos como responsáveis. Os demais professores também apoiam e estimulam o projeto. A própria ideia de reaproveitar a água desperdiçada no bebedouro foi de um aluno nosso”, diz Carlos Antonio Fernandes.

A Escola Estadual de Tempo Integral Angelita Felix, localizada na entrada da cidade de Lagoa Nova, tem 272 alunos matriculados nas três séries do Ensino Médio. A culminância da iniciativa, que busca aliar o cultivo de uma hora ao ensino da Matemática, terá a realização de uma exposição com os legumes colhidos.


Horta é feita com água desperdiçada do bebedouro escolar
Instituto Histórico resgata brasão original do RNO projeto de resgate histórico é fruto da parceria entre o IHGRN e o Grupo Vila, que irá patrocinar a distribuição de 5 mil encartes com desenho original

O Governo do Estado e o Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IHGRN) vão apresentar no dia 7 de agosto, data de aniversário do Estado, o projeto de recuperação do brasão original de armas potiguar. O desenho original, datado de 1909, foi resgatado pelo Instituto em seus arquivos e apresentado à governadora Fátima Bezerra em reunião nesta segunda-feira (20).

Para a governadora, o trabalho do IHGRN representa um grande gesto de respeito aos símbolos potiguares. “Antes de tudo nós temos que parabenizar o Instituto pela iniciativa de zelo com o nosso Estado, um resgate histórico que dá orgulho de partilhar”, comentou Fátima.

A solenidade prevista para 7 de agosto contará com a assinatura de um decreto governamental reconhecendo o resgate do brasão, que incluirá a participação da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Justiça. “Essa é uma iniciativa muito representativa, que precisa da participação de todos os poderes, a sociedade civil, a academia, os artistas”, reforçou a governadora.

O projeto de resgate histórico é fruto da parceria entre o IHGRN e o Grupo Vila, que irá patrocinar a distribuição de 5 mil exemplares do encarte com o desenho original. “Nós vamos entregar todo esse material para o Governo distribuir em instituições e órgãos públicos, para atualizar o brasão em todas as aplicações, incluindo a bandeira do Rio Grande do Norte”, explicou o presidente do IHGRN, Ormuz Barbalho Simonetti.

O brasão original foi feito na França pelo amazonense Corbiniano Villaça, por ordem do decreto nº 201, de 1º de julho de 1909, assinado pelo governador Alberto Maranhão. Neste mesmo documento, estão contidas todas as especificações sobre o desenho com a jangada de pescadores, a flor de algodão, o coqueiro, a carnaubeira e a cana de açúcar, com a estrela branca no topo do escudo.


(Foto: Divulgação)
Alunos da rede pública participam de Olimpíada de Física As inscrições para a competição seguem até o dia 4 de junho

As escolas da rede estadual de ensino já podem se inscrever na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas (OBFEP). Com prazo de inscrições aberto até o dia 4 de junho, o intuito da competição é valorizar a escola e melhorar o ensino e estudo das ciências. 

Para se inscrever, o gestor da unidade de ensino deve acessar o site oficial da competição, disponível em www.sbfisica.org.br/~obfep, e conferir regulamento, programa oficial das provas e realizar a inscrição da sua escola. 

A OBFEP é destinada aos anos finais do Ensino Fundamental e ao Ensino Médio e é realizada pela Sociedade Brasileira de Física (SBF). A primeira fase será uma prova de múltipla escolha e acontece no próximo dia 13 de agosto, já a segunda será composta por questões abertas teóricas e experimentais, e ocorre dia 19 de outubro. 

A professora de física da escola estadual Zila Mamede, Amanda Vivian, afirma que a olimpíada é importante porque permite o aluno realizar uma prova de nível nacional, com um conhecimento mais aprofundado de física. “Além disso, posso avaliar o desempenho deles, se a questão está ou não difícil e como eles traçam estratégias para resolver”, pontuou. 


Olimpíada Brasileira de Física (Foto: Fundação Liberato)
Imagens de um buraco negro são registradas pela 1ª vezPor meio de vários telescópios, pesquisadores captaram os registros

Pesquisadores da Fundação Nacional de Ciência (cuja sigla em inglês é NSF), nos Estados Unidos, que atuam no projeto Telescópio de Horizonte de Eventos (cuja sigla em inglês é EHT), revelaram hoje (10) que, pela primeira vez, foram captadas imagens de um buraco negro no espaço. Os buracos negros são objetos cósmicos com massas imensas e tamanhos compactos. A presença desses objetos afeta o ambiente, podendo distorcer os conceitos de espaço-tempo e superaquecendo qualquer material ao redor.

"Nós tiramos a primeira foto de um buraco negro", disse o diretor do projeto da EHT, Sheperd S. Doeleman, do Centro de Astrofísica Harvard e Smithsonian. "Este é um extraordinário feito científico realizado por uma equipe de mais de 200 pesquisadores."

Detalhes

A imagem revela o buraco negro no centro de Messier 87, uma enorme galáxia ao redor do planeta Virgem. Este buraco negro está a 55 milhões de anos-luz da Terra e tem uma massa de 6,5 bilhões de vezes a massa do Sol.

Em entrevista coletiva, os astrônomos informaram que os detalhes serão descritos em seis artigos acadêmicos, publicados em uma edição especial do The Astrophysical Journal Letters.

"Este é um grande dia em astrofísica", disse a diretora da Fundação Nacional de Ciência, France Córdova. "Estamos vendo o invisível. Buracos negros têm causado imaginação por décadas. Eles têm propriedades exóticas e são misteriosos para nós.”

Córdova disse que cientistas e engenheiros foram preparados "para iluminar o desconhecido, para revelar a majestade sutil e complexa do nosso universo ".

Projeto

O projeto liga telescópios ao redor do globo para formar um telescópio virtual do tamanho da Terra, com sensibilidade e resolução sem precedentes. O trabalho é desenvolvido há anos por meio de colaboração internacional.

A fundação desempenhou papel fundamental nesta descoberta, financiando investigadores individuais, equipes científicas interdisciplinares e instalações de pesquisa de radioastronomia desde o início da EHT. Mais de US$ 28 milhões foram aplicados em pesquisa da EHT.

Múltiplas calibrações e métodos de imagem revelaram uma estrutura em forma de anel, com uma região central escura - a sombra do buraco negro -, que persistiu sobre várias observações independentes, segundo os pesquisadores. Com informações da Agência Brasil. 


(Foto: Divulgação Reuters/Direitos Reservados)
Tribuna do Norte: trincheira de inteligência jornalísticaOs 69 anos de existência do tradicional jornal da Ribeira, em Natal, trazem à lembrança nomes que fizeram o veículo se manter vivo e influente

Ticiano Duarte, Woden Madruga, Cassiano Arruda, Paulo Tarcísio Cavalcanti, Agnelo Alves, Jaime Hipólito Dantas, Vicente Neto, Carlos Peixoto, Everaldo Gomes da Porciúncula, Valdir Julião, Aluízio Alves, Osair Vasconcelos, Everaldo Lopes, Cláudio Oliveira - estes são alguns dos nomes que contribuiram para o fortalecimento de uma trincheira de inteligência jornalística em Natal que recebeu o nome de Tribuna do Norte. 

Fundado em 24 de março de 1950 pelo jornalista vocacionado Aluizio Alves, o jornal Tribuna do Norte enfrentou os mais variados momentos da cena política e as variáveis da economia em um estado notadamente pobre. Enfrentou todos os momentos, entre os quais, a cassação de seu fundador e principal líder, em um regime militar duro com tolerância zero para quem o criticasse. Enfrentou todos esses momentos sem se envergonhar de sua posição política, mantendo os ideiais que o fundaram.

O jornal Tribuna do Norte não surgiu como principal em Natal. As dificuldades para fazer o jornal circular de forma razoável em termos estéticos, porém, se avolumaram durante o período militar. Nessa época, com o Diário de Natal, na época o maior concorrente da Tribuna, já circulava embelezado pela impressão offset, o mesmo passou a também acontecer com A República. Enquanto isso, a Tribuna do Norte chegava até o leitor com impressão à quente, feita ainda de forma antiquada e rudimentar.

A disparidade gráfica era enorme, mas a criatividade e a inventividade, próprias de quem já trabalhava com inteligência jornalística, conseguiam diminuir as distâncias entre os concorrentes embelezados e a Tribuna produzida a partir de composição com placas de chumbo.

Esse período marcou fortemente a capacidade de um grupo de profissionais empenhados em manter viva a chama de um jornal que tinha alma própria e era, em si mesmo, aglutinador de convicções e propagador de sonhos. Com o advento do parque gráfico, com modernas impressoras e fotocompositora, em 13 de outubro de 1979, a Tribuna do Norte passou a competir em pé de igualdade com seus concorrentes, e isso começou a fazer a diferença.

Hoje, a Tribuna do Norte se mantém viva e é o grande jornal do Rio Grande do Norte. É também mostragem de que o jornalismo, embora passe por um momento de absoluta indefinição quanto ao seu futuro, pode sim ter presença assegurada na sociedade que se pretende pós-moderna. A receita estará sempre dada a priori. É a receita desse time de grandes comunicadores que desfiliram pelas páginas do jornal ao longo desses 69 anos, a começar por seu fundador, Aluizio Alves - a de um jornalismo criativo, corajoso e inteligente. 


Aluizio Alves mostra a Geraldo Santos o parque gráfico da Tribuna do Norte (Foto: Tribuna do Norte)
Artigo: A filosofia da esperançaA esperança ativa é uma paciência inquieta, um silêncio eloquente, pensamento e ação consciente

Por Luís Fernando Lopes

A palavra esperança vem do latim spes, que significa confiança em algo positivo. É um conceito, uma crença emocional, que se manifesta em maneiras de ser, estar e agir no mundo. Dito de outra maneira, ela se traduz em modos de vida.

Viver é também esperar, mas esperar com disposição para realizar todos os esforções possíveis a fim de que o esperado se concretize. A esperança ativa não é simples espera. É uma “paciência inquieta”, um silêncio eloquente, pensamento e ação consciente.

Já o avesso da esperança é o desespero. No entanto, mesmo situações desesperadoras podem conduzir a um novo esperar.

É possível falar de uma esperança puramente passiva, mas essa maneira de compreendê-la, bem como o modo de vida que dela decorre, é contraditório. Por que esperar por algo que nunca se concretizará? Estar cheio de esperança implica também em agir para o que é esperado se efetive.

Embora não seja um tema comumente abordado na história da filosofia, a esperança é essencialmente filosófica. Não por acaso, entre as famosas perguntas kantianas, está presente a questão: o que me é permitido esperar?

Nas edições da Crítica da Razão Pura de 1781 e 1787, o autor escreveu: “Todo o interesse da minha razão (tanto especulativa quanto prática) concentra-se nas seguintes três perguntas: O que posso eu saber? O que devo eu fazer? O que está me permitido esperar?”.

Desta maneira é possível notar como a questão da esperança é inerente ao ser humano, ainda que para alguns ela possa ser vista como uma crença vaga que impede a humanidade de buscar sua realização de maneira concreta. Nesse sentido, ela induziria a um estado de esperar um futuro improvável. Sobretudo se essa espera estiver ancorada em bases religiosas e relacionada com uma nova vida além-mundo.

Não por acaso a esperança é vista como um tema teológico, pois ela é uma das três virtudes teologais, junto com a fé e a caridade. No entanto, isso não impossibilita a abordagem filosófica do tema.

Em sua principal obra, O Princípio da Esperança, Ernst Bloch propôs uma ontologia do não ser. O autor defende que a ausência de algo não significa a sua inexistência, mas sim uma possibilidade do que pode vir a ser.

Trata-se então de passar do “não” para o “ainda não”, que se faz pela esperança. Nesta perspectiva, sua abordagem sobre a esperança fundamenta-se em razões históricas e antropológicas. Não precisa recorrer aos fundamentos religiosos de uma determinada tradição ou ainda a argumentos individuais de ordem puramente psicológica.

As perspectivas religiosa e histórica da esperança não precisam ser vistas como polos opostos, mas complementares. Afirmar um fundamento antropológico e histórico para a esperança não significa descartar o fundamento religioso. Nesse sentido, o próprio texto bíblico atesta a superioridade do amor em relação à fé e à esperança: “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor”. (1 Cor 13:13).

 

Prof. Dr. Luís Fernando Lopes, filósofo, teólogo e coordenador do curso de licenciatura em Filosofia do Centro Universitário Internacional Uninter.


A natureza da Serra que leva o nome de Boa Esperança (Foto:Tripadvisor)
Segurança nas escolas potiguares é tema de discussão A ampliação da atuação de programas de enfrentamento à violência e as drogas foi o foco da reunião

Na tarde de ontem (14), a Equipe Gestora da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do RN recebeu o Secretário da Segurança Pública e Defesa Civil, Coronel Francisco Araújo, acompanhado dos gestores da Companhia Independente de Prevenção ao uso de Drogas. O encontro tratou de fortalecimento aos programas de segurança nas escolas, frutos de parceria entres as pastas, como Proerd e Ronda Escolar.

Para o titular da SEEC, a avalição do trabalho que vem sendo desenvolvido é importante e a readequação dessas ações se torna necessária para promover mais segurança aos estudantes potiguares. “Hoje, 35 escolas estaduais contam com segurança armada e outras 226 com segurança eletrônica. Vamos identificar as escolas mais vulneráveis e chegar mais perto, definindo qual é o modelo mais adequado de promover segurança nas instituições”, comentou Getúlio Marques.

Dados apresentados pela equipe da SESED mostram que, em 16 anos de atuação, mais de 400 mil alunos foram atendidos pelos programas de segurança nas escolas. Em 2018, a Polícia Militar realizou 4.250 visitas em 44 unidades estaduais de educação no Estado. Só para o primeiro semestre de 2019, a previsão é que 54 escolas sejam atendidas pelos programas. “O que a Cipred produziu entre os anos de 2015 e 2018, com uma estrutura reduzida, foi um milagre”, pontuou o Coronel Araújo. 

Como encaminhamento da reunião ficou definido que será estudada a ampliação da atuação da Ronda Escolar e das ações do CIPRED junto às escolas, alinhada com ações já desenvolvidas pela SEEC no âmbito da conscientização para uma política de paz nas unidades de ensino. 


(Foto: Arthur Salvação)
Jota Gomes: Morre voz do jornalismo policial do RNCom o cabelo grande, paletó e com gestos peculiares, Jota Gomes marcou gerações na crônica policial do estado.

“Na marca da exclusividade”, esse bordão ficou gravado na cabeça e nos corações dos potiguares como marca registrada do repórter Josimar Gomes da Silva, mais conhecido como Jota Gomes.

O radialista, ícone do jornalismo policial do Rio Grande do Norte, morreu na manhã desta sexta-feira (1º) após meses de luta pela vida. Jota Gomes, que foi durante anos repórter do programa Aqui e Agora, da TV Ponta Negra, morreu na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Potengi, Zona Norte de Natal.

O radialista teve um infarto e lesão na medula em 2018 e passava por sérios problemas desde então. Jota Gomes passou meses no Hospital Universitário Onofre Lopes, na Zona Leste de Natal e há cerca de uma semana foi internado na UPA do Potengi com um quadro grave de infecção. Ele morreu em decorrência de falência múltipla dos órgãos.

Com o cabelo grande, paletó e com gestos peculiares, Jota Gomes marcou gerações na crônica policial do estado. O corpo do radialista será velado na tarde desta sexta-feira no Centro de Velório Morada da Paz, na Avenida São José, em Lagoa Seca, Zona Leste de Natal. O sepultamento será na cidade natal de Jota Gomes, Mossoró, Região Oeste do estado.


(Foto: Arquivo Pessoal)

Mostrar mais
Veja Também


Mais Blogs
Mais Recomendadas