×
Home
FocoNews
Clássico Rei
Carro e Campo
Mosaico
Fatos e Notas
Especial Foco
Acontece RN
RN em Foco
Espaço GEEK
Edições
Anuncie aqui
Fale conosco









#foco
news

Eleições 2020: Centrão expande presença nas capitaisO Progressistas, partido de Lira, avançou em cidades do Norte e Nordeste

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o Centrão teve um bom desempenho nas urnas ontem. Líderes do grupo que dá as cartas no Congresso conseguiram eleger afilhados e avançar para o segundo turno em cidades importantes no País. As dez legendas do bloco (Progressistas, PSD, PL, PTB, Republicanos, PSC, Solidariedade, Avante, Patriota e Pros) fizeram ao menos 887 prefeituras, de acordo com os resultados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até a 1h de hoje.

O desempenho do Centrão, grupo liderado pelo deputado Arthur Lira (AL), contrasta com a atuação do PSL, que até o ano passado era o partido de Bolsonaro. O PSL minguou. O Centrão raiz, porém, deve aumentar seu capital político nas negociações do Congresso nos próximos dois anos.

O Progressistas, partido de Lira, avançou em cidades do Norte e Nordeste, onde Bolsonaro tenta aumentar sua popularidade. Cícero Lucena (PP-PB) foi para o segundo turno de João Pessoa, capital da Paraíba. Apadrinhada pela deputada Jaqueline Cassol (Progressistas-RO), Cristiane Lopes conseguiu ir para a segunda rodada em Porto Velho, capital de Rondônia.

O crescimento da sigla comandada pelo senador Ciro Nogueira (PI) nessas regiões pode ter um peso importante nos próximos passos de Bolsonaro. Sem filiação desde o ano passado, o presidente é assediado pelo partido, pelo PTB de Roberto Jefferson e por uma ala do PSL, que quer o seu retorno.

Ainda nas capitais, o PSD conseguiu reeleger, neste primeiro turno, o prefeito de Belo Horizonte (MG), Alexandre Kalil. Em Campo Grande (MS), Marquinhos Trad também foi reconduzido à prefeitura. Comandado por Gilberto Kassab e com Fábio Faria ocupando o Ministério das Comunicações, o PSD também foi para o segundo turno em Goiânia (GO), com Vanderlan Cardoso.

Com o apoio de Bolsonaro, o Pros conseguiu levar Capitão Wagner para a segunda rodada em Fortaleza (CE). O partido ocupa cadeiras da vice-liderança do governo Bolsonaro no Congresso.

O Republicanos avançou com Marcelo Crivella, que conquistou o segundo turno no Rio, com o apoio de Bolsonaro. O vereador Carlos Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro, filhos do presidente, também estão na legenda.

Na lista dos partidos da base do governo, o Avante levou o ex-governador do Amazonas Davi Almeida para o segundo turno em Manaus, com aval do atual governador, Wilson Lima (PSC). O Patriota, por sua vez, passou para a segunda etapa da disputa em Belém (PA) com Delegado Eguchi.

Deputados. Dos 68 deputados concorrendo às prefeituras neste ano, poucos tiveram êxito. Oito vão seguir na corrida no segundo turno. O único eleito foi o deputado Juninho do Pneu (DEM-RJ), vice-prefeito na chapa de Rogério Lisboa (PP-RJ), em Nova Iguaçu (RJ).

No Recife, os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) vão rivalizar o segundo turno na capital de Pernambuco. O deputado Edmilson Rodrigo (PSOL) está no segundo turno em Belém (PA). Em Boa Vista (RR), Ottaci Nascimento (Solidariedade) também segue na disputa no segundo turno.


(Foto: Reuters)
Confiança do empresário industrial recua em janeiroÍndice é divulgado pela Confederação Nacional da Indústria

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) teve um recuo de 2,2 pontos em janeiro de 2021, em relação a dezembro de 2020, informou hoje (13) a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice ficou em 60,9 pontos em janeiro de 2021, ante 63,1 pontos em dezembro de 2020, numa escala que vai de 0 a 100. O índice está ainda 4,4 pontos abaixo do registrado em janeiro de 2020.

De acordo com a confederação, a queda mostra a elevada incerteza com relação à evolução da pandemia do novo coronavírus e ao desempenho da economia nos próximos seis meses.

“Apesar da chegada da vacina, o crescimento do contágio nos países europeus e, sobretudo, no Brasil aumentou o temor da necessidade de novas medidas de isolamento social. Adicionalmente, o ano de 2021 começa sem as medidas emergenciais de apoio às empresas e às famílias mais vulneráveis. Esses fatores, provavelmente, resultaram no recuo da confiança dos empresários”, diz o boletim da CNI.

O levantamento registrou queda nos dois indicadores que compõem o Icei: o Índice de Condições Atuais e o Índice de Expectativas. A redução foi maior no Índice de Condições Atuais, que passou de 59,5 pontos para 56,7. Já o Índice de Expectativas caiu 1,9 ponto, de 64,9 para 63 pontos.

Para elaborar o índice, a CNI entrevistou 1.286 empresas, sendo 491 de pequeno porte, 505 de médio porte e 290 de grande porte.

“Não obstante, as expectativas dos empresários industriais com relação aos próximos seis meses continuam favoráveis. O indicador continua acima e distante da linha divisória dos 50 pontos”, acrescenta o boletim.


(Foto: Agencia Brasil)
Tokyo 2020: Japão amplia estado de emergênciaSete prefeituras próximas à capital terão restrições de movimentação

O Japão ampliou o estado de emergência na área de Tóquio para mais sete prefeituras nesta quarta-feira (13), em meio a um aumento constante nos casos do novo coronavírus (covid-19), enquanto uma pesquisa da emissora pública NHK mostrou que a maioria das pessoas deseja que a Olimpíada seja cancelada ou adiada.

Os governantes de Osaka, Kyoto e outras prefeituras duramente atingidas pediram ao governo que anunciasse a emergência, o que dá às autoridades locais a base legal para conter a movimentação e os negócios.

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, tem sido cauteloso em tomar medidas que prejudiquem a atividade econômica.

"A declaração do estado de emergência é um meio poderoso, baseado na lei, para combater a propagação de infecções, mas também impõe grandes restrições à vida das pessoas", disse Suga em entrevista coletiva. “Portanto, é necessária uma decisão muito cuidadosa do governo.”

À medida que as infecções atingem níveis recordes, pesquisas de opinião mostram uma oposição cada vez maior à realização dos Jogos Olímpicos. Os casos de coronavírus no Japão chegaram a 300 mil  nesta quarta-feira (13), com o número de mortos de 4.187, disse a NHK.

Em uma pesquisa no fim de semana da NHK, apenas 16% dos entrevistados disseram que os Jogos devem ocorrer - 11 pontos percentuais abaixo da pesquisa anterior no mês passado - enquanto 77% acham que o evento deveria ser cancelado ou adiado.

Os Jogos estão programados para 23 de julho a 8 de agosto. As prefeituras a serem adicionadas ao estado de emergência a partir desta quinta-feira (14)  são Osaka, Kyoto, Hyogo, Fukuoka, Aichi, Gifu e Tochigi.


(Foto: AFP)
População deve manter afastamento social, diz PazuelloO ministro reafirmou que a população brasileira começará a ser vacinada ainda este mês.

Oministro da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu, hoje (13), a importância de os brasileiros continuarem seguindo as recomendações das autoridades de saúde como forma de tentar conter o aumento do número de casos do novo coronavírus (covid-19).

“Todo mundo deve estar focado em salvar vidas. Cada um no seu papel. Se o papel da pessoa é se prevenir para não ficar doente, tomar seus cuidados, manter o afastamento social, este é o papel dela”, disse o ministro, em Manaus, onde apresentou um balanço das ações dos governos federal e estadual para tentar controlar a disseminação do coronavírus no estado.

“Temos que nos cuidar. Temos que seguir as orientações dos gestores. Não adianta lutar contra isto”, disse Pazuello após afirmar que todos têm que colaborar para que o país consiga superar a doença. “O papel das equipes de mídia é informar, manter a população a par do que está acontecendo para que ela fique calma e confie em quem está trabalhando. O dos empresários é manter suas estruturas funcionando para preservar os empregos das pessoas, mas com a devida prevenção e cuidados médicos”.

O ministro reafirmou que a população brasileira começará a ser vacinada ainda este mês. E que as vacinas cuja segurança e eficácia forem comprovadas serão distribuídas para todo o país ao mesmo tempo, de acordo com a proporção populacional dos grupos considerados prioritários. Pazuello também ressaltou que a população deverá manter os cuidados que já vêm sendo recomendados, como o uso de máscara, o distanciamento social e a atenção à higiene das mãos e de objetos, mesmo após o início da vacinação.

“Vamos vacinar em janeiro. A vacina induz à produção de anticorpos, mas isto não acontece no dia seguinte. A literatura [médica] fala em 30 a 60 dias. Não é tomar a vacina no dia 20 e, no dia 22 estar na rua fazendo festa”, alertou Pazuello.


(Foto: Agencia Brasil)
Ford acende luz amarela no setor automotivo do PaísA saída da Ford pode desencadear uma debandada de montadora do Brasil

Em meio ao anúncio do fechamento das fábricas da Ford no Brasil, após 102 anos de produção local, uma luz amarela se acendeu para o setor automotivo nacional: será que outras empresas podem seguir o mesmo caminho e desistir do País? Por ora, a torneira de investimentos de gigantes automotivas não se fechou no País: apenas Fiat Chrysler e General Motors, somadas, vão aplicar R$ 25 bilhões por aqui nos próximos anos. Mas, segundo especialistas e fontes ligadas às próprias montadoras, a situação pode ser diferente em médio e longo prazos.

Embora descarte fechamentos de fábricas em série, o consultor Flavio Padovan, ex-presidente da Jaguar Land Rover no País e com passagens por Volkswagen e Ford, diz que "a saída da Ford serve para todo mundo abrir o olho". Isso porque, segundo ele, além de lidar com as questões estruturais que dificultam a atuação no Brasil, como a carga tributária, a baixa produtividade e o custo da mão de obra, o setor vive uma transformação global. "É um cenário muito ameaçador."

Um exemplo do problema: enquanto o mundo se desdobra para produzir mais carros elétricos - a Alemanha, por exemplo, já baniu a venda de veículos a combustão a partir de 2030 -, o Brasil ainda engatinha nessa área. Ex-presidente da Fiat e da Anfavea (associação que reúne as fabricantes nacionais de veículos), o executivo Cledorvino Belini lembra que o setor automotivo vive um momento claro de quebra de paradigmas com a eletrificação dos motores. "Temos de fazer nossos engenheiros reaprenderem, irem para esse lado", diz Belini.

Na visão do ex-presidente da Fiat, caso a tecnologia global caminhe para um lado e a produção brasileira vá para outro, o País pode ver seu parque industrial cair na irrelevância. Para ele, o modelo de produção brasileiro está "esgotado" e precisa evoluir rapidamente. "Não podemos chegar atrasados (nos carros elétricos), já que as emissões são um problema global."

Esse descompasso entre os objetivos globais da montadora e o portfólio das três fábricas brasileiras foi um dos fatores que levaram a Ford a desistir da produção em solo brasileiro. Segundo Padovan, havia anos que a montadora americana reclamava da baixa lucratividade dos modelos compactos - justamente seus carros-chefe por aqui, como EcoSport e Ka. "A Ford sempre fez com as picapes o dinheiro que não fez com o carro. Então, essa decisão faz sentido na estratégia de privilegiar a lucratividade."

Custo Brasil

Procurada pela reportagem, a Anfavea afirmou, em comunicado, não ver um risco sistêmico para o setor automotivo do País, com o fechamento de fábricas. No entanto, a associação apontou que o setor hoje trabalha com uma ociosidade superior a 50% nas unidades, que têm capacidade para produzir 5 milhões de veículos por ano. A associação das montadoras também critica a falta de medidas para a redução do custo de produção no País.

Diante das promessas não cumpridas de reformas que poderiam reduzir custos - como a tributária, por exemplo -, Padovan diz que está cada mais difícil para um executivo local "vender" projetos para aportes relevantes no Brasil. "O governo brasileiro está totalmente paralisado e não consegue levar adiante as medidas que precisam ser aprovadas. O cenário é de uma insegurança muito grande com o País."

O Estadão consultou ontem seis das maiores montadoras brasileiras sobre planos de investimentos futuros. Até o momento, duas delas - FCA e General Motors - anunciaram um ciclo de investimentos para os próximos anos de R$ 15 bilhões e R$ 10 bilhões, respectivamente (leia mais no quadro ao lado). As demais já encerraram ciclos anteriores (como Volkswagen, Renault e Honda) ou estão próximas de finalizar aportes já anunciados, como a Toyota, que está investindo R$ 1 bilhão em um novo modelo na fábrica de Sorocaba (SP).


(Foto: Agencia Brasil)
Taxa de eficácia geral da Coronavac é de 50,38%Índice fica pouco acima do mínimo de 50% exigido pela Anvisa

A CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, tem eficácia geral de 50,38%. A informação foi dada hoje (12) pelo governo de São Paulo. 

Na semana passada, o governo havia dito que a taxa de eficácia da vacina era de 78%. Mas isso se refere apenas à eficácia da vacina em relação a casos leves e que precisaram de alguma atenção médica. 

Esses resultados foram observados em estudos no Brasil realizados com profissionais da área da saúde, mais expostos ao vírus. Mas, quando são considerados também os casos leves e que não necessitaram de qualquer atendimento médico, a eficácia foi menor. “Outros estudos, de outros fabricantes, não incluíram casos de pessoas que tiveram dois dias de dor de cabeça, mesmo com resultado positivo de RT-PCR. Mas nós incluímos ”, disse Ricardo Palácios, diretor médico de pesquisa clínica do Instituto Butantan.

A eficácia geral é medida, durante os testes da vacina, comparando-se a quantidade de todos os casos (leves, moderados ou graves) que foram registrados de covid-19 entre os voluntários que foram vacinados e os voluntários que receberam placebo. Ao longo do estudo de eficácia no Brasil, 252 voluntários tiveram covid-19 de forma leve (sem necessidade de ajuda médica ), sendo que 85 deles haviam tomado vacina e 167, placebo (uma substância inócua). Dentre os voluntários no Brasil, 4.653 tomaram essa vacina e 4.599 tomaram placebo. 

Já o resultado de eficácia dos casos leves, em pacientes que precisaram receber alguma assistência médica, foi de 77,96%, sendo que sete pessoas haviam recebido a vacina, e outras 31, placebo.

A taxa de eficácia da CoronaVac está acima dos parâmetros mínimos exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A taxa mínima de eficácia de uma vacina recomendada é de 50% como parâmetro de proteção. Segundo o governo paulista, a taxa de eficácia foi mais baixa porque incluiu todos os casos de covid-19 relatados entre os voluntários, inclusive os casos leves. “A vacina consegue diminuir a intensidade da doença clínica em um ambiente de alta exposição. E esse efeito é maior quanto mais aumenta (a gravidade da doença)”, falou Palácios. 

Segundo o Butantan, a vacina garantiu proteção total contra casos graves e mortes provocadas pela doença. Nesse caso, sua eficácia foi de 100%. Nenhum voluntário que tomou a vacina morreu ou precisou de internação. 

A vacina é armazenada em temperatura de geladeira, entre 2ºC e 8ºC. “Temos hoje uma das melhores vacinas do mundo. Uma das vacinas que tem maior facilidade logística porque é transportada em temperatura ambiente, tem resistência fora da geladeira e pode chegar a qualquer cidade do país”, disse Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan.

Na semana passada, o governo paulista solicitou à Anvisa autorização para uso emergencial dessa vacina no Brasil. Esse pedido está em análise pela Anvisa.


(Foto: Folha de São Paulo)
Bolsonaro: Fechamento não é política correta contra a Covid-19Dirigindo-se à imprensa, Bolsonaro voltou a defender a liberdade das manifestações via redes sociais e afirmou que a liberdade de imprensa é plena em seu governo.

O presidente Jair Bolsonaro reiterou hoje (12) sua contrariedade ao fechamento total de comércios em função da pandemia. Durante cerimônia de comemoração dos 160 anos de fundação da Caixa – e da caderneta de poupança no Brasil –, Bolsonaro disse que não se pode falar em saúde sem emprego, e que vida e economia “andam de braços dados”.

“Eu peço a Deus que ilumine governadores e prefeitos para que não fechem tudo. Essa não é a política correta. Vida e economia andam de braços dados. Não podemos falar em saúde sem emprego”, disse o presidente na cerimônia, que ocorreu no Palácio do Planalto. De acordo com balanço divulgado de ontem do Ministério da Saúde, o Brasil acumula 8,1 milhões de casos confirmados e 203 mil mortes.

Dirigindo-se à imprensa, Bolsonaro voltou a defender a liberdade das manifestações via redes sociais e afirmou que a liberdade de imprensa é plena em seu governo.“Lamento, no entanto, o fechamento e a censura às mídias sociais. Elas não concorrem com vocês [imprensa]. Uma estimula a outra, e a liberdade não tem preço”, acrescentou.

 

Sobre a comemoração de 160 anos da Caixa Econômica Federal e da caderneta de poupança no Brasil, Bolsonaro destacou que o banco público levou paz à população ao ajudá-la a receber o auxílio emergencial. “Em momentos difíceis como a pandemia, [a Caixa] criou, em poucos dias, mais de 60 milhões de contas. Trabalhamos para levar paz aos homens e mulheres do Brasil”, disse ao destacar, também, a contratação de 3 mil pessoas com deficiência, pelo banco.

Em seu discurso, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que o banco bateu recorde de lucro em 2020, com os créditos imobiliários concedidos à população . “Em 20 dias, 50 milhões de brasileiros receberam o auxílio emergencial. E, em meio à pandemia, batemos o recorde de crédito imobiliário. Em consequência, a caixa nunca ganhou tanto dinheiro com o crédito imobiliário”.

Segundo ele, o banco terá, também, a menor taxa de inadimplência de todos seus 160 anos de existência. “Nunca emprestamos tanto e tivemos tão pouca inadimplência. Teremos um lucro que, não posso ainda informar [o valor], mas será recorde”.


(Foto: Agencia Brasil)
Covid-19: Mourão diz que tomará vacinaO governante declarou que sim, mas que não passará à frente na fila de vacinação.

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou hoje que tomará a vacina contra a covid-19, após ter contraído a doença, posição contrária à do Presidente Jair Bolsonaro, que tem recusado a imunização por já ter sido infectado.

Mourão, que hoje regressou ao trabalho após 12 dias de isolamento,tendo sofrido sintomas ligeiros, foi questionado pelos jornalistas se tomará algum imunizante contra o novo coronavírus. O governante declarou que sim, mas que não passará à frente na fila de vacinação.

"Dentro da minha vez. Eu sou o grupo 2, aí, de acordo com o planejamento. Não vou furar a fila", afirmou Mourão.

O vice-presidente mostra assim uma posição oposta a de Bolsonaro, que declarou publicamente, mais que uma vez, que não tomará a vacina contra o novo coronavírus porque já teve a doença no ano passado e considera estar imunizado, embora existam casos relatados de reinfecção no país.

Mourão, porém, justificou a sua decisão de tomar a vacina mesmo já tendo sido infectado pelo novo coronavírus, SARS-CoV-2, que causa a doença covid-19, afirmando que a vacinação é uma obrigação coletiva.

"Acho que a vacina é para o país como um todo, uma questão coletiva, não é individual. O indivíduo, aqui, está subordinado ao coletivo neste caso", disse o vice-presidente.


(Foto: Agencia Brasil)
Trump fala em "garantir uma transição de poder pacífica"Com um discurso de tom conciliador, Trump não mencionou fraudes, mas afirmou que todos os esforços dos últimos meses eram para garantir que a eleição fosse legítima

Em um vídeo publicado no Twitter na noite desta quinta-feira (7), o presidente Donald Trump condenou a violência dos manifestantes que invadiram o Congresso americano na quarta (6), chamando o ataque de odioso.

"Agora, o Congresso certificou os resultados. Uma nova administração tomará posse em 20 de janeiro. Meu foco agora se volta para garantir uma transição de poder pacífica, ordenada e contínua. Este momento exige cicatrização e reconciliação", disse.

Com um discurso de tom conciliador, Trump não mencionou fraudes, mas afirmou que todos os esforços dos últimos meses eram para garantir que a eleição fosse legítima. Ainda disse que foi ele o responsável por enviar a Guarda Nacional para ajudar os policiais do Capitólio a conter os vândalos.

Nesta quarta (6), a sessão conjunta do Congresso para certificar a vitória de Joe Biden nas eleições foi interrompida após apoiadores de Trump invadirem o Congresso. Insuflados pelo presidente, eles vandalizaram o local. Ao menos quatro pessoas morreram nos tumultos na capital do país, Washington.


(Foto: AFP)
RN vai receber primeiras doses da vacina neste mêsSegundo a governadora, a Sesap já está preparada para a vacinação, adquirindo seringas para aplicação da vacina

O Rio Grande do Norte deve começar a receber as doses para aplicação da vacina contra covid-19 até o dia 31 de janeiro. A informação foi confirmada pela governadora Fátima Bezerra em reunião com os prefeitos potiguares no fim da manhã desta sexta-feira (8) na Escola de Governo.

Segundo a governadora, a Sesap já está preparada para a vacinação, adquirindo seringas para aplicação da vacina e organizando o estoque já existente e com todo o espaço estrutural de armazenamento do insumo preparado.  O Ministério da Saúde assinou o contrato na noite desta quinta feira (7) de 46 milhões de doses da vacina Coronavac do Butantã, sendo 8 milhões ainda na primeira fase da vacinação.

"Fui dormir mais esperançosa ontem depois de ver os resultados do Butantan e a notícia do contrato de 46 milhões de doses pelo Ministério da Saúde", disse.

 

No encontro, Fátima ainda afirmou que os municípios são os responsáveis para pôr em prática a vacinação, mas que o Estado vai apoiar com a distribuição de insumos e qualificação das equipes. O Rio Grande do Norte possui em estoque 900 mil seringas e mais dois milhões estão em fase de aquisição.

 

Medidas de distanciamento

A governadora Fátima Bezerra pediu que os prefeitos suspendam eventos e festas previstos para este veraneio com a intenção de evitar aglomerações e o aumento do contágio do novo coronavírus.

O secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, também destacou a necessidade das medidas de distanciamento social até haver um cenário mais seguro da pandemia. Ele disse que o Rio Grande do Norte depende da autorização da Anvisa e da chegada das vacinas para organizar o cronograma, que já está com fases estabelecidas. "Até lá, temos uma longa travessia que necessita a manutenção dos cuidados", declarou Maia. Com informações da Tribuna do Norte.


(Foto: Folha de São Paulo)
Coronavac: Anvisa recebe pedido de uso emergencial do ButantanA agência estima que levará até dez dias para avaliar o pedido

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu nesta sexta-feira, 8, o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental, da vacina Coronavac. O pedido foi enviado pelo Instituto Butantan, que no Brasil conduz os estudos da vacina desenvolvida pela empresa Sinovac. A agência estima que levará até dez dias para avaliar o pedido.

Sem detalhar dados, o Butantan afirma que a Coronavac tem eficácia de 78% para evitar casos leves da doença e de 100% par quadros moderados e graves. O Ministério da Saúde pretende comprar 100 milhões de doses da vacina em 2021, ou seja, toda a produção do instituto.

Leia a íntegra da nota divulgada pela Anvisa:

"A Anvisa recebeu nesta sexta-feira (8/1) o pedido de autorização temporária de uso emergencial, em caráter experimental da vacina Coronavac. O pedido foi enviado pelo Instituto Butantan, que no Brasil conduz os estudos da vacina desenvolvida pela empresa Sinovac.

A Anvisa já iniciou a triagem dos documentos presentes na solicitação e da proposta de uso emergencial que o laboratório pretende fazer.

As primeiras 24h serão utilizadas para fazer uma triagem do processo e checar se todos os documentos necessários estão disponíveis. Se houver informação importante faltando, a Anvisa pode pausar o prazo e solicitar as informações adicionais ao laboratório.

Para fazer sua avaliação, a Anvisa vai utilizar as informações apresentadas junto com o pedido e também as informações já analisadas pela Anvisa por meio da Submissão Contínua. A análise do pedido de uso emergencial é feita por uma equipe multidisciplinar, envolve especialista das áreas de registro, monitoramento e inspeção. A equipe vem atuando de forma integrada, com as ações otimizadas e acompanhadas pela Comissão que envolve 3 Diretorias da Agência.

A meta da Anvisa é fazer a análise do uso emergencial em até 10 dias, descontando eventual tempo que o processo possa ficar pendente de informações , a serem apresentadas pelo laboratório.

Por fim, a Anvisa atua, conforme os procedimentos científicos e regulatórios, os quais devem ser seguidos por aqueles que buscam o a autorização de vacinas para serem utilizadas na população brasileira."


(Foto: Agencia Brasil)
Pazuello anuncia contrato com Butantan para 100 mi de dosesPazuello afirmou ainda que toda a produção do Butantan será incorporada ao PNI (Plano Nacional de Imunização).

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou nesta quinta-feira (7) que a pasta assinou um contrato para a compra de 100 milhões de doses da Coronavac -imunizante desenvolvido pelo instituto Butantan com a farmacêutica chinesa Sinovac.

De acordo com o ministro, o contrato prevê que as primeiras 46 milhões de doses serão entregues até abril, e o restante (54 milhões) será repassado pelo instituto paulista ao governo federal no decorrer do ano.

Pazuello afirmou ainda que toda a produção do Butantan será incorporada ao PNI (Plano Nacional de Imunização).

"Toda a produção do Butantan, todas as vacinas serão a partir desse momento incorporadas ao Plano Nacional de Imunização, distribuídas de forma equitativa e proporcional a todos os estados, da mesmo forma que a [vacina] da AstraZeneca".

O ministro argumentou que a celebração do contrato com o Butantan, que vinha em negociação, foi possível após a publicação, na quarta (6), de uma MP (Medida Provisória) que permite a aquisição de imunizantes sem licitação e mesmo antes do registro do produto na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

"Tem que ficar claro que oferecemos vacina grátis e voluntária, no que depender do Ministério da Saúde e da Presidência da República, para todos os brasileiros", afirmou.


(Foto: Agencia Brasil)
Coronavac tem eficácia de 78% contra a Covid-19O percentual se aplica à prevenção de casos leves da doença

A Coronavac, vacina que é a aposta do governador João Doria (PSDB-SP) no combate à Covid-19 e trunfo político contra seu rival Jair Bolsonaro, teve uma eficácia de 78% nos estudos finais realizados no Brasil.

O percentual se aplica à prevenção de casos leves da doença. Casos moderados e mortes foram completamente evitados no estudo.

Os dados foram apresentados à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em reunião na manhã desta quinta (7), quando o Instituto Butantan fez o pedido de registro emergencial do imunizante que irá produzir.

Eles foram revisados na Áustria pelo Comitê Internacional Independente, que acompanha os ensaios.

O órgão estadual patrocinou o estudo da fase 3, a final, da vacina criada pelo laboratório chinês. Desde 20 de julho, 13 mil profissionais de saúde voluntários em oito estados brasileiros, tendo recebido duas doses com 14 dias de intervalo entre elas.

Desses, cerca de 220 deles foram infectados pelo Sars-CoV-2. O Butantan, que não comentou os números, deverá detalhar em entrevista coletiva nesta tarde quantos receberam vacina e quantos, o placebo salino.

Outro dado importante, que já havia citado pelo governo: a Coronavac garantiu proteção total contra mortes nos voluntários vacinados que pegaram a Covid-19.

A divulgação ocorre depois de dois adiamentos e muita confusão acerca dos números. Para uma vacina ser aprovada, ela precisa ter ao menos 50% de cobertura, algo que o governo paulista já havia anunciado.

Inicialmente, São Paulo iria divulgar os números preliminares em 15 de dezembro. Só que o Butantan registrou que havia infectados suficientes no estudo para promover seu resultado final, e empurrou o anúncio para o dia 23.

Politicamente, havia grande desconfiança em São Paulo sobre como a Anvisa trabalharia, e um estudo final poderia ser registrado também na similar chinesa da agência, que prometia aprová-lo em três dias.

A partir daí, a Anvisa, que estimava em 45 dias a análise, poderia ser obrigada a avaliar a vacina em 72 horas, já que a agência chinesa é uma das que a legislação da pandemia reconhece para chancelar medicamentos –se não vetasse com bons motivos, a aprovação seria automática.

Só que na véspera do novo anúncio, conforme revelou o jornal Folha de S.Paulo, os chineses usaram o contrato de US$ 90 milhões (R$ 478 milhões hoje) assinado com São Paulo e represaram os dados para checagem com os outros estudos em curso.


(Foto: Agencia Brasil)
Congresso valida vitória de Biden e Trump reconhece derrotaDonald Trump reconheceu nesta quinta-feira a derrota, prometendo uma transição pacífica de poder

Depois do congresso norte-americano ter confirmado a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro, Donald Trump prometeu uma transição "ordeira" de poder.

"Apesar de discordar totalmente do resultado da eleição, com os fatos me dando razão, haverá uma transição pacífica em 20 de janeiro", disse Donald Trump, num comunicado divulgado pelo seudiretorde redes sociais, DanScavino, no Twitter.

"Sempre disse que continuaríamos a nossa luta para garantir que apenas votos legais seriam contados. Embora isto represente o fim do melhor primeiro mandato na história da presidência, é apenas o princípio da nossa luta por tornar a América Grande outra vez", acrescenta o comunicado.

O Congresso dos Estados Unidos ratificou a vitória de Joe Bidennas eleições presidenciais de novembro, na última etapa antes de ser empossado em 20 dejaneiro.

O vice-Presidente republicano, Mike Pence, validou o voto de 306 grandes eleitores a favor do democrata contra 232 para o Presidente cessante, Donald Trump, no final de uma sessão das duas câmaras, marcada pela invasão deapoiantesde Trump e que semeou o caos no Capitólio, em Washington.


(Foto: AFP)
Bomba é encontrada na sede do Comitê Nacional RepublicanoA sede do Comitê Nacional Democrata foi evacuada após a descoberta de um pacote suspeito.

Um artefato explosivo foi encontrado na sede do Comitê Nacional Republicano, em Washington, nesta quarta-feira (6). O item já foi destruído por um esquadrão antibombas, de acordo com uma autoridade do partido que não quis se identificar. A informação é do jornal americano The New York Times.

A sede do Comitê Nacional Democrata foi evacuada após a descoberta de um pacote suspeito, ainda não identificado, segundo um membro da legenda que também pediu anonimato.

Os dois comitês estão localizados a apenas alguns quarteirões do Congresso americano, invadido por manifestantes nesta tarde de quarta-feira.


(Foto: Folha de São Paulo)
Morre mulher baleada dentro do Capitólio durante protestosA vítima mortal foi baleada pelas autoridades durante a invasão do Capitólio por parte de manifestantes pró-Trump.

Morreu a mulher que tinha ficado em estado grave depois de ter sido baleada pela polícia durante a invasão ao Capitólio. A informação foi dada pela NBC News que cita vários elementos das autoridades.

A vítima mortal não foi identificada, mas uma mulher coberta de sangue foi vista num vídeo que circula nas redes sociais, recebendo tratamento médico, enquanto os paramédicos a levavam numa maca para fora doedifício.

A polícia já tinha confirmado anteriormente que uma pessoa tinha sido baleada poragentes dentro do prédio do Capitólio, mas não revelaram mais detalhes sobre as circunstâncias do tiroteio.

Várias outras pessoas, incluindo umagente, ficaram feridas e foram transportadas parao hospital.

Segundo o chefe da Polícia de Washington DC pelo menos 13 pessoas foram detidas por ligação ao motim no Capitólio.

Recorde-se quea sessão de ratificação dos votos das eleições presidenciais dosEUA teve de ser interrompida na tarde de hoje, devido aos distúrbios provocados pelos manifestantes pró-Trump no Capitólio.

Milhares de manifestantes se reuniram em Washington, protestando e contestando a vitória do democrata Joe Biden. Com o aumento das tensões, alguns dos manifestantes agiram de forma violenta e chegaram a invadir o edifício do Capitólio.


(Foto: Reprodução)
Capitólio invadido por manifestantes a favor de TrumpA sessão para contar e certificar a vitória de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, que estava acontecendo dentro do Capitólio, foi suspensa.

Asessão para certificar a vitória de Joe Biden como presidente dos Estados Unidos, que estava acontecendo dentro do Capitólio, foi suspensa. E o governador de Washington D.C. determinou toque de recolher a partir das 18h (horário local).

O clima no local é tenso. A Câmara dos Deputados está sendo evacuada.

Vários apoiadores de Donald Trump se juntaram na escadaria do Capitólio, em Washington DC, nos Estados Unidos para protestar sobre a realização da sessão de contagem e confirmação de Joe Biden como novo presidente dos EUA.

Apesar do lockdown feito pelos policiais, diversos manifestantes conseguiram invadir o Congresso.

Durante o protesto, os confrontos entre os manifestantes e as autoridades acabaram por obrigar à retirada de várias pessoas de escritórios do Capitólio.

Também os escritórios vizinhos foram evacuados no momento em que os confrontos se tornaram mais violentos com a polícia recorrendo a gás lacrimogênio e agressões, refere o Independent.

O jornal relata ainda várias tentativas de entrada no edifício que foram impedidas pelas autoridades. A multidão já teria conseguido passar quatro camadas de perímetros de segurança.

Os prédios alvo de evacuação foram o Madison e o Cannon.


(Foto: Reaturs)
Governo Federal confirma importação de vacina de OxfordAinda de acordo com o Itamaraty, as doses começam a chegar ao Brasil ainda neste mês de janeiro.

O Ministério das Relações Exteriores informou nesta terça-feira (5) que está confirmada a importação pelo Brasil de 2 milhões de doses da chamada vacina de Oxford produzidas na Índia.

Ainda de acordo com o Itamaraty, as doses começam a chegar ao Brasil ainda neste mês de janeiro. A importação, pela Fiocruz, foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas ainda não há autorização para aplicação na população.

"Está confirmada a importação de 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford produzidas na Índia, com data provável de entrega a partir de meados do corrente mês de janeiro", informou o ministério em resposta a questionamento da TV Globo.

O Itamaraty iniciou negociações após o instituto indiano Serum, responsável pela produção das 2 milhões de doses, informar, na segunda (4), que o governo da Índia havia proibido as exportações da vacina (leia mais abaixo).

Mais cedo nesta terça, em novo comunicado, o Serum já havia voltado atrás e informado que a exportação da vacina seria permitida a todos os países.

Após a resposta à TV Globo, os ministérios das Relações Exteriores e da Saúde divulgaram uma nota conjunta em que afirmam que "não há qualquer tipo de proibição oficial do governo da Índia para exportação de doses de vacina contra o novo coronavírus produzidas por farmacêuticas indianas."


(Foto: Agencia Brasil)
Bolsonaro: "Brasil está quebrado, não consigo fazer nada"Presidente conversou com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (5) a um grupo de apoiadores que o “Brasil está quebrado” e que, por isso, ele não consegue “fazer nada”.

O presidente deu a declaração durante uma conversa na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada, antes de seguir para o trabalho no Palácio do Planalto.

Bolsonaro foi abordado por um apoiador. Ao responder a ele, fez uma avaliação pessoal sobre a situação do país. O presidente também disse que o coronavírus foi "potencializado" pela mídia. O Brasil tem, até esta terça, 196.641 mortes pela Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa.

"Chefe, o Brasil está quebrado, chefe. Eu não consigo fazer nada. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus potencializado pela mídia que nós temos aí, essa mídia sem caráter”, afirmou Bolsonaro na conversa com os apoiadores.

A mudança na tabela do Imposto de Renda, mencionada por Bolsonaro, foi uma promessa de campanha do presidente.

Hoje, a faixa de isenção é de R$ 1.903,98. A última atualização nos valores da tabela foi feita em 2015. Somente em 5 dos últimos 24 anos a tabela foi reajustada acima da inflação. Com isso, os valores estão defasados.


(Foto: Agencia Brasil)
Covid: RN registra 35 novos óbitos e chega a 3.046 mortesAo todo, o Estado tem 120.024 casos e 3.046 óbitos pelo novo coronavírus confirmados.

O Rio Grande do Norte registrou 35 novos óbitos causados por covid-19, segundo o novo boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (5) pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap). Segundo órgão, foram seis mortes apenas nas últimas 24 horas nos municípios de Portalegre, Mossoró, Parnamirim, Touros e Natal. As outras 29 aconteceram em dias anteriores.

Ao todo, o Estado tem 120.024 casos e 3.046 óbitos pelo novo coronavírus confirmados. Outras 478 mortes ainda estão em investigação.
Nesta terça-feira, o Rio Grande do Norte está com 65,5% dos leitos críticos de covid-19 ocupados nas unidades de saúde. A Região Oeste é onde há a maior taxa de ocupação, com 72,2%. Em seguida vem a região Seridó, com 62,9% de ocupação e a Região Metropolitana, com 62% de leitos ocupados.
Índice de isolamento
Segundo o Mapa Brasileiro da Covid, o índice de isolamento social no Rio Grande do Norte ficou em 37,5% nesta segunda-feira (4), primeiro dia útil de 2021. O índice é o segundo menor da Região Nordeste, ficando atrás apenas do estado da Bahia, com 37% de isolamento. Na região, o maior índice de isolamento social é do Maranhão, com 40,6% de isolamento na segunda. Com informações da Tribuna do Norte.


(Foto: Assessoria)
Últimos dias de Presidência: Trump promete "luta dos diabos"As declarações foram feitas durante um comício na Geórgia

O Presidente dos Estados Unidos prometeu nesta segunda-feira (4), uma "luta dos diabos" para se manter no cargo, pedindo ao Congresso que não ratifique a votação do Colégio Eleitoral, que confirmou a vitória de Joe Biden.

As declarações foram feitas durante um comício na Geórgia para apoiar os candidatos republicanos ao Senado nas eleições de hoje, que vão determinar quem controlará a câmara alta do Congresso.

Durante o comício, Donald Trump dedicou a maior parte do discurso a queixar-se novamente do resultado das eleições presidenciais de 03 de novembro, que insiste ter ganho "por muito".

Horas antes, em Washington, tinha pressionado os legisladores republicanos a oporem-se formalmente à ratificação da vitória do democrata Joe Biden no Colégio Eleitoral, numa sessão conjunta do Congresso, agendada para quarta-feira.

A sessão, presidida pelo vice-Presidente norte-americano, Mike Pence, poderá arrastar-se pela noite dentro, apesar de ser esperado que o Congresso valide a votação do Colégio Eleitoral que deu a vitória a Biden.

"Espero que o nosso grande vice-Presidente seja bem sucedido. Ele é um grande homem. Claro que, se não conseguir, não vou gostar tanto dele", disse Trump, na Geórgia.

Os esforços para apoiar Trump no Congresso são liderados pelo senador Josh Hawley, do Missouri, e o lusodescendente Ted Cruz, do Texas, ambos potenciais candidatos à presidência em 2024, competindo pelo apoio dos eleitores do Presidente cessante.


(Foto: Reprodução)
Mostrar mais
Veja Também


Mais Blogs
Mais Recomendadas