×
Home
FocoNews
Clássico Rei
Carro e Campo
Mosaico
Fatos e Notas
Especial Foco
Acontece RN
RN em Foco
Espaço GEEK
Edições
Anuncie aqui
Fale conosco









#foco
news

MPF aponta interferência de Bolsonaro no ExércitoProcuradores abriram dois procedimentos de investigação para apurar uma ordem dada por Bolsonaro ao Comando Logístico do Exército (Colog)

Sob suspeita de ingerência na Polícia Federal, o presidente Jair Bolsonaro entrou agora na mira do Ministério Público Federal (MPF) por indícios de violar a Constituição ao interferir em atos de exclusividade do Exército, destaca o jornal O Estado de S. Paulo. Procuradores abriram dois procedimentos de investigação para apurar uma ordem dada por Bolsonaro ao Comando Logístico do Exército (Colog), no último dia 17, que revoga três portarias publicadas entre março e abril sobre monitoramento de armas e munições.

A procuradora regional da República Raquel Branquinho aponta a possibilidade de Bolsonaro ter agido para beneficiar uma parcela de eleitores e que não há espaço na Constituição "para ideias e atitudes voluntaristas" do presidente, ainda que pautadas por "bons propósitos". O desdobramento do caso pode levar a uma ação de improbidade na Justiça Federal ou à abertura de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF).

As portarias 46, 60 e 61, revogadas pelo comandante do Colog, general Laerte de Souza Santos, por exigência de Bolsonaro, foram elaboradas em conjunto por militares, policiais federais e técnicos do Ministério da Justiça. "Determinei a revogação das portarias (...) por não se adequarem às minhas diretrizes definidas em decretos", escreveu Bolsonaro no Twitter em 17 de abril.

Essas portarias estabeleciam o controle, rastreabilidade e identificação de armas e munições importadas e fabricadas pela indústria nacional, sob a finalidade de atividades esportivas, de colecionador e também para abastecer os quartéis. Na avaliação dos procuradores, ao revogá-las, o governo facilita o acesso do crime organizado a armas e munições desviadas. "A cidade do Rio de Janeiro é a face mais visível dessa ausência de efetivo controle no ingresso de armamento no País", observou Raquel Branquinho em ofício obtido pelo Estado.

Ex-braço direito da então procuradora-geral da República Raquel Dodge na área criminal e uma das integrantes do grupo escolhido pelo atual chefe do MPF, Augusto Aras, para atuar na Lava Jato, Raquel Branquinho é considerada uma procuradora linha dura, conhecida por seu trabalho em processos importantes, como o mensalão.

As normas estabeleciam diretrizes para identificação de armas de fogo, bem como para a marcação de embalagens e cartuchos de munições. Umas das regras revogadas, por exemplo, determinava que armas apreendidas pela Justiça cuja identificação tenha sido suprimida ou adulterada poderiam ganhar uma nova numeração.


(Foto: O Globo)
Diego Maradona morre aos 60 anos na ArgentinaO presidente da Argentina, Alberto Fernández, decretou luto nacional de três dias.

O ex-jogador de futebol argentino Diego Armando Maradona morreu nesta quarta-feira (25/11), aos 60 anos.

O astro, campeão da Copa do Mundo de 1986 pela Argentina e considerado um dos maiores jogadores da história, teve uma parada cardiorrespiratória, segundo a imprensa local.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, decretou luto nacional de três dias.

Ícone de futebol

Nascido em uma favela de Buenos Aires, Maradona escapou da pobreza para se tornar um astro do futebol considerado por alguns maior até do que Pelé.

O argentino, que marcou 259 gols em 491 partidas, derrotou o rival brasileiro em uma votação para determinar o maior jogador do século 20, antes que a Fifa mudasse as regras de votação para que os dois jogadores fossem homenageados.

Ostentava uma rara combinação de talento, extravagância, visão de jogo e velocidade que hipnotizava os fãs do esporte. Com uma trajetória cheia de altos e baixos, o jogador indignou torcedores com a polêmica "mão de Deus" na Copa de 1986 - um gol marcado supostamente com a ajuda da mão contra a Inglaterra nas quartas de final - e decepcionou outros após o mergulho profundo nas drogas e com as crises pessoais fora do campo.

A mão de Deus e o gol do Século

Parte da história internacional do atleta pode ser contada através dos 34 gols que marcou em 91 partidas que disputou pela seleção da Argentina.

Ele conduziu seu país à vitória na Copa do Mundo de 1986, no México, e a uma vaga na final quatro anos depois.

Foi nas quartas de final do torneio em 1986 que ocorreu o lance que se transformaria em uma das mais longevas polêmicas envolvendo Maradona.

A partida contra a Inglaterra aconteceu quatro anos depois da Guerra das Malvinas - em que a Argentina reivindicou, sem sucesso, a posse sobre o conjunto de ilhas no Atlântico. A lembrança do conflito adicionava mais rivalidade ao confronto em campo.

Aos 6 minutos do segundo tempo e com o jogo sem gols, Maradona pulou ao lado do goleiro adversário Peter Shilton e fez o gol após dar um soco na bola.

Ele disse mais tarde que o gol foi feito com "um pouco da cabeça de Maradona e um pouco da mão de Deus".

Quatro minutos depois, o jogador marcou o que foi descrito como o "gol do século" — pegando a bola em seu próprio campo antes de embarcar em uma corrida fascinante e labiríntica na qual driblou vários jogadores antes de contornar Shilton para marcar. Com informações da BBC.


(Foto: Reuters)
"Não vai ser uma 3ª gestão Obama", diz Biden à NBCBiden também informou que a transição formal de poder -aprovada ontem, após 16 dias de relutância de Trump e do órgão responsável- já está em curso

Em entrevista ao canal NBC News, o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, disse que seu mandato -que começa em 20 de janeiro- não será "uma terceira gestão Obama" devido à conjuntura radicalmente diferente.

Biden também informou que a transição formal de poder -aprovada ontem, após 16 dias de relutância de Trump e do órgão responsável- já está em curso, e que suas prioridades no início do mandato serão a distribuição da futura vacina contra a Covid-19 e a reabertura das escolas.

O democrata disse ser possível que a vacina comece a ser distribuída antes de sua posse (apenas para os profissionais da saúde, que terão prioridade), e que está "muito preocupado" com as escolas, mas que adaptá-las para reduzir os riscos de contágios seria "o maior gasto que poderíamos ter agora".

O presidente eleito ainda não falou com Donald Trump, mas seus respectivos chefes de gabinete já travaram contato. "É um começo lento, mas é um começo", disse. Com informações da Folha de São Paulo.


(Foto: Reprodução)
Brasil reporta 31.100 novos casos de Covid-19País contabiliza um total de 170.115 vítimas mortais desde o início da pandemia.

O Brasil notificou nesta terça-feira, 31.100 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e mais 630 mortes.Com esta atualização, o total acumulado de contágios sobe para 6.118.708 e o de vítimas mortais para170.115.

De acordo com os dados do Ministério da Saúde, 5.476.018 pessoas foram dadas como recuperadas e 472.575 são acompanhadas pelas autoridades de saúde.

O Brasil ultrapassa a marca de 170 mil mortes causadas pelo coronavírus (170.115) e registra 630 óbitos nas últimas 24h. No mesmo período, foram 31.100 casos confirmados de Covid-19 no país, somando 6.118.708 infecções nesta terça-feira.


(Foto: O Globo)
Guedes cita eventual 2ª onda de Covid: Governo preparadoSegundo ele, estudos feitos por sua equipe indicam que a chamada imunidade de rebanho já estaria sendo alcançada no país

O ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou nesta quinta-feira (19) que o governo enfrentará eventual segunda onda da pandemia do novo coronavírus assim como enfrentou a primeira. Embora afirme que o plano prioritário do Executivo é retomar a agenda de reformas, ele disse que a administração federal sabe reagir a choques.

Em apresentação no Congresso Brasileiro de Previdência Privada, o ministro afirmou que há sinais de chegada da segunda onda em algumas regiões, mas não deixou claro se estava se referindo ao Brasil ou a regiões do mundo.

Na primeira onda da pandemia, o governo decretou estado de calamidade pública, retirou travas fiscais e ampliou gastos públicos para mitigar os efeitos da doença na área da saúde e na economia. A equipe econômica planejava limitar essas despesas extraordinárias ao ano de 2020, mas já há pressão para continuidade de gastos com saúde e assistência social no ano que vem.


(Foto: O Globo)
Homem Negro é espancado e morto em supermercadoJoão Alberto Silveira Freitas foi morto em um supermercado Carrefour de Porto Alegre na noite desta quinta-feira, 19

Vizinho da vítima, Paulão Paquetá contou à reportagem ter testemunhado o espancamento e morte de João Alberto Silveira Freitas, 40 anos, em um supermercado Carrefour de Porto Alegre na noite desta quinta-feira, 19. "Estava chegando no local na hora das agressões. Eu estava a uns 10 metros quando começou. Tentamos intervir, mas não conseguimos", relata.

Paulão diz que a esposa da vítima, um homem negro, também viu o espancamento, mas foi impedida de intervir. "Ela viu o marido sendo morto", lamenta.

Segundo o líder comunitário, a vítima morava no IAPI, bairro nas proximidades do supermercado. "Não é primeira ocorrência do tipo É a primeira de óbito. Todo mundo sabe que são agressores (seguranças do local) mesmo."

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram parte das agressões e o momento que o cliente é atendido por socorristas. Em uma das gravações, o homem é derrubado e atingido por ao menos 12 socos. Ao fundo, uma pessoa grita "vamos chamar a Brigada (Militar)".


(Foto: Reprodução)
Bebê morre durante incêndio na UTI da Januário CiccoA criança era prematura extrema e tinha problemas de saúde diversos relacionados ao nascimento com apenas 24 semanas.

Um bebê prematuro morreu após um princípio de incêndio numa das alas da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC), localizada em Petrópolis, na zona leste de Natal, na madrugada desta sexta-feira, 20. O fogo começou na fiação do interruptor que fornecia energia elétrica para o aparelho de ar condicionado posicionado acima da incubadora na qual o bebê, do sexo masculino, estava internado havia quatro meses.

Conforme a assessoria de imprensa da maternidade, a criança era prematura extrema e tinha problemas de saúde diversos relacionados ao nascimento com apenas 24 semanas. Ela respirava e se nutria com a ajuda de aparelhos. A Maternidade Escola Januário Cicco é referência no Rio Grande do Norte para o atendimento de parturientes de alto risco e de bebês de prematuridade extrema.

Segundo relatos de trabalhadores que estavam de plantão ao longo da madrugada desta sexta-feira, que pediram sigilo de identificação, a fumaça foi vista saindo do interruptor e subindo para o aparelho de ar condicionado. Era 3h05 quando começou uma correria para a remoção dos bebês da ala atingida pelo fogo.

A assessoria de imprensa da maternidade confirmou que a fiação do prédio é antiga, mas que o "princípio de incêndio" foi prontamente controlado. A incubadora na qual estava o bebê que morreu foi desconectada dos pontos de fornecimento de oxigênio e alimentação parental, para que uma tragédia maior fosse evitada.

Entretanto, a equipe de profissionais de saúde não teve tempo de reconectar a incubadora em outro ponto de oxigênio. O bebê prematuro extremo chegou a ser reintubado, mas teve uma parada cardíaca e morreu.

O Corpo de Bombeiros foi acionado por volta das 3h30 para atender a ocorrência. Em menos de cinco minutos após o chamado, cinco bombeiros chegaram ao local, mas o princípio de incêndio já havia sido controlado. No entanto, assim que os bombeiros chegaram, foram informados pela equipe da maternidade que um bebê recém-nascido veio à óbito.

Na UTI neonatal há duas alas com 26 leitos, que ficam praticamente 100% ocupados frequentemente. Quando o incêndio começou, todos os bebês foram transferidos para outra área a tempo, conforme informou a maternidade, sem precisar o número exato de bebês internados no momento.

A instituição dará uma entrevista coletiva aos jornalistas para mais detalhes sobre as causas do acidente que estão sendo apuradas. Com informações do Estadão.


(Foto: Tribuna do Norte)
Pipa: quando a morte chega pela naturezaFamília é morta por desabamento de pedaço de falésia em uma das mais famosas praias do Nordeste

O paulista Hugo Pereira, 32 anos, sua esposa Stela Silva de Souza, 33 anos, e o filho do casal Sol de Souza Pereira, de 7 meses, foram surpreendidos e mortos por queda de pedaço de falésia na região da Praia dos Golfinhos, em Pipa, Rio Grande do Norte, ocorrido na manhã da terça-feira (17). Informações indicam que o casal, como outras pessoas das proximidades, tinham sido alertadas sobre o risco de desabamento de pedras da falésia.

O casal era morador da praia de Pipa. Stela, natalense, estudava Psicologi em universidade particular da capital do RN e tinha outro filho, Kaloã. Hugo Pereira fiocu conhecido no país por viajar vários estados e países em uma Kombi. Atualmente, administrava a pousada Morada da Brisa Pipa.


Família surpreendida por queda de falésia
Covid-19: ocupação em leitos da rede privada cresce no RNDos 71 internados, 31 estão em leitos clínicos e 40 em leitos críticos, especificamente em Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

A ocupação de leitos clínicos e críticos destinados ao tratamento da Covid-19 na iniciativa privada cresceu nos últimos sete dias. De acordo com o 220º Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), referente aos dados desta terça-feira (17), 71 pessoas estavam internadas em leitos da rede particular para tratamento da infecção. O número é 12,69% maior do que o registrado na última terça-feira (10), quando o número de internados em leitos desta tipificação era 63.

Dos 71 internados, 31 estão em leitos clínicos e 40 em leitos críticos, especificamente em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Em reportagem no último dia 14, a TRIBUNA DO NORTE  já mostrava que o crescimento vem sendo notado pelos diretores de hospitais particulares, que reabriram alas exclusiva para a Covid-19 que foram utilizadas entre abril e agosto.
Na reportagem supracitada, o presidente da Sociedade Riograndense do Norte de Infectologia, Igor Thiago Queiroz, relacionou o aumento dos casos ao retorno das aglomerações (inclusive em festas) e pelo descumprimento dos protocolos instituídos na reabertura
Regulação Sesap
Já em relação aos leitos públicos ou privados contratualizados pela saúde do RN, a taxa de ocupação dos leitos clínicos e críticos permanece estável. Em dados retirados da plataforma Regula RN, fonte oficial de dados relacionados à regulação de leitos Covid-19 no Rio Grande do Norte, até o início da manhã desta quarta-feira eram 170 pessoas internadas (84 em leitos críticos e 86 em leitos clínicos). Em relação a taxa de ocupação, a de leitos críticos permanece próximo aos 40% (41,38%) e a de leitos clínicos está em 30,18%. COm informnações da Tribuna do Norte.


(Foto: Elisa Elsie / Governo do RN)
Crise energética: Macapá tem novo apagão completoO senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também usou as redes sociais para denunciar que o apagão voltou a 100%

Macapá registrou novo apagão completo na noite desta terça-feira (17), segundo informações da rede Amazônica, afiliada da TV Globo no Amapá.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também usou as redes sociais para denunciar que o apagão voltou a 100%.

"Estamos novamente com APAGÃO TOTAL no Amapá. É URGENTE um esclarecimento das autoridades responsáveis sobre o que aconteceu neste momento", diz o texto publicado pelo congressista em rede social.

O ONS (Operador Nacional do Sistema) confirmou à TV Globo que houve uma ocorrência no Amapá nesta terça.

O estado ficou sem energia elétrica após incêndio em subestação de distribuição de energia elétrica. A queda do fornecimento de energia atingiu a capital, Macapá, e outros 13 dos 16 municípios do estado, onde vivem 782 mil pessoas -cerca de 90% da população estadual. Apenas Oiapoque, no extremo norte, e Laranjal do Jari, no extremo sul, não sofreram com a falta de eletricidade.

O governo criou um gabinete de crise para avaliar o problema.

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) espera finalizar em um prazo de dez dias o relatório sobre as causas do apagão que atinge o estado do Amapá há duas semanas. Em seguida, promete aplicar penalidades aos responsáveis.

"Vamos atuar com todo rigor e responsabilidade, buscando a responsabilidade dos atores envolvidos. Não vamos apurar somente a causa da falta do serviço de energia no Amapá e apresentar as medidas corretivas, mas também vamos apurar responsabilidades e aplicar punições. Entendemos que essa situação é completamente inaceitável", disse o diretor-geral da Aneel, André Pepitone da Nóbrega.


(Foto: O Globo)
Bolsonaro completa 10 dias sem reconhecer vitória de BidenO presidente só deverá reconhecer a vitória de Biden quando acabar a recontagem dos votos

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) completou nesta terça-feira (17) dez dias sem reconhecer Joe Biden como presidente eleito dos Estados Unidos.

As principais emissoras dos Estados Unidos projetaram a vitória de Biden no sábado (7), quando ele tinha 273 votos no colégio eleitoral.

Na sexta (13), a vantagem do democrata sobre o republicano Donald Trump ficou ainda maior quando ele atingiu o respaldo de 306 delegados, ao conquistar o Arizona e a Geórgia.

Para chegar à Casa Branca, o candidato precisava obter ao menos 270 de 538 votos possíveis. Trump alcançou, segundo as projeções, 232 votos.

O republicano tem posto em xeque as projeções e, sem apresentar provas, dito que houve votos ilegais no pleito. Com o argumento, o atual presidente americano foi à Justiça e pediu a recontagem de votos em alguns estados.

No domingo (15), Trump pareceu ter reconhecido pela primeira vez que Biden venceu as eleições em um post nas redes sociais, mas voltou atrás horas depois.

"Ele ganhou porque a eleição foi fraudada", postou Trump no Twitter, sem se referir a Biden pelo nome. A rede social adicionou um aviso na postagem de que as alegações do atual presidente são duvidosas.

Cerca de uma hora depois, em um novo post, Trump voltou atrás, dizendo que "não reconhece nada" e que Biden só foi o vencedor para a "imprensa de fake news".

Segundo assessores diretos de Bolsonaro, o presidente só deverá reconhecer a vitória de Biden quando acabar a recontagem dos votos, houver a formalização da vitória do democrata ou se Trump admitir antes a derrota.

Na quinta-feira (12), Bolsonaro questionou a apoiadores, de forma irônica, se as eleições já haviam acabado nos EUA.

O Colégio Eleitoral se reúne no dia 14 de dezembro, quando deve ser formalizada a vitória de Biden. Com informações da Folha de São Paulo.


(Foto: Istoé Dinheiro)
Estúdio Foco: O resultado das urnas repercutem nas cidadesO resultado das eleições em seis cidades diferentes comentado

Os jornalistas Isaías Paiva e Danilo Bezerra fazem uma análise dos resultados das Eleições 2020. Com uma abordagem clara, os resultados das cidades de São Paulo, Recife, Natal, Mossoró, Patu e Macaíba entram em discussão. Confira o vídeo!


(Foto: O Globo)

Eleições 2020: Centrão expande presença nas capitaisO Progressistas, partido de Lira, avançou em cidades do Norte e Nordeste

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o Centrão teve um bom desempenho nas urnas ontem. Líderes do grupo que dá as cartas no Congresso conseguiram eleger afilhados e avançar para o segundo turno em cidades importantes no País. As dez legendas do bloco (Progressistas, PSD, PL, PTB, Republicanos, PSC, Solidariedade, Avante, Patriota e Pros) fizeram ao menos 887 prefeituras, de acordo com os resultados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) até a 1h de hoje.

O desempenho do Centrão, grupo liderado pelo deputado Arthur Lira (AL), contrasta com a atuação do PSL, que até o ano passado era o partido de Bolsonaro. O PSL minguou. O Centrão raiz, porém, deve aumentar seu capital político nas negociações do Congresso nos próximos dois anos.

O Progressistas, partido de Lira, avançou em cidades do Norte e Nordeste, onde Bolsonaro tenta aumentar sua popularidade. Cícero Lucena (PP-PB) foi para o segundo turno de João Pessoa, capital da Paraíba. Apadrinhada pela deputada Jaqueline Cassol (Progressistas-RO), Cristiane Lopes conseguiu ir para a segunda rodada em Porto Velho, capital de Rondônia.

O crescimento da sigla comandada pelo senador Ciro Nogueira (PI) nessas regiões pode ter um peso importante nos próximos passos de Bolsonaro. Sem filiação desde o ano passado, o presidente é assediado pelo partido, pelo PTB de Roberto Jefferson e por uma ala do PSL, que quer o seu retorno.

Ainda nas capitais, o PSD conseguiu reeleger, neste primeiro turno, o prefeito de Belo Horizonte (MG), Alexandre Kalil. Em Campo Grande (MS), Marquinhos Trad também foi reconduzido à prefeitura. Comandado por Gilberto Kassab e com Fábio Faria ocupando o Ministério das Comunicações, o PSD também foi para o segundo turno em Goiânia (GO), com Vanderlan Cardoso.

Com o apoio de Bolsonaro, o Pros conseguiu levar Capitão Wagner para a segunda rodada em Fortaleza (CE). O partido ocupa cadeiras da vice-liderança do governo Bolsonaro no Congresso.

O Republicanos avançou com Marcelo Crivella, que conquistou o segundo turno no Rio, com o apoio de Bolsonaro. O vereador Carlos Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro, filhos do presidente, também estão na legenda.

Na lista dos partidos da base do governo, o Avante levou o ex-governador do Amazonas Davi Almeida para o segundo turno em Manaus, com aval do atual governador, Wilson Lima (PSC). O Patriota, por sua vez, passou para a segunda etapa da disputa em Belém (PA) com Delegado Eguchi.

Deputados. Dos 68 deputados concorrendo às prefeituras neste ano, poucos tiveram êxito. Oito vão seguir na corrida no segundo turno. O único eleito foi o deputado Juninho do Pneu (DEM-RJ), vice-prefeito na chapa de Rogério Lisboa (PP-RJ), em Nova Iguaçu (RJ).

No Recife, os primos João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) vão rivalizar o segundo turno na capital de Pernambuco. O deputado Edmilson Rodrigo (PSOL) está no segundo turno em Belém (PA). Em Boa Vista (RR), Ottaci Nascimento (Solidariedade) também segue na disputa no segundo turno.


(Foto: Reuters)
Eleições 2020: Àlvaro Dias é reeleito em 58% dos votosA vice na chapa é Aila Cortez, do PDT

O médico e atual prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), foi reeleito hoje (15) com 56,58% dos votos. Em segundo lugar, o candidato Senador Jean (PT) conseguiu 14,38% dos votos.

A vice na chapa é Aila Cortez, do PDT. Ele é o atual prefeito e assumiu a prefeitura de Natal em 2018 quando Carlos Eduardo (PDT) renunciou para disputar a eleição para o governo do estado.

Álvaro Dias nasceu em Caicó, no dia 4 de setembro de 1959. Formado em medicina, ingressou na vida pública aos 24 anos, quando assumiu a vice-prefeitura de Caicó e a secretaria municipal de saúde da cidade.

Foi deputado estadual por quatro mandatos e presidente da Assembleia Legislativa entre 1997 e 2002. Nas eleições-gerais de 2002, Álvaro concorreu ao cargo de deputado federal e conquistou a segunda maior votação do estado, assumindo uma cadeira em Brasília no ano seguinte.

Em 2010, Álvaro Dias disputou o governo do estado na chapa encabeçada pelo ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo, mas a dupla perdeu para a democrata Rosalba Ciarlini, eleita em primeiro turno.

Em 2016, ele novamente foi vice em uma chapa encabeçada por Carlos Eduardo Alves, dessa vez candidato a reeleição para prefeitura de Natal. A chapa foi eleita em primeiro turno. Dois anos depois, Carlos Eduardo abdicou do cargo para tentar o posto de governador do Rio Grande do Norte. Álvaro, então, assumiu a prefeitura da capital, cargo que ocupa atualmente.


Foto: Juliane Bezerra/Inter TV Cabugi
Eleições 2020: Rosalba perde para Allyson em MossoróAllyson se torna prefeito da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte aos 28 anos

Com 47,52% dos votos (65.297), o deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) foi eleito neste domingo, 15, o novo prefeito de Mossoró. Ele superou a atual prefeita Rosalba Ciarlini (Progressistas), que recebeu 42,96% (59.034).

A diferença de Allyson para Rosalba foi de apenas 4,56% (6.263), o que comprova a campanha acirrada que Mossoró teve. A terceira colocada foi a deputada estadual Isolda Dantas (PT), com 5,86% (8.051 votos).  A ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) terminou em quarto lugar, com 2.94% (4.046 votos).  O quinto colocado foi o Professor Ronaldo (Psol), com 0,44% (611 votos). A irmã Ceição (PTB) terminou na lanterna das eleições, com 0,28% (378 votos).

Allyson se torna prefeito da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte aos 28 anos. Natural de Mossoró, viveu na zona rural até os 12 anos no sítio da família e é formado em Engenharia Civil. Na juventude, se tornou membro da Igreja de Cristo e passou a liderar a comunidade de jovens, chegando a ocupar cargos a nível regional e nacional. Em 2018, se elegeu deputado estadual com mais de 13 mil votos. Na campanha deste ano, o novo prefeito de Mossoró se consolidou como nome de oposição à Rosalba Ciarlini. 


(Foto: Divulgação)
Eleições 2020: Covas e Boulos disputam 2º turno em SPTucano obteve 32,85% dos votos válidos, contra 20,24% do candidato do PSOL

O segundo turno das eleições para prefeito de São Paulo será disputado entre os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL). Segundo a Justiça Eleitoral, com 99,67% dos votos apurados neste domingo (15), Covas teve 32,85% (1.747.938 votos válidos) e Boulos, 20,24% (1.077.168 votos válidos).

Até o dia da eleição, a composição do segundo turno ainda era incerta por conta da disputa acirrada entre os quatro primeiros colocados nas pesquisas eleitorais.

As primeiras pesquisas apontavam Celso Russomanno (Republicanos) na frente nas intenções de voto, mas o candidato foi caindo ao longo das semanas seguintes, como já havia ocorrido anteriormente quando tentou o cargo nas eleições de 2016 e 2012.

Na reta final, Covas assumiu a liderança e Guilherme Boulos (PSOL) e Márcio França (PSB) ficaram tecnicamente empatados com Russomanno no segundo lugar. Neste domingo, no entanto, Russomanno terminou a corrida em quarto lugar com 10,5% dos votos válidos, atrás de França, com 13,65%.

O resultado das eleições de São Paulo ficou horas empacado em 0,39% das urnas apuradas por uma falha em processadores de um computador do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que provocou lentidão na totalização dos votos e, consequentemente, na divulgação dos resultados.


Foto: Paulo Guereta/Agência O Dia/Estadão Conteúdo e Renato Gizzi/Agência O Dia/Estadão Conteúdo
Eleições 2020: índice de abstenção ficou em 23,14%O número foi comemorado por Barroso, que anteriormente havia previsto uma abstenção na casa dos 30%

Marcada por pandemia do novo coronavírus, as eleições 2020 tiveram 23,14% de abstenção no primeiro turno, informou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, na madrugada desta segunda-feira, 16. O número foi comemorado por Barroso, que anteriormente havia previsto uma abstenção na casa dos 30%. O nível histórico é de 20%, segundo o ministro.

"Certamente vai ficar em menos de 23,5%. Extraordinário porque nas últimas eleições foi mais de 20% e nesta eleição, 23%, em meio a uma pandemia. Mais um fator que precisamos comemorar", disse Barroso, observando que o número final pode ter alguma pequena variação no momento em que 100% das urnas forem apuradas. Segundo Barroso, foram 3,9 milhões de votos em branco, e cerca de 7 milhões nulos.

Aperfeiçoamento

Ao ser questionado sobre a declaração do presidente Jair Bolsonaro, que citou um sistema eleitoral "aperfeiçoado" para 2022, Luís Roberto Barroso, disse que "tudo nessa vida pode ser aperfeiçoado ao longo do tempo". "Portanto a resposta é sim", disse ao ser perguntado se avaliava essa necessidade.

Bolsonaro é defensor do voto impresso para as próximas eleições presidenciais, sistema que já foi declarado inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal (STF), inclusive com o voto de Barroso.

Ao ser questionado sobre quais aperfeiçoamentos devem ser feitos, o presidente do TSE citou o projeto "Eleições do futuro", que testam novas formas de votação eletrônica, e a própria superação do problema técnico enfrentando na totalização dos votos.


(Foto: Bem Paraná)
Candidato a prefeito de Natal agride equipe de reportagemLeocádio agarrou o telefone celular e disse que não fala com a imprensa

O candidato a prefeito de Natal Sérgio Leocádio (PSL) e correligionários agrediram uma equipe de reportagem da Tribuna do Norte na manhã deste domingo (15), na UNP da avenida Engenheiro Roberto Freire, um dos maiores locais de votação da zona Sul de Natal. O candidato não vota no local. 

A reportagem da Tribuna do Norte estava na UNP para acompanhar a votação, quando o candidato chegou ao local acompanhado por algumas pessoas. Ao avistarem Sérgio Leocádio, o repórter Ícaro Carvalho foi até o candidato para entrevistá-lo. No entanto, quando estava com o celular gravando, Leocádio agarrou o telefone celular e disse que não fala com a imprensa e fez acusações sobre suposto favorecimento a outros candidatos.
O repórter fotográfico Magnus Nascimento registrava a entrevista, quando o candidato disse que ele não fizesse as fotos e apontou o dedo no rosto do profissional de imprensa. Além disso, Leocádio arrancou a máscara do repórter fotográfico e pessoas que acompanhavam o candidato (um utilizando algemas penduradas no pescoço) xingaram a equipe. As informações são da Tribuna do Norte. 


Foto: Magnus Nascimento
Resultado das eleições 2020 segue com atraso no país O que está ocorrendo, diz a assessoria do tribunal, é uma demora no envio em tempo real dos dados do sistema de total.

O sistema da Justiça Eleitoral para a divulgação em tempo real dos resultados das eleições passa no início da noite deste domingo (15) por um atraso na atualização das informações. O atraso na divulgação dos dados foi confirmado pelo TSE.

Segundo informou a assessoria de comunicação do tribunal, não foi registrado nenhum problema na apuração e totalização dos votos, que dependem da transmissão dos dados de cada TRE (Tribunal Regional Eleitoral) nos estados ao TSE, em Brasília.

O que está ocorrendo, diz a assessoria do tribunal, é uma demora no envio em tempo real dos dados do sistema de total.


(Foto: O Globo)
País registra 1.637 ocorrências de crimes eleitoraisDeste total, 783 se referem à boca de urna e 332, à compra de votos.

O Ministério da Justiça de Segurança Pública alterou os dados divulgados no boletim das 17 horas referentes a crimes praticados contra candidatos durante as eleições deste domingo.

O documento de agora informa que, ao todo, foram registradas 38 ocorrências de crimes contra candidatos, mesmo dado informado anteriormente. No entanto, houve mudança no número detalhado por tipo de caso.

Agora, a pasta diz que foram 26 ocorrências por ameaça a candidato e seis por homicídios tentados, além dos mesmos seis casos por lesão corporal informados antes. A versão anterior citava ainda oito ocorrências por homicídio contra candidato, dado que não consta mais do boletim corrigido.

As informações sobre ocorrências de crimes eleitorais (1.637) e o total geral de todos os crimes registrados (2.171) não tiveram alteração.

Primeiro boletim

O Ministério da Justiça e Segurança Pública informou que o País registra até agora 1.637 ocorrências de crimes eleitorais neste domingo do primeiro turno das eleições municipais. Deste total, 783 se referem à boca de urna e 332, à compra de votos.

Os dados constam de boletim divulgado às 17h pela Operação Eleições 2020, coordenada pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), vinculado à pasta da Justiça.

Dentre os crimes eleitorais, também foram registradas ocorrências por fake news (34), transporte de eleitores (92) e dano à urna de votação (1), entre outros.

O boletim aponta ainda 38 crimes contra candidatos, dos quais 123 por ameaça, dez por homicídios tentados, oito por homicídio contra candidato e seis casos de lesão corporal.

No total geral, incluindo crimes eleitores e demais tipos de crimes, foram registradas no País 2.171 ocorrências até a divulgação do boletim das 17h.


(Foto: O Globo)
Apagão do Amapá: Presidente aponta motivação políticaAs eleições municipais foram suspensas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Macapá

O presidente Jair Bolsonaro sugeriu na noite desta quinta-feira, 12 que pode haver interesse político por trás do incêndio causador do apagão no Amapá. "Estamos próximos às eleições. Pode ter interesse político, mas espero que não", disse o presidente, durante live nas redes sociais.

De acordo com Bolsonaro, a Polícia Federal "está em condições" de investigar as causas do incêndio e elaborar um laudo sobre o ocorrido. "Liguei para a PF, como chefe do ministro da Justiça e como quem nomeia o diretor-geral, para saber o andamento dessa questão. Não estou interferindo em nada", declarou o líder do Planalto, em referência indireta ao episódio em que foi acusado pelo ex-ministro da Justiça Sergio Moro de interferir na PF e forçar a nomeação de Alexandre Ramagem para a direção-geral da corporação.

Devido aos desdobramentos do apagão e a pedido do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), as eleições municipais foram suspensas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em Macapá, mas mantidas no restante do Estado. O líder das pesquisas à prefeitura da capital amapaense é Josiel Alcolumbre (DEM), irmão do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM).


(Foto: Reprodução)
Mostrar mais
Veja Também


Mais Blogs
Mais Recomendadas