×
Home
FocoNews
Clássico Rei
Carro e Campo
Mosaico
Fatos e Notas
Especial Foco
Fotos
RN em Foco
Espaço GEEK
Edições
Anuncie aqui
Fale conosco









#foco
news

Eleições: voto nulo e branco é o mais forte em 16 anosSegundo Datafolha, 13% dizem que não escolherão candidato; convicção do grupo é de 61%

Falta menos de um mês para as eleições de 2018 e 13% dos eleitores afirmam estar dispostos a anular seu voto ou votar em branco para presidente. Os dados são da pesquisa Datafolha divulgada na última sexta-feira (14).

Segundo destaca a Folha de S. Paulo, o voto nulo e branco é o mais forte em 16 anos. E mais da metade dos eleitores estão convictos da decisão, dos que optam pelo voto nulo ou branco, 61% dizem que não mudarão de opinião.

O índice é bem superior ao encontrado em pesquisas Datafolha feitas cerca de um mês antes das eleições de 2014, 2010, 2006 e 2002 — era 6% em 2014 e 4% nas demais.

Nas eleições de 2014, 9,6% dos eleitores de fato anularam ou votaram em branco. Em 2010, foram 7%. A parcela de votos nulos e brancos pode ser superior, segundo o levantamento.

O diretor do Datafolha, Mauro Paulino, considera que o alto índice de intenções de voto nulo ou branco —e de convicção— revela uma “manifestação de descontentamento dos eleitores, de não se sentirem contemplados pela oferta de candidatos e de partidos que está aí”.

“O que a gente tem até aqui mostra ser grande a probabilidade que a gente tenha uma taxa de brancos e nulos maior do que nas últimas eleições”, diz Paulino. Com informações do portal Notícias no Minuto. 


(Foto: Exame)
'Desinformação deliberada tem de ser combatida', diz Weber Em entrevista à imprensa, a ministra ponderou, contudo, que a Justiça Eleitoral não enfrenta "boatos com boatos"

A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Rosa Weber, defendeu neste domingo (21) que as chamadas "fake news" devem ser combatidas no país.

Em entrevista à imprensa, ela ponderou, contudo, que a Justiça Eleitoral não enfrenta "boatos com boatos" e avaliou que há um tempo para uma resposta em respeito ao devido processo legal.

"A desinformação deliberada ou involuntária que visa ao descredito há de ser combatida com informação responsável e objetiva, tudo com a transparência que exige um estado democrático de direito", disse.

Ela avaliou que as paixões políticas estão "exacerbadas" e os níveis de discórdia atingiram "graus inquietantes" no segundo turno da disputa presidencial, mas que são comportamentos naturais no processo eleitoral.

"As ações judiciais exigem observância ao devido processo legal. A resposta da instituição há de ser responsável após análise das imputações", afirmou.

A ministra pregou que sem imprensa livre não há democracia e defendeu a utilização da urna eletrônica. Segundo ela, não possuem "base empírica" as "criativas teses que atentam contra a lisura do processo eleitoral".

"O sistema eletrônico é auditável, já que qualquer fraude nele deixaria necessariamente digitais", afirmou. "Confiem na Justiça Eleitoral. Ela é a maior arma para o eleitor", acrescentou.

Segundo ela, no entanto, o TSE está sempre aberto a "críticas construtivas" e a "correção de falhas que venham a ser constatadas". Com informações da Folhapress.


(Foto: Carlos Moura/Ascom/TSE)
PF abre inquérito para investigar fake newsAs matérias dos jornais apontaram uma rede de empresas contratadas para efetuar os disparos em massa.

A Polícia Federal (PF) instaurou hoje (20) inquérito para investigar a disseminação de mensagens pelo WhatsApp referentes aos candidatos à Presidência da República.

O pedido de abertura de investigação foi feito pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Ela  quer que a PF apure o possível uso de esquema profissional por parte das campanhas, com o propósito de propagar notícias falsas, as chamadas fake news.

Esta semana, jornais publicaram matérias segundo as quais empresas de marketing digital, custeadas por empresários que apoiam o candidato à Presidência, Jair Bolsonaro, estariam disseminando conteúdo em milhares de grupos do aplicativo.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também abriu processo, depois de ação ajuizada pela candidatura de Fernando Haddad (PT) na quinta-feira (18).

Ao rebater as acusações, pelo Twitter, Jair Bolsonaro afirmou que não tem controle sobre apoios voluntários e afirmou que o PT não está sendo prejudicado por fake news, mas pela “verdade”.

As matérias dos jornais apontaram uma rede de empresas contratadas para efetuar os disparos em massa.

Os contratos, que chegariam a R$ 12 milhões, seriam bancados por empresários próximos ao candidato.

Para a procuradora Raquel Dodge, o quadro de possível interferência na formação de opinião dos eleitores com atuação dessas empresas com mensagens que podem caracterizar ofensas aos dois candidatos “afronta a integridade do processo eleitoral”.


(Foto: UOL)
Água Nova terá eleição suplementar para prefeitoO novo pleito vai ocorrer no dia 25 de novembro de 2018

Na última sessão plenária (16), Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) estabeleceu que as eleições suplementares para os cargos de prefeito e vice-prefeito do município de Água Nova/RN ocorram no dia 25 de novembro de 2018, conforme calendário disponibilizado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para este ano. A decisão foi proferida pelo presidente do TRE-RN, Desembargador Glauber Rêgo, juntamente com os membros da corte eleitoral e a Procuradora Regional Eleitoral do RN.

As eleições suplementares serão realizadas em conformidade com a Resolução do TSE nº 23.280/2010, em virtude da cassação e perda de mandato da prefeita Iomária Carvalho, e seu vice, Elias Raimundo, por abuso de poder político e econômico, bem como por compra de votos nas Eleições de 2016. O município de Água Nova/RN pertence à 65ª zona eleitoral e possui 2.551 eleitores. O novo pleito ocorre nas mesmas condições de uma eleição convencional, mas com prazos mais curtos:

23 de outubro de 2018: último dia para a realização de convenções partidária

24 de outubro de 2018: último dia para o candidato escolhido em convenção desincompatibilizar-se

26 de outubro de 2018: último dia para os partidos políticos ou coligações apresentarem no Cartório Eleitoral, até às 19h00, o requerimento de registro de candidatos a prefeito e vice-prefeito.


(Foto: Blog do Cobra)
RN terá "lei seca" no domingo do 2º turno das eleiçõesNo dia das eleições, o Itep e as forças policiais atuarão em regime de plantão.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) publicou, neste sábado, 20, portaria que estabelece a “Lei Seca” no domingo das eleições do segundo turno. A portaria proíbe a comercialização ou consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos, bares, restaurantes e estabelecimentos afins, entre 6h e 18h, no dia 28 de outubro.

De acordo com a portaria, “o objetivo é promover a defesa dos direitos do cidadão e da normalidade social, através dos órgãos e mecanismos de segurança pública integrando as ações do Governo com vistas à preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio do Estado”.

No dia das eleições, o Itep e as forças policiais atuarão em regime de plantão.


(Foto: Reprodução/G1/CBN)
Cid Gomes: Haddad é 'o menos ruim para o Brasil'Aos eleitores, disse que não deviam criar muitas expectativas, mas que deviam votar em Haddad, para evitar que Jair Bolsonaro (PSL) chegue ao poder

O senador eleito Cid Gomes (PDT-CE) se viu fazendo campanha para o presidenciável que considera o "menos ruim para o Brasil" neste sábado (20).

Foi assim que descreveu Fernando Haddad (PT) enquanto distribuía adesivos com o nome do petista em Sobral, no Ceará, berço político dos Ferreira Gomes.

Aos eleitores, disse que não deviam criar muitas expectativas, mas que deviam votar em Haddad, para evitar que Jair Bolsonaro (PSL) chegue ao poder -candidato que considera uma "aventura obscurantista".

Em evento de apoio a Haddad na última segunda-feira (15), Cid cobrou da direção do PT que se desculpe pelos erros que cometeu. Foi vaiado pela plateia e ouviu um grito de "Lula livre", ao qual respondeu que "o Lula tá preso, babaca". Ele ainda disse que o partido merece perder caso não faça uma autocrítica.

Em Sobral, ele disse que seu projeto ideal é o de ver seu irmão, Ciro Gomes (PDT), derrotado nas eleições no primeiro turno neste ano, presidente. "Ciro presidente, se não é agora, será se Deus quiser, em 2022." Com informações da Folhapress.


(Foto: Destak Jornal)
TSE investiga relação de Bolsonaro com mensagens anti-PTAo atender a pedido do PT, corregedor Jorge Mussi mandou notificar o candidato do PSL e deu prazo para que ele se manifeste

O corregedor do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Jorge Mussi, decidiu na noite desta sexta-feira (19) abrir ação para investigar a compra de disparos em massa de mensagens anti-PT pelo WhatsApp. Mussi atendeu a um pedido do PT contra o adversário Jair Bolsonaro (PSL).

No entanto, o ministro negou o pedido de medidas cautelares feito pelos advogados do PT, que queriam que houvesse busca e apreensão de imediato, e deixou de analisar o pedido de quebra de sigilo das empresas suspeitas.

Mussi mandou notificar Bolsonaro e abrir prazo de cinco dias para que ele se manifeste. 

Reportagem publicada pela Folha nesta quinta-feira (18) mostrou que empresas bancaram uma campanha de mensagens anti-PT com pacotes de disparos em massa.

Também nesta sexta, o WhatsApp enviou notificação extrajudicial para as agências Quickmobile, Yacows, Croc services e SMS Market determinando que parem de fazer envio de mensagens em massa e de utilizar números de celulares obtidos pela internet, que as empresas usavam para aumentar o alcance dos grupos na rede social. Com informações do jornal Folha de São Paulo.


(Foto: Carl de Souza/AFP)
TSE libera R$ 1,37 mi em crédito para o TRE potiguarAlém do TRE do Rio Grande do Norte, outros oito Estados irão receber os recursos. Foram liberados R$ 5,5 milhões.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) liberou crédito suplementar de R$ 1,37 milhão para a Justiça Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE). O dinheiro será utilizado para o julgamento de causas e para a gestão administrativa do Colegiado potiguar.

Além do TRE do Rio Grande do Norte, outros oito Estados irão receber os recursos. Foram liberados R$ 5,5 milhões.

A lista de Cortes eleitorais beneficiadas foi publicada na edição desta quinta-feira, 18, do Diário Oficial da União (DOU).

Vale lembrar que a Justiça Eleitoral potiguar gastou R$ 7,2 milhões para o custeio do primeiro turno e irá utilizar R$ 2,05 milhões para o segundo turno. Já o custo estimado com pessoal será de R$ 5,7 milhões.


(Foto: Divulgação)
Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%: vitória encaminhadaPesquisa Datafolha dos dias 17 e 18 deste mês aponta consolidação de liderança para o candidato Jair Bolsonaro (PSL)

A última pesquisa Datafolha, feita na quara-feira (17) e na quinta-feira (18) para presidente da República mostra consolidação da larga vantagem do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que chegou a 59% de votos válidos, contra o candidato Fernando Haddad (PT) que oscilou para baixo 1 ponto percentual com relação a pesquisa anterior, de 10 deste mês, e agora está com 41%.

A pesquisa representou um balde de água fria nas hostes petistas, se é que precisava de algum, e indica uma posição firme da grande maioria do eleitorado na preferência pelo candidato do PSL.

Essa grande maioria se faz sentir em recortes da pesquisa como o das faixas etárias. Jair Bolsonaro ganha entre os eleitores com idade de 16 a 24 anos: Jair Bolsonaro, 48%; Fernando Haddad, 39%; de 25 a 34 anos: Jair Bolsonaro, 50%; Fernando Haddad, 35%; de 35 a 44 anos: Jair Bolsonaro, 50%; Fernando Haddad, 37%; de 45 a 59 anos: Jair Bolsonaro, 49%; Fernado Haddad, 36%; e de 60 anos ou mais: Jair Bolsonaro, 54%; Fernando Haddad, 31%.

A pesquisa do Datafolha entrevistou 9,137 eleitores em 341 municípios de todas as regiões do país e a margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.


Bolsonaro consolidade como favorito
Governo adia resultado do concurso da PMDivulgação do resultado estava prevista para a quarta (17). Ao todo, são 1.000 vagas para soldado.

A Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social do Rio Grande do Norte informou que o resultado do concurso público para soldado da Polícia Militar, realizado pelo Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (IBADE), será divulgado nesta sexta-feira (19) no Diário Oficial do Estado. A divulgação deveria ter sido feita nesta quarta (17), mas não foi informado o motivo para o adiamento.

Ainda de acordo com a Sesed, serão divulgadas as seguintes questões:

Respostas aos recursos contra o gabarito preliminar oficial da prova objetiva;

Gabarito preliminar oficial da prova objetiva;

Resultado preliminar da prova objetiva;

Abertura de pedido de revisão do resultado preliminar da prova objetiva.

Ao todo, o concurso teve 12.841 candidatos inscritos para 1.000 vagas. Porém, de acordo com a banca organizadora do concurso, 60% dos concorrentes não compareceram à prova.


(Foto: Divulgação)
Início do horário de verão não será alterado pelo ENEMNo começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que iria adiar a data para o dia 18 de novembro

Depois de muito vai e vem o Palácio do Planalto decidiu que irá manter o começo do horário de verão para o dia 4 de novembro. Normalmente, o horário tem início em outubro, mas, por conta do segundo turno das eleições, a mudança foi adiada.

Como o dia 4 de novembro cai no mesmo dia do Exame Nacional do Ensino Médio, Enem, o Ministério da Educação solicitou ao presidente Michel Temer que a data do início do horário de verão fosse adiada para não prejudicar os candidatos.

No começo do mês, o governo federal chegou a anunciar que iria adiar a data para o dia 18 de novembro, mas agora, depois de um estudo de viabilidade feito pelos ministérios de Minas e Energia e Transportes, foi concluído que a nova mudança seria inviável.

Ou seja, no dia 4 de novembro, os moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país devem adiantar os relógios em uma hora. Agora, o leste do Amazonas, Roraima e Rondônia deixam o relógio atrasado em duas horas em relação a Brasília. Já o Acre e a parte oeste do Amazonas atrasam o relógio em três horas em relação ao horário oficial do país.


(Foto: NYT)
Deputados pedem ao MP investigação contra BolsonaroUma reportagem da Folha de S.Paulo revelou a compra, por empresas, de pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp

O deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) protocolou junto à PGE (Procuradoria-Geral Eleitoral) um pedido de investigação em decorrência de reportagem da Folha de S.Paulo desta quinta-feira (18) que revela a compra, por empresas, de pacotes de disparos em massa de mensagens contra o PT no WhatsApp.

A prática é considerada ilegal já que se trata de financiamento empresarial de campanha, o que é proibido por lei, e, ainda por cima, não é declarado.

Wyllys diz no pedido, feito nesta quinta, que a reportagem indica atos ilícitos, como caixa dois e abuso de poder econômico, e que o resultado da eleição pode ser fraudado com a iniciativa dos apoiadores do candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

O congressista pede "providências junto à Justiça Eleitoral para punir a chapa presidencial em questão de acordo com a lei, inclusive, se for o caso, com a cassação da chapa".

Em outro pedido ao Ministério Público, o deputado federal petista Jorge Solla (BA) requer uma investigação sobre a divulgação de notícias falsas pela candidatura de Bolsonaro.

Solla escreveu que o candidato do PSL tem, por exemplo, vinculado, o candidato Fernando Haddad (PT) com a distribuição do livro "Aparelho Sexual e Cia". O deputado, porém, sustenta que o próprio Ministério da Educação, comandado por Haddad até 2012, afirma que nunca produziu, adquiriu ou distribuiu a obra.

O deputado do PT diz que uma eleição "viciada de falsidade" é passível até de anulação e pede que, "ao final, seja provocado o Tribunal Superior Eleitoral para que sejam anulados os votos direcionados ao candidato Jair Messias Bolsonaro nas eleições gerais de 2018, especialmente no segundo turno". Com informações da Folhapress.


(Foto: O Globo)
Ibope: Fátima, 54%; Carlos Eduardo, 46%Nos votos totais, Fátima Bezerra, do PT, tem 48%, e Carlos Eduardo, do PDT, 42%.

O Ibope divulgou nesta quarta-feira (17) o resultado da primeira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para o governo do Rio Grande do Norte. O levantamento foi realizado entre o domingo (14) e terça-feira (16) e tem margem de erro de 3 pontos, para mais ou para menos.

Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes:

Fátima Bezerra (PT): 54%

Carlos Eduardo (PDT): 46%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

Votos totais

Nos votos totais, os resultados foram os seguintes:

Fátima Bezerra (PT): 48%

Carlos Eduardo (PDT): 42%

Em branco/nulo: 8%

Não sabe: 2%

Nos votos totais, Fátima e Carlos Eduardo estão empatados no limite da margem de erro.


(Foto: Montagem)
Marinha abre concurso para temporários em NatalO período de inscrições vai desta terça-feira (16) até o dia 31 de outubro

O Comando do 3º Distrito Naval (Com3ºDN) abriu processo seletivo para o Serviço Militar Voluntário de Oficiais (SMV-OF) da Marinha do Brasil. Ao todo, são oferecidas 29 vagas para ensino superior, distribuídas pelos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, que compõem a área de jurisdição do distrito.

O período de inscrições vai desta terça-feira (16) até o dia 31 de outubro; valor da taxa de inscrição é de R$ 127, podendo ser paga até 13 de novembro. As vagas são para candidatos, homens e mulheres, com mais de 18 anos no dia 31 de dezembro de 2019.

O serviço militar voluntário é um vínculo entre o oficial e a Marinha, que é renovado anualmente até período máximo de oito anos, sem a possibilidade de estabilidade. O salário bruto inicial é de cerca de R$ 11 mil, já contando com gratificações.

Os interessados devem entrar no site www.ingressonamarinha.mar.mil.br, clicar em “Serviço Militar Voluntário”, escolher o Distrito Naval para o qual desejam concorrer e acessar o link da sua inscrição e o respectivo Aviso de Convocação.

Processo seletivo para Oficial da Marinha

Os candidatos realizarão uma prova com 50 questões objetivas divididas em Língua Portuguesa (25) e Formação Militar-Naval (25). A bibliografia estará indicada no Aviso de Convocação, disponível no site.

As etapas seguintes são: Verificação de Dados Biográficos (VDB); Verificação Documental (VD); Inspeção de Saúde (IS); Prova de Títulos e Teste de Aptidão Física (TAF). Este último é composto por duas provas: uma de natação e uma de corrida.


(Foto: Assessoria)
Economia brasileira avança 0,47% em agostoO resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da agência de notícias Reuters de alta de 0,25%

Em agosto, a economia brasileira teve um crescimento de 0,47% em relação a julho, informou o Banco Central nesta quarta-feira (17).

O cálculo do banco é feito por meio do indicador IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central), e os dados são dessazonalizados, descontando-se, assim, os efeitos típicos dos meses para possibilitar a comparação.

O resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da agência de notícias Reuters de alta de 0,25%. Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o avanço foi de 2,5%.

Os desempenhos dos setores de comércio e serviço, divulgados pelo IBGE na semana passada e nesta terça (16), superaram a expectativa dos economistas, embora os crescimentos ainda não sejam vistos como retomada.

Após queda no mês de julho, o volume do setor de serviços do Brasil apresentou alta de 1,2% em agosto, informou o IBGE nesta terça-feira (16). Foi o melhor desempenho do setor para este mês desde 2011.

Já as vendas no varejo subiram 1,3%, em agosto, na comparação com o mês anterior e interromperam sequência de três meses de perdas, de acordo com os dados informados nesta quinta-feira (11) pelo IBGE.

O resultado do comércio ficou bem acima da expectativa em pesquisa da Reuters com especialistas de alta de 0,3% e representou a melhor leitura para o mês de agosto desde 2014 (1,7%), além de ser a melhor taxa do ano. Com informações da Folhapress. 


(Foto: Reuters)
PF indicia Temer por corrupção e lavagem de dinheiroMaristela, filha do presidente, também foi indiciada pela PF

A Polícia Federal concluiu o inquérito que investigava Michel Temer e o grupo político dele sobre o recebimento de propina em troca de benefícios a empresas do setor portuário e indiciou o presidente e a filha Maristela por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

De acordo com o jornal “O Globo”, outras 10 pessoas também foram indiciadas.

O relatório final aponta que o presidente usou empresas de João Baptista Lima, coronel reformado da PM e amigo de longa data do presidente, para receber dinheiro indevido da companhia Rodrimar. A empresa Libra, que assim como a Rodrimar também é concessionária de áreas do porto de Santos, também foi apontada no documento da PF por cometer crimes em pagamentos.

Ainda segundo informações de “O Globo”, o relatório da Polícia Federal foi enviado ao Supremo Tribunal Federal nesta terça-feira (17), prazo máximo estabelecido pelo ministro Luís Roberto Barroso.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, também receberá o relatório e decidirá se oferece denúncia contra Temer. A PF já solicitou o bloqueio de bens de Temer e dos demais envolvidos e pediu a prisão prisão preventiva do coronel Lima, seu sócio Carlos Alberto Costa, sua mulher Maria Rita e o contador Almir Martins Ferreira, todos indiciados.

Vale lembrar que o presidente já havia sido denunciado outras duas vezes por Rodrigo Janot, antecessor de Dodge, em casos que envolveram a delação do grupo J&F. No entanto, o Congresso barrou a abertura de ação penal.

O presidente Michel Temer ainda não se manifestou sobre o relatório final da investigação, que durou 13 meses.


Foto: Isac Nóbrega/PR
FIERN realiza sabatina com candidatos ao governo do RNO evento acontecerá na Casa da Indústria e é fechado, apenas para empresários do setor produtivo potiguar.

A Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte realizará no dia 22 de outubro, uma segunda-feira, edição especial do Fórum FIERN Caminhos do RN, com os candidatos ao governo do estado, no Segundo Turno, a senadora Fátima Bezerra, e o ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo.

O evento acontecerá na Casa da Indústria e é fechado, apenas para empresários do setor produtivo potiguar. A candidata Fátima participará às 10 horas; e o candidato Carlos Eduardo às 14 horas.

No estilo sabatina, o encontro com os dois candidatos tratará de seis temas previamente definidos com as assessorias dos candidatos:

Equilíbrio Fiscal

Geração de empregos

Segurança

Política de incentivos à indústria

Segurança jurídica

Licenças ambientais


(Foto: Montagem)
Bolsonaro defende interesse de ricos e jovens, diz IbopeHaddad é o mais associado à defesa dos pobres, dos trabalhadores e das mulheres

Apesquisa Ibope/Estado/TV Globo mostra que a maioria do eleitorado do País identifica o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, como o principal representante dos interesses dos ricos, dos bancos, agricultores e dos empresários no segundo turno, enquanto Fernando Haddad (PT) é o mais associado à defesa dos pobres, dos trabalhadores e das mulheres.

O Ibope perguntou aos entrevistados "quem representa melhor os interesses" de uma série de setores. Em relação aos ricos, 65% responderam Bolsonaro, contra 22% de Haddad. Entre os eleitores que ganham mais de cinco salários mínimos, o presidenciável do PSL é visto por 70% como o representante da elite.

Já o candidato do PT lidera como defensor dos interesses dos eleitores de menor poder aquisitivo, com 48% a 37% de Bolsonaro. No segmento com até um salário mínimo de renda, o porcentual atribuído a Haddad chega a 62%.

O Ibope avaliou ainda a imagem dos candidatos como defensores dos seguintes temas: agricultura (42% Bolsonaro ante 40% de Haddad), defesa do meio ambiente (40% Bolsonaro e 39% para Haddad), aposentados (39% para Bolsonaro, 44% para Haddad) e jovens (46% Bolsonaro, ante 39% de Haddad).

Essas diferenças de imagem também se manifestam em relação à defesa dos empresários, dos bancos e dos trabalhadores. De acordo com o Ibope, Bolsonaro é considerado pela maioria um defensor dos interesses do empresariado (65%) e dos bancos (54%), enquanto seu rival é mais relacionado a pautas dos trabalhadores (47%).


(Foto: Reuters)
Ibope: Bolsonaro tem 59% dos votos válidos e Haddad, 41%A margem de erros é de dois pontos percentuais para mais ou para menos

No primeiro levantamento do Ibope sobre o segundo turno das eleições presidenciais, Jair Bolsonaro (PSL) aparece à frente de Fernando Haddad (PT). O deputado conta com 59% dos votos válidos, enquanto o petista tem o apoio de 41% dos consultados na pesquisa divulgada nesta segunda-feira (15).

A contagem, que exclui os brancos, nulos e indecisos como a Justiça Eleitoral faz no dia da eleição, confirma a onda conservadora que quase deu a vitória em primeiro turno ao presidenciável do PSL. No primeiro turno, Bolsonaro teve 46% dos votos válidos e Haddad, 29%.

Levando em conta o eleitorado total, Bolsonaro aparece à frente por 52% a 37%. Há ainda 9% que hoje pretendem anular ou votar em branco, e 2% que não souberam responder.

A pesquisa do Ibope também mostrou rejeição maior a Haddad do que ao militar. Em relação a Haddad, 47% dos entrevistados responderam que não o escolheriam em nenhuma hipótese, e 28% disseram que votariam nele com certeza.

Sobre Bolsonaro, 35% afirmaram que não o escolheriam sob hipótese alguma, enquanto 41% disseram que certamente votariam nele.

A sondagem do Ibope, de âmbito nacional, ouviu 2.506 eleitores entre os dias 13 e 14 de outubro. A margem de erro da pesquisa, contratada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo, é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o levantamento tem o registro BR-01112/2018 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O nível de confiança é de 95%.

O mercado financeiro adotou postura otimista nesta segunda (15) de espera por nova pesquisa eleitoral. A Bolsa brasileira avançou, enquanto o dólar caiu mais de 1%, também apoiados pelo mercado externo.

"Abrimos a semana com expectativas otimistas para os ativos nacionais, tendo como pano de fundo...a continuidade da leitura de que Fernando Haddad (PT) dificilmente conseguirá 'virar o jogo' contra Jair Bolsonaro (PSL) na corrida presidencial", escreveu a H.Commcor em relatório.

A Bolsa brasileira fechou o dia em alta de 0,52%, a 83.359 pontos. O giro financeiro foi de R$ 20 bilhões, em pregão marcado pelo vencimento de contratos de opção. Com informações da Folhapress. 


(Foto: O Globo)
Haddad e Bolsonaro intensificam agendas de campanhaBolsonaro ainda não decidiu se participará de debates

A 13 dias do segundo turno das eleições, os candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) intensificam as agendas de campanha, seguindo estilos distintos. Bolsonaro aguarda a próxima quarta-feira (18) para definir o roteiro de viagens e se irá participar de debates.

Já Haddad estará hoje (15) em atos de apoio e concede entrevistas. O dia hoje de Haddad será em São Paulo, quando participa de ato em homenagem aos professores, no dia da categoria. No mesmo horário, sua vice Manuela d’Avila (PCdoB) estará em outro evento em Porto Alegre. Ao longo do dia, o candidato do PT concede entrevistas à imprensa.

Na quarta-feira (18), Bolsonaro será examinado por uma junta médica. Segundo ele, a partir dessa análise, definirá a participação em debates e viagens. Ele não divulgou agenda oficial. Mas são aguardadas reuniões ao longo do dia. Correligionários e apoiadores devem ter encontros com o candidato. Também são esperados posts nas redes sociais sobre os mais variados assuntos. Com informações da Agência Brasil.


(Foto: Montagem/Reuters)
Cetrus/Fiern: Fátima lidera disputa para governoFátima Bezerra e Carlos Eduardo apresentam números de rejeição muito próximos. Enquanto a candidata do PT atinge a marca de 40,07%, o candidato do PDT fica com 38,16%.

Na primeira pesquisa eleitoral FIERN/Certus do Segundo Turno para o Governo do Estado, na pergunta estimulada, a candidata do PT, Fátima Bezerra, tem 53,62% dos votos válidos, com um intervalo de confiança entre 50,62% e 56,62%. O candidato do PDT, Carlos Eduardo, está com 46,38%, com intervalo de confiança entre 43,38% e 49,38%.
No Primeiro Turno, conforme os resultados oficiais divulgados pelo Tribunal Regional Eleitoral, Fátima Bezerra obteve 46,17% dos votos válidos (748.150 votos) e Carlos Eduardo 32,45% (525.933 votos).
Considerando-se os votos totais, a FIERN/Certus apurou que Fátima Bezerra aparece com 44,61%, e Carlos Eduardo tem 38,58%. “Nenhum” chega a 9,72% e “Não Sabe” a 6,88%.
Por região geográfica, Fátima Bezerra tem sua melhor situação no Alto Oeste, onde chega a 66,45% e a pior na Grande Natal, com 28,70%; Carlos Eduardo se sai melhor na Grande Natal, com 54,13%, e pior no Alto Oeste, 20%. Por sexo, Fátima chega a 45,14% entre as mulheres e 43,97% entre os homens; Carlos Eduardo atinge 39,75% entre os homens e 37,61%, com as mulheres.
Fátima Bezerra e Carlos Eduardo apresentam números de rejeição muito próximos. Enquanto a candidata do PT atinge a marca de 40,07%, o candidato do PDT fica com 38,16%. Por região, a rejeição de Fátima Bezerra é maior na Grande Natal, 58,48%, e menor no Alto Oeste, 21,94%; Carlos Eduardo tem rejeição maior no Alto Oeste, 47,74%; e menor na Grande Natal, 27,61%.
Levando-se em conta o grau de instrução, no levantamento sobre intenção de voto, Carlos Eduardo vai melhor entre os que têm terceiro grau completo, 42,31% e pior entre os que “não sabe ler e nem escrever”, 26,92%. Fátima está melhor colocada entre “não sabe ler e nem escrever”, 61,54%, e pior entre os que têm segundo grau completo/incompleto, 39,20%.
Ainda na estimulada, de acordo com a faixa etária, Fátima Bezerra obtém sua melhor performance entre os que têm idade variando de 25 anos a 34 anos, com 46,60%, e resultado menos favorável na faixa que vai de 35 anos a 44 anos, 40,64%. Já Carlos Eduardo tem índices mais positivos na faixa etária de 35 anos a 44 anos, 43,82%, e menos favoráveis entre os que têm idade de 25 anos a 34 anos, 35,71%.
Segundo a religião, Fátima Bezerra se sai melhor entre os ateus, 52,63%, e pior entre os evangélicos, 30,36%; Carlos Eduardo tem melhor resultado entre os evangélicos, 50,71%, e pior entre os ateus, 21,05%.
A pesquisa também apurou a migração de votos do Primeiro para o Segundo Turno entre os candidatos a governador. 91,13% dos que votaram em Carlos Eduardo no Primeiro Turno responderam que pretendem manter a escolha; e 92,80% dos que votaram em Fátima Bezerra no Primeiro afirmaram que preservam a opção no Segundo Turno. Já 47,57% dos que votaram em Robinson Faria dizem que votarão em Carlos e 33,98% em Fátima; 62,71% dos que votaram em Brenno Queiroga afirmam que votarão em Carlos e 22,03% em Fátima; 35,71% dos que optaram por Carlos Alberto afirmam que votarão em Carlos Eduardo e 28,57% em Fátima.
Quanto ao voto casado de presidente e governador, 72,90% dos que votam no presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, pretendem votar em Carlos Eduardo e 13,14% em Fátima Bezerra. Já 76,60% dos que votam no presidenciável do PT, Fernando Haddad, declaram voto em Fátima Bezerra, e 17,00% em Carlos Eduardo.


(Foto: Montagem/Potiguar Notícias)
Facada ajudou Bolsonaro, diz marqueteiro do PSDBPara Lula Guimarães, ataque atingiu mais Alckmin do que o deputado e interrompeu possibilidade de desconstrução

Responsável pelo marketing da campanha de Geraldo Alckmin (PSDB), o jornalista Lula Guimarães, 51, afirma que o atentado à vida do deputado Jair Bolsonaro (PSL) foi o fator decisivo que o colocou no segundo turno.

"A facada atingiu mais o Alckmin do que o Bolsonaro", diz. "Interrompeu a possibilidade de mostrar quem Bolsonaro é realmente."

Segundo o jornalista, a forte presença nas redes sociais foram importantes para o candidato do PSL, mas a cobertura jornalística do atentado o ajudou muito mais. "Somente na Globo teve mais de três horas de exposição", diz. "Nenhum candidato teve isso."

Sobre os erros do PSDB, Guimarães diz que o partido não fez a autocrítica que cobrou do PT, citando as acusações envolvendo Aécio Neves e outros líderes tucanos.

Bolsonaro obteve uma votação impressionante sem ter tempo no horário eleitoral e com uma campanha focada nas redes sociais. O marketing político como conhecemos morreu?

Guimarães - Acho que não. Imagine se o Bolsonaro tivesse dois minutos de televisão no horário eleitoral. Provavelmente venceria no primeiro turno. Teria feito diferença. O Haddad teve a candidatura lançada pouquíssimas semanas antes da votação. Se não fosse a televisão, não teria crescido como cresceu. As redes sociais não bastariam.

O atentado foi decisivo?

Guimarães - Foi decisivo para o resultado do Bolsonaro. O colocou no segundo turno. A facada atingiu mais o Geraldo Alckmin do que o Bolsonaro. Em pouquíssimos dias de campanha, a rejeição do Bolsonaro subiu bem. Ele também se expôs em dois debates, passando a imagem de completo despreparo. A facada interrompeu a desconstrução da sua imagem. Interrompeu essa possibilidade de mostrar quem ele é realmente. Numa campanha curtíssima, passou a ser poupado. Foram duas semanas perdidas.

E a cobertura do crime?

Guimarães - Bolsonaro passou a ter um espaço enorme na televisão. Somente na Globo, por conta do atentado, teve mais de três horas de exposição. Nenhum candidato teve isso. Foi o maior tempo de TV disparado, o dobro dos outros. Uma mídia que tem muito mais credibilidade do que a propaganda. E mais, em um processo de vitimização. Era a luta de um homem pela vida. Então, não é verdade que Bolsonaro chegou ao segundo turno por conta da internet apenas, ainda que tenha conseguido uma exposição extraordinária nas redes sociais num trabalho que começou lá atrás. A TV, involuntariamente, o ajudou muito.

De qualquer modo, Alckmin teve um tempo enorme no horário eleitoral.

Guimarães - A Folha se equivocou ao dizer que o Alckmin tinha um latifúndio de tempo na TV. Teve cinco minutos e meio. Dilma teve 11 minutos e meio em 2014. O tempo disponível para os candidatos na eleição passada era de 25 minutos, o dobro de agora. E a campanha era mais extensa, com 15 dias a mais.

Mesmo não sendo um latifúndio, Alckmin teve um tempo muito maior do que os outros. Você saiu de uma vitória em primeiro turno com João Doria dois anos atrás. E agora seu candidato teve um desempenho pífio. O que ocorreu?

Guimarães - O marketing é apenas um dos fatores em uma campanha. Eleição é como um acidente aéreo, não há uma única causa. Alckmin é um moderado num momento em que o Brasil pede alguém com posição mais histriônica.Além disso, há o fato de que o PSDB não fez a autocrítica que cobrou do PT. Aécio Neves e outros líderes estão envolvidos em escândalos, e o partido não se posicionou contra eles. O tamanho da derrota do PSDB no país é reflexo disso. Houve ainda uma série de boatos disseminados na internet pelos adversários contra o Alckmin. Isso tudo se combina com um candidato e um partido sobre o qual recaem em São Paulo uma certa fadiga de material. Há sempre um assunto que comanda a eleição, mais do que as ferramentas. O momento social e econômico fala mas alto que a comunicação. Os marqueteiros influenciam, mas com limitação. E a pauta desta eleição é a mudança dos políticos.

Estava certo, então, FHC, do ponto de vista da comunicação, quando pensou no Luciano Huck, um nome novo?

Guimarães - Luciano é um cara muito talentoso. É excelente comunicador e tem muitas qualidades, mas não conheço sua capacidade administrativa. É lamentável saber que as pessoas foram buscar o novo apenas pelo impacto da empatia que podia ter na comunicação. Sem se preocupar com o preparo administrativo, com o preparo técnico. Huck seria um ótimo produto eleitoral, mas estamos escolhendo o presidente da República e não um apresentador.

A eleição já acabou?

Guimarães - Acho que não, há espaço para movimentação. A tendência é Bolsonaro vencer, mas a gente não sabe o que pode ocorrer até lá. Pode haver erros. Mudanças de posicionamento. Ou a sociedade pode simplesmente repensar. Mas impressiona a solidez dos votos dos dois, sobretudo do Bolsonaro.

Dá para comparar Bolsonaro com Trump?

Guimarães - Relativamente, já que lá não ocorreu um atentado. Mas há comparação. As fake news são uma característica das duas campanhas. No caso da do Trump, identificadas depois. Aqui ainda não sabemos quem pagou ou quanto custou essa presença. Outra coisa que se assemelha é o fato de os dois serem muito autênticos. Quem tem essa presença autêntica se sobrepõe nas redes sociais.

Com informações da Folhapress.


(Foto: Veja)
Reta final: Carlos Eduardo declara apoio a BolsonaroO candidato do PDT abraça a a única alternativa à sua frente na disputa nacional, e agora vai buscar colar no nome candidato favorito ao Planalto

Carlos Eduardo Alves (PDT) declarou apoio a Jair Bolsonaro (PSL), líder e favorito na disputa pela presidência da República. A declaração ocorreu no mesmo dia do início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão neste segundo turno - na sexta-feira (12).

Com a declaração de apoio, Carlos Eduardo abraça o bolsonarismo, movimento que predomina em quatro das cinco regiões do país e é hoje majoritário no cenário eleitoral brasileiro. A questão agora para Carlos Eduardo é ser abraçado pelo bolsonarismo, que aqui no Estado tem a liderança dos eleitos general Girão (Deputado Federal) e coronel Azevedo (Deputado Estadual). Abraçado por esses dois líderes do PSL local, Carlos Eduardo só cresce se for a maior quantidade de municípios possível, e se avançar mais ainda no eleitorado natalense - afinal, tanto ele como Bolsonaro venceram com larga margem na capital do Estado.


Carlos Eduardo e a busca pelo bolsonarismo
Candidatos deixam de prestar contas com a Justiça EleitoralOs inadimplentes somam 76 candidatos, sendo 01 ao cargo de governador, 01 ao de vice-governador, 03 ao cargo de senador,

Com a conclusão do primeiro turno das Eleições 2018, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) contabiliza 76 candidatos omissos ante o dever legal de encaminhamento da prestação de contas parcial de campanha, providência exigida pela Lei das Eleições e pela Resolução TSE nº. 23.553/2017.

Ao todo, a Secretaria Jurídica do TRE-RN recebeu o registro de 512 candidaturas, sendo 08 relativos ao cargo de governador, 08 ao cargo de vice-governador, 15 ao cargo de senador, 15 ao cargo de 1º suplente de senador, 15 ao cargos de 2º suplente de senador, 121 ao cargo de deputado federal e 330 ao cargo de deputado estadual.

Os inadimplentes somam 76 candidatos, sendo 01 ao cargo de governador, 01 ao de vice-governador, 03 ao cargo de senador, 03 ao de 1º suplente de senador, 03 ao de 2º suplente de senador, 20 ao de deputado federal e 45 ao de deputado estadual.

A omissão da entrega da prestação de contas parcial, nos termos da legislação, caracteriza-se como uma falha grave, que pode vir a comprometer a regularidade da prestação final, por impedir a transparência que deve nortear os atos de campanha, retirando da sociedade o direito ao exercício do controle social.

É importante ressaltar que todos os que requereram o registro de candidatura devem prestar contas à Justiça Eleitoral, até mesmo os que obtiveram indeferimento, renunciaram, desistiram ou foram substituídos. 

Clique aqui e tenha acesso a lista dos candidatos que não prestaram contas.


(Foto: Assessoria)
TVs reveem formatos para que Bolsonaro vá a debatesSegundo jornal, Globo e Band já fizeram proposta a assessores dos candidatos à Presidência

A TV Globo e a Band se reuniram com as assessorias de Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) propondo um formato para facilitar o comparecimento no debate de segundo turno do capitão reformado, que sofreu um ataque no início de setembro.

De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal "Folha de S. Paulo", em vez de colocar eleitores indecisos para fazer perguntas, o que obrigaria os candidatos a andarem pelo cenário, a Globo propôs que o debate fosse direto entre os dois, que ficariam sentados em poltronas.

Já a Band, que tem sede em São Paulo, se propôs a organizar o debate no Rio de Janeiro, cidade em que Bolsonaro reside.


(Foto: Reuters)
Ultraleve faz pouso forçado em Santa RitaO piloto não deu entrevistas, mas testemunhas que conversaram com ele disseram que o homem relatou um problema mecânico no motor.

Um ultraleve fez um pouso forçado no final da manhã desta sexta-feira (12), por volta das 12h, na praia de Santa Rita, no litoral de Extremoz, cidade da Grande Natal. O caso assustou banhistas que estavam na praia, bem movimentada por causa do feriado nacional.

Quando a aeronave tocou a areia, o eixo de uma das rodas e parte da estrutura do avião quebraram, mas o piloto não se machucou. O ultraleve arrastou por cerca de 50 metros na areia. Conforme testemunhas, havia pelo menos mais uma pessoa na aeronave.

O piloto não deu entrevistas, mas testemunhas que conversaram com ele disseram que o homem relatou um problema mecânico no motor.

"Foi um susto. Pra mim, ele (o piloto) foi um herói, porque a praia estava lotada de gente. As pessoas de abaixaram, ele passou uns cinco metros acima do povo, livrou muita gente", relatou o artesão e fotógrafo João Maria Bezerra, que trabalha na região. Com informações do portal G1 RN.


(Foto: Foto: Julianne Barreto/Inter TV Cabugi)
Pesquisas ampliam favoritismo de BolsonaroAs pesquisas de opinião pública feitas após o primeiro turno indicam uma larga vantagem e amplo favoritismo ao candidato do PSL

Detentor de mais de 46% dos votos dos brasileiros no primeiro turno para a presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) inicia o trajeto do segundo turno com a ampliação de suas intenções de votos nas pesquisas de opinião. Na última pesquisa do Datafolha, Jair Bolsonaro aparece com 58% das intenções de votos, enquanto seu oponente, o petista Fernando Haddad tem apenas 42%. São 16% separando o vencedor do primeiro turno do segundo colocado, a apenas 16 dias (a partir desta sexta-feira - 12) para uma tentativa de virada do jogo em uma campanha, do lado do PT, pautada por dúvidas e apostas de reviravoltas ineficazes.

A pesquisa do Datafolha entrevistou 3.235 eleitores em 227 municípios na quarta-feira (10 de outubro) e sua margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos. Foi contratada pela TV Globo e jornal Folha de São Paulo.

A pesquisa XP/Ipespe, por sua vez, aponta Jair Bolsonaro com 59% das intenções de votos válidos, e Fernando Haddad com 41%. Nessa situação a diferença é de 18% e o trajeto de possível recuperação do petista é ainda mais penoso.

A pesquisa XP/Ipesp foi feita nos dias 8 e 9 deste mês e tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para  mais ou para menos. A pesquisa ouviu 2 mil entrevistados em todas as regiões do país.

 


Haddad e Bolsonaro
Municípios do RN tiveram FPM zerado em outubroO alto índice de municípios com o FPM zerado se intensificou no mês de setembro, quando 45 cidades não receberam recursos na primeira cota

40 municípios do Rio Grande do Norte tiveram suas cotas da 1ª parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) zeradas. Essas cidades potiguares não irão receber recursos da União, afetando seus planejamentos financeiros e a realização de pagamentos.

O alto índice de municípios com o FPM zerado se intensificou no mês de setembro, quando 45 cidades não receberam recursos na primeira cota, e 38 cidades no segundo repasse – número recorde para a segunda cota.

Já no mês anterior, a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte – FEMURN alertou para a gravidade da crise financeira que afeta as cidades, comprometendo a realização dos pagamentos realizados pelos prefeitos e o equilíbrio financeiro programado nas gestões. A falta do repasse prejudica as gestões municipais.

O Presidente da FEMURN e Prefeito de São Paulo do Potengi, Naldinho, lamenta a situação: “O alto número de municípios com o FPM zerado desde o mês passado tem mostrado que a crise continua, e o quanto os municípios, que é onde tudo acontece, são penalizados, ficando sem recursos. É necessário um novo pacto federativo que mude a realidade das cidades”, afirmou.

MUNICÍPIOS ZERADOS DE FPM NA PRIMEIRA COTA DE OUTUBRO/2018: 

AFONSO BEZERRA

ALTO DO RODRIGUES

ANTÓNIO MARTINS

AREZ

PARAÚNA

BENTO FERNANDES

CARNAUBAIS

ENCANTO

EQUADOR

EXTREMOZ

FELIPE GUERRA

FLORÂNIA

GALINHOS

GOV. DIX-SEPT ROSADO

GROSSOS

IELMO MARINHO

IPANGUAÇU

JANDUIS

JOíO CÂMARA

LAGOA D'ANTA 

NOVA CRUZ

PARAZINHO

PAU DOS FERROS

PEDRA GRANDE

PEDRO VELHO

PENDÊNCIAS

POÇO BRANCO

PORTO DO MANGUE

RIO DO FOGO

SANTANA DO MATOS

SANTO ANTÔNIO

SíO BENTO DO NORTE

SíO MIGUEL DO GOSTOSO

SíO PEDRO

SENADOR GEORGINO AVELINO

TENENTE LAURENTINO

TIBAU

TOUROS

UMARIZAL

VILA FLOR


(Foto: Antônio Martins em Pauta)
Bolsonaro anuncia nomes para eventual ministérioO candidato comprometeu-se a respeitar a liberdade de imprensa e não fazer distinção de raça, gênero e orientação sexual.

Com um discurso conciliador, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, reiterou hoje (11) os apelos contra a violência motivada por divergências políticas e defendeu a união do país. Também comprometeu-se a respeitar a liberdade de imprensa e não fazer distinção de raça, gênero e orientação sexual.

Segundo correligionários, foram anunciados, durante a reunião com parlamentares do PSL e apoiadores, os possíveis nomes para os ministérios da Fazenda, Defesa, Casa Civil, Ciência e Tecnologia, no caso de vitória do candidato. Ao sair do encontro, o empresário Paulo Marinho afirmou que  Bolsonaro confirmou indicações para algumas pastas, caso seja eleito no segundo turno das eleições.

Marinho citou como exemplos o economista Paulo Guedes para o Ministério da Fazenda, general da reserva Heleno Augusto para a Defesa, o deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil. À Agência Brasil, o astronauta Marcos Pontes disse ter sido convidado pelo candidato para assumir o Ministério de Ciência e Tecnologia.

Anteriormente, Bolsonaro havia dito que pretendia fundir os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente em uma única pasta e deixar a cargo da bancada ruralista a indicação do nome.

Imprensa

Bolsonaro se reuniu com integrantes da bancada do PSL, em um hotel na Barra da Tijuca e, em seguida concedeu entrevista coletiva à imprensa. Em vários momentos, ele chamou os jornalistas de “amigos”.

“Pessoal da imprensa, por que não dizer ‘amigos’? Queremos que vocês realmente sejam independentes e tenham responsabilidade em tudo aquilo que escrevem. Vamos garantir a liberdade de imprensa, não tem aquele negócio do controle social da mídia”, disse o candidato. 


(Foto: Veja)
Bolsonaro com 54% e Haddad com 46% dos votos válidosPrimeira pesquisa sobre o segundo turno foi divulgada pela revista Veja

O Instituo Ideia Big Data realizou a primeira pesquisa eleitoral do segundo turno. De acordo com o levantamento realizado em parceira com a revista Veja, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida com 54% das intenções de votos válidos. O petista Fernando Haddad tem 46%.

Ao considerar o universo de todos os entrevistados, Bolsonaro tem 48% das intenções dos eleitores, enquanto Haddad, 41%.

A Veja destaca que a pesquisa ouviu 2.036 eleitores das cinco regiões do país entre a última segunda (8) e esta quarta-feira (10). A margem de erro é de 2,67% pontos percentuais para mais ou para menos. O número de registro no TSE é BR-09687/2018.

Bolsonaro chegou ao segundo turno com 46,03% de votos. Haddad teve 29,28% dos votos válidos.


(Foto: Reuters)
Vereadores de Natal eleitos deputados avaliam mudançasForam eleitos no pleito desse ano par Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ubaldo Fernandes (PTC), Eudiane Macedo (PTC) e Sandro Pimentel (PSOL)

Com quatro vereadores eleitos deputados estaduais e federal no domingo (07), a Câmara Municipal de Natal terá mudanças na composição, a partir de 2019. Durante a sessão ordinária desta terça-feira (9), os parlamentares repercutiram no plenário os resultados do primeiro turno das eleições de 2018. Foram eleitos no pleito desse ano para ocupar cargos na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN) os vereadores Ubaldo Fernandes (PTC), Eudiane Macedo (PTC) e Sandro Pimentel (PSOL). Foi eleita para representar o povo do Rio Grande do Norte Câmara dos Deputados a vereadora Natália Bonavides (PT).

A vereadora Natália Bonavides (PT), que conquistou uma cadeira na Câmara, com 112.998, será substituída por Divaneide Basílio (PT).  "Fizemos uma campanha participativa, na qual discutimos temas essenciais para a sociedade; denunciamos os malfeitos da bancada federal do RN, que trabalhou contra o povo retirando direitos dos trabalhadores. Felizmente, isso foi reconhecido nas urnas com a não reeleição de alguns parlamentares que apoiaram as medidas impostas pelo Governo Temer", disse Natália.

Já o vereador Sandro Pimentel (PSOL) foi eleito deputado estadual com 19.158 e será substituído por Maurício Gurgel (PSOL). "Foi uma vitória do trabalho em equipe. Uma militância que não tinha hora pra dormir, pra comer etc., inclusive eu também não tinha hora pra nada. Ou seja, não teve cansaço que nos impedisse de seguir adiante. Acredito que esse resultado está calcado em três pilares: a defesa animal, a pauta da classe trabalhadora e a minha atuação na Câmara Municipal", destacou Sandro.

Eleita em sua primeira tentativa para a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, a vereadora Eudiane Macedo (PTC) obteve 22.333 votos e sua vaga será ocupada por Fúlvio Mafaldo (SD). "Enfrentei o maior desafio da minha vida pública durante esta campanha. Percorri todo estado, mas sem negligenciar minha agenda de vereadora da capital potiguar, haja vista que estive presente em todas as sessões ordinárias neste período eleitoral", pontuou Eudiane.

O vereador Ubaldo Fernandes (PTC) também conquistou uma vaga para o Legislativo Estadual com 20.148 votos. "Nossa campanha se baseou nas ações que desenvolvemos neste parlamento. Temos um mandato atuante, que promove assuntos de interesse público, sempre próximo das comunidades da cidade. Dito isso, só me resta agradecer a confiança da população e honrar com muito trabalho cada voto", comemorou Ubaldo, tendo como substituto Dagô (DEM), que já ocupa uma suplência na Casa.


(Foto: Assessoria)
Médica rasga receita de paciente que votou no PTO caso aconteceu no Hospital Estadual Giselda Trigueiro, em Natal

Médica lotada no Hospital Estadual Giselda Trigueiro, em Natal, rasgou, nesta segunda-feira (8), a receita que tinha acabado de assinar para um paciente de 72 anos, após ele responder que votou no candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad. 

O caso “vergonhoso”, classificado pelo paciente, ocorreu um dia após o primeiro turno das eleições. O ocorrido foi confirmado pela própria médica, a infectologista Tereza Dantas, que declarou estar arrependida de sua atitude.

De acordo com o servidor aposentado da Saúde, José Alves Menezes, que trabalhou na própria unidade com a médica, o episódio aconteceu no início da manhã, por volta das 7h30.

Por telefone, a médica Tereza Dantas afirmou que passou o final de semana doente e pensou em faltar ao trabalho, por ainda estar se recuperando, mas resolveu ir e informou ao hospital que só atenderia os pacientes que já tinham agendamento. Entretanto, como conhecia o ex-servidor, decidiu atendê-lo também.

"Eu pedi perdão a Deus e pedi que ele me ajudasse a tirar de mim essa mágoa. Eu nunca gostei de extremismos e estava me transformando em algo que não gosto. Não deveria ter feito isso, eu sei. Agi por impulso e, por isso, peço desculpas", disse a profissional ao portal de notícias G1. 

O Sindsaúde, sindicato dos servidores da saúde, entrou em contato com a ouvidoria do hospital e tomará providência pela via jurídica. A vice coordenadora do Sindsaúde, Simone Dutra e a assessoria jurídica do sindicato acompanharam o aposentado para fazer um B.O na delegacia.


(Foto: Sindsaúde)
Bolsonaro busca nomes para compor equipe econômicaOs especialistas de Bolsonaro se dividem em 27 grupos, que discutem temas variados, como segurança jurídica, reforma tributária e políticas de apoio à família

O programa de governo de Jair Bolsonaro (PSL) está mobilizando cerca de 80 especialistas, a maior parte ligada à UnB (Universidade de Brasília) e ao Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), deslocando a formulação da pauta econômica de tradicionais escolas do eixo Rio-São Paulo para a capital.

É um estilo bastante diferente dos governos passados do PSDB e do PT, que ficaram associados a técnicos oriundos da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro), como os formuladores do Plano Real, e da USP (Universidade de São Paulo) e da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), ligados à Nova Matriz Econômica, de Dilma Rousseff.

Os especialistas de Bolsonaro se dividem em 27 grupos, que discutem temas variados, como segurança jurídica, reforma tributária e políticas de apoio à família. Cada um deles é composto por cerca de cinco integrantes, alguns de mais de um desses times.

 

O deslocamento para a capital se deve à atuação de servidores do governo Michel Temer que aceitaram colaborar com Bolsonaro na elaboração de um plano e formaram os primeiros grupos temáticos.

O recrutamento foi feito pelo economista Adolfo Sachsida, diretor-adjunto de estudos e políticas regionais, urbanas e ambientais do Ipea.

Militante de movimentos conservadores, Sachsida se aproximou de Bolsonaro em meados de 2017, quando o deputado ainda fazia parte do Patriota (ex-PEN).

Os dois se conheceram no Foro de Brasília, que questionava na Justiça políticas adotadas no governo do PT, como empréstimos feitos pelo BNDES para viabilizar obras no exterior.

Naquele momento, o capitão reformado – que já almejava disputar a Presidência da República – buscava um economista para organizar um grupo de assessoramento na área econômica.


(Foto: Exame)
Alckimin sobre apoio: "nem ao PT, nem ao Bolsonaro"Ele destacou que a posição é coerente com o que ele defendeu ao longo de sua campanha à Presidência da República

Após bate-boca entre o presidente do PSDB, Geraldo Alckmin, e o candidato do partido ao governo de São Paulo, João Doria, os tucanos decidiram liberar os correligionários e não vão apoiar nenhum candidato no segundo turno da disputa presidencial entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

"Não apoiaremos nem o PT nem o candidato Bolsonaro. O PSDB decidiu liberar seus militantes e seus líderes", anunciou Alckmin após reunião da executiva nacional que ocorreu na sede do partido, em Brasília. Ele pontuou que a liberação do partido significa neutralidade na campanha.

Alckmin destacou que a posição é coerente com o que ele defendeu ao longo de sua campanha à Presidência da República. "Já vínhamos pontuando que extremos não são a solução", defendeu.

Em reunião acalorada, Alckmin chamou Doria de "temerista". O candidato tucano ao governo de São Paulo cobrava do partido mais ajuda financeira às campanhas dos candidatos a governos estaduais que passaram para o segundo turno. Alckmin interrompe Doria e diz: "Traidor, eu não sou".

Questionado sobre a discussão, Alckmin desconversou. "Divergências são naturais e não ocorrem pela imprensa. Não faço política pela imprensa", afirmou.

Doria, por sua vez, disse que Alckmin está com o "emocional abalado" por causa do "resultado inesperado" da eleição, onde saiu derrotado e recebeu menos de 5% dos votos. "Se Geraldo teve algum dissabor pessoal, da minha parte tem o meu perdão. Não foi nada que possa abalar as nossas relações pessoais", declarou Doria à imprensa depois de deixar a reunião. Ele saiu antes do encontro terminar.


(Foto: Reuters)
Chances de Carlos Eduardo passam pelo bolsonarismoCandidato do PDT precisa ter presença de bolsonaristas em seu palanque e colar no sentimento antipetista para vencer no segundo turno

Detentor de 541.448 votos no Rio Grande do Norte no pleito de 7 de outubro, 30,21% dos votos válidos, Jair Bolsonaro (PSL) representa um apoio de peso para qualquer candidato ao governo no dia 28 deste mês, e só quem pode ter esse apoio é o candidato do PDT, Carlos Eduardo Alves.

O bolsonarismo, fenômeno que toma conta do país, também tem representatividade conquistada neste pleito em primeiro turno no Rio Grande do Norte - o general Girão (PSL) foi eleito deputado federal quando ninguém falava nele, nem os institutos de pesquisa locais, absolutamente desfocados da realidade, detectavam sua presença - Girão teve 81.640 votos; o coronel Azevedo, outro nome que não se ouvia falar e fora, por incrível que pareça, da lupa dos institutos de pesquisa, foi eleito deputado estadual com 27.606 votos. Além disso, a pregação em defesa da ordem e da segurança pública tem se revelado a grande bandeira a ser abraçada pelo povo na atual campanha.

Diante disso, as informações são de que Carlos Eduardo está articulando junto ao PDT nacional a autorização para apoiar, no plano local, o candidato do PSL  a presidência da República no segundo turno e, consequentemente, colar sua imagem a dele e ter em seu palanque os bolsonaristas vitoriosos no Estado.

Vale também dizer que Carlos Eduardo Alves obteve 32,45% dos votos válidos no primeiro turno para o governo do Estado, 525.933 (cerca de 15 mil votos a menos que o obtido por Bolsonaro no RN). Em Natal, Carlos Eduardo obteve 180.490 votos (47,65% dos votos válidos), mais de 70 mil votos sobre sua concorrente Fátima Bezerra (PT), enquanto Bolsonaro obteve 184.303 votos (44,42% dos votos válidos), 87 mil votos a mais do que o segundo colocado, Ciro Gomes (PDT).

Bem votado no Rio Grande do Norte e sem grandes lideranças lhe apoiando, Jair Bolsonaro tem certamente possibilidades reais de crescer mais ainda no segundo turno, e é visando essa capacidade de arregimentação eleitoral do capitão reformado do Exército que Carlos Eduardo está buscando consolidar essa dobradinha que pode lhe trazer algum favoritismo em uma eleição que pendia totalmente para a candidata do PT, senadora Fátima Bezerra.

Bolsonarismo entra, lideranças tradicionais têm que sair

Enquanto o bolsonarismo é o objeto do desejo e também necessário para Carlos Eduardo chegar ao governo do RN, antigos correligionários e até familiares têm que sair de cena neste segundo turno. O senador Garibaldi Alves Filho (MDB) é um dos que devem ficar de molho e não aparecerem com frequência na linha de frente da campanha do pedetista. Garibaldi foi derrotado inapelavelmente para o Senado, ficando apenas na quarta colocação com 376.199 votos (12,93% dos votos válidos), abaixo de seu ex-companheiro de legenda, Geraldo Melo, que alcançou 13,14%, e mais de 280 mil votos abaixo do segundo nome eleito para o senado, Zenaide Maia (PHS), que obteve 22,69% dos votos válidos.

O senador José Agripino (DEM) é um outro nome que, embora tenha um dos melhores discursos entre os políticos do Estado, deve ficar a margem do processo eleitoral e não frequentar permanentemente o palanque de Carlos Eduardo. Agripino escolheu não ser candidato a senador para não correr riscos de derrota, fez seu filho lhe dar o lugar para disputar uma vaga de deputado federal este ano e sua eleição era tida como certa. Ocorre que algo faltou a Agripino - presença nas ruas, interesse pela campanha, articulação política, estrutura partidária, ou votos - o fato é que o líder principal de um dos mais longevos grupos políticos do Estado não conseguiu se eleger deputado federal e sacrifou o seu próprio filho que também ficou sem mandato. Agripino obteve apenas 64.678 votos (4,02% dos votos válidos para deputado federal) e se encontra apenas na segunda suplência de sua coligação que tem apenas um deputado federal eleito, Walter Alves (MDB) que teve 79.333 votos (4,93% dos votos válidos).

Até nisso é bom fazer uma lembrança: o general Girão (PSL) teve mais votos do que o único candidato a deputado federal eleito pela coligação de Carlos Eduardo, Walter Alves (MDB).


Bolsonaro, Carlos Eduardo e general Girão
Haddad só cita Lula uma vez e muda tom em entrevistaCandidato passou cerca de duas horas reunido com ex-presidente, mas não quis detalhar a conversa

Em sua primeira entrevista coletiva após o primeiro turno, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, reduziu as menções ao ex-presidente Lula, e fez um aceno aos candidatos derrotados nas urnas nesta segunda (8).

Haddad foi a Curitiba pela manhã para visitar Lula na Polícia Federal, onde ele cumpre pena por corrupção - mas deu entrevista em um hotel no centro da cidade, e não na frente da prisão, como sempre faz.

Ele passou cerca de duas horas reunido com Lula, mas não quis detalhar a conversa, nem dizer qual a análise que o ex-presidente fez do resultado eleitoral.

O petista também não quis responder se voltará a visitar Lula em Curitiba, e só mencionou o ex-presidente uma vez, ao longo de 18 minutos de entrevista, ao dizer que mantém uma "longa amizade" com Ciro Gomes (PDT), "desde o primeiro governo Lula".

Setores do PT defendem que o ex-prefeito de São Paulo reduza as menções a Lula e passe a conduzir a candidatura, que ele assumiu em meados de setembro.

Para Haddad, sua ida ao segundo turno, com 29% dos votos, foi "um feito".

Ele disse que pretende defender um projeto de "desenvolvimento com inclusão social", e destacou a "defesa do estado de bem-estar social" como uma das principais diferenças entre a sua candidatura e a de Jair Bolsonaro (PSL). Com inforomações da Folha de São Paulo. 


(Foto: Reuters)
Bolsonaro fala sobre participação nos debatesUma junta do hospital Albert Einstein deve definir a liberação de Bolsonaro para tais compromissos na quarta (10)

Em entrevista às rádios Bandeirantes e Jovem Pan na manhã desta segunda-feira (8), o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou sobre a possibilidade de participar dos debates para o segundo turno.

"Acho que debater com o PT não tem dificuldade", afirmou, após relatar se sentir bem e ter desejo de fazer campanha pelo país. Uma junta do hospital Albert Einstein deve definir a liberação de Bolsonaro para tais compromissos na quarta (10), mas não deve ser autorizado a fazer corpo a corpo.

O candidato do PSL chamou seu adversário, Fernando Haddad (PT), de "pau mandado do PT". "É pior do que a Dilma, que era um poste. Ele é subserviente ao senhor Lula, que está preso em Curitiba."

Bolsonaro também falou sobre a campanha ao governo de São Paulo -ele "liberou" seus correligionários para escolher entre João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), indicando que não vai apoiar um ou outro.


(Foto: Reuters)
Bancada Federal do RN passa por renovação RN passa a contar com dois parlamentares do PT, um do PTC, um do MDB, um do PSD, um do PR, um do PSB e um do PSL.

Os eleitores do Rio Grande do Norte definiram, neste domingo (7), os oito representantes do estado na Câmara dos Deputados. O PT foi o único partido a eleger dois deputados. Na eleição, apenas três deputados que cumprem mandato foram reeleitos: Rafael Motta (PSB), Walter Alves (MDB) e Fábio Faria (PSD). Foram apurados 1.966.450 votos. Destes, 1.609.833 foram votos válidos.

A Câmara Federal recebe cinco novos deputados potiguares: Benes Leocádio (PTC), Natália Bonavides (PT), Mineiro (PT), General Girão (PSL) e João Maia (PR).

Com esses nomes, o RN passa a contar com dois parlamentares do PT, um do PTC, um do MDB, um do PSD, um do PR, um do PSB e um do PSL.


(Foto: Montagem/Tribuna do Norte)
Eleições: AL ganha 9 novos deputados e 15 se reelegemPSDB vai ocupar cinco das 24 cadeiras em eleição que contou com 1.686.592 de votos válidos. Quinze deputados foram reeleitos.

Em 2019 a Assembleia Legislativa terá 15 deputados estaduais remanescentes da atual composição e 9 integrantes novatos. O quadro foi definido neste domingo, 7, após quase 1,7 milhão eleitores comparecerem às urnas no Rio Grande do Norte.

O PSDB segue com a maior bancada na Assembleia Legislativa. O partido, que hoje tem 8 deputados, ficará com 5 na próxima legislatura. Depois dos tucanos, aparecem MDB, Avante, Solidariedade, PT, PSD e PTC, com dois deputados cada. DEM, PR, Pros, PPL, PHS, PSL e PSOL terão 1 deputado cada.

Confira os eleitos:

Ezequiel Ferreira PSDB – Reeleito votos: 58.221

Gustavo Carvalho PSDB – Reeleito votos: 47.544

Bernardo Amorim AVANTE- votos: 42.049

Tomba farias PSDB – Reeleito votos: 41.249

Nelter Queiroz MDB – Reeleito votos: 40.717

Hermano Morais MDB – Reeleito votos: 38.05

Galeno Torquato PSD – Reeleito votos: 34.532

George Soares PR – Reeleito votos: 34.263

Raimundo Fernandes PSDB – Reeleito votos: 33.965

Cristiane Dantas PPL – Reeleita votos: 33.860

Kelps Lima Solidariedade – Reeleito votos: 33.819

Getúlio Rêgo DEM – Reeleito votos: 33.477

Isolda Dantas PT votos: 32.963

Kléber Rodrigues AVANTE votos: 32.755

Vivaldo Costa PSD – Reeleito votos: 32.638

Albert Dickson PROS – Reeleito votos: 31.698

Souza Neto PHS – Reeleito votos: 31.097

André Azevedo PSL votos: 27.606

José Dias PSDB – Reeleito votos: 27.275

Francisco do PT PT votos: 23.448

Eudiane Macedo PTC votos: 22.333

Allyson Bezerra Solidariedade votos: 20.228

Ubaldo Fernandes PTC votos: 20.148

Sandro Pimentel PSOL votos: 19.158


(Foto: Assessoria)
Eleições RN: Robinson é reprovado e derrotado pelo povoGovernador que tentava reeleição foi esmagado em todo o Estado e sofreu vergonhosa derrota em Natal e em Mossoró

Com apenas 192.037 votos em todo o estado, praticamente apenas um quarto do total obtido pela candidata líder nas eleições no primeiro turno, Fátima Bezerra, e menos da metade do segundo colocado, Carlos Eduardo, o atual governador Robinson Faria tem um adeus bisonho no atual pleito e nas urnas do Rio Grande do Norte.

Fátima Bezerra, primeira colocada e maior favorita no segundo turno, teve uma votação consagradora, 46,17% do total de votos válidos (748.150 votos), e disputa o segundo turno com Carlos Eduardo Alves que conseguiu 32,45% dos votos válidos (525.935). Robinson Faria, por sua vez, só conseguiu 11,85% dos votos dados para o governo do Estado.

O bisonho desempenho de Robinson Faria nas urnas, levando uma contundente e verdadeira surra do eleitorado fica mais evidente quando se observa os resultados de Natal e de Mossoró, as duas principais cidades do Estado. Em Natal, Robinson ficou na quarta posição com apenas 8,24% dos votos (31.228), atrás até mesmo de Breno Queiroga que teve 9,28% (35.131), o terceiro colocado, de Fátima Bezerra que ficou com 29,05% (110.012), e de Carlos Eduardo, o vitorioso na capital, que teve 47,65% (180.490).

Em Mossoró, Robinson Faria também ficou ma quarta posiçãocomendo poeira para o candidato Breno Queiroga. Robinson conseguiu apenas 8,30% dos votos dos mossoroenses (8.996), abaixo de Breno Queiroga, o terceiro, que teve 10,89% (11.810), do segundo colocado, de Carlos Eduardo Alves que ficou com 34,36% (37.242), e da mais votada, Fátima Bezerra, que alcançou 43,02% (46.634).

O que levou Robinson Faria a esta debacle anunciada? Será que foram os lamentáveis desempenhos de seu governo nas áreas de Educação, Saúde e Segurança? Será que foi o atraso no pagamento dos servidores públicos estaduais? Será que foi a incapacidade de atrair novos investimentos e mais empregos para o Estado? Ou será que foi a incompetência de sua equipe de comunicação em divulgar os feitos de seu governo?

Certamente seu bisonho desempenho tem a ver com a mediocridade nas áreas de Educação e de Saúde, e da absoluta sensação de insegurança que se faz presente na vida do norteriograndense, e de uma absoluta incapacidade da comunicação oficial em divulgar as coisas boas de seu governo, que certamente também existiram. Soma-se a isso, que já é muito, entrevistas de titulares de pastas importantes de sua administração sugerindo que estava em discussão a  possibilidade de demissão de milhares de servidores públicos estaduais.


Robinson Faria foi reprovado pelo povo (Foto: Poder 360)
Bolsonaro e Haddad seguem na disputa presidencialSerá o sexto segundo turno em oito eleições presidenciais desde a redemocratização de 1985.

O deputado fluminense Jair Bolsonaro (PSL) e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad (PT) se enfrentarão no segundo turno da eleição para presidente, no próximo dia 28, projeta Datafolha.

A onda de apoios que impulsionou Bolsonaro, 63, na última semana antes do primeiro turno espraiou-se, mas não foi suficiente para finalizar o jogo neste domingo (7). Ele tem 47,35% dos votos válidos, com 87,91% das urnas apuradas. Uma série de candidatos associados a seu nome nos estados teve desempenho superior ao que as pesquisas indicavam.

Já Haddad, 55, amealhou até agora 27,55% dos votos válidos, conquistando endosso significativo na região Nordeste, berço do homem que o colocou na corrida, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Será o sexto segundo turno em oito eleições presidenciais desde a redemocratização de 1985.

Se de 1994 a 2014 o que estava em jogo era avalizar ou rejeitar a gestão anterior, agora tanto Bolsonaro como Haddad são opositores ferrenhos da agônica e impopular Presidência de Michel Temer (MDB). O segundo turno, porém, vai se dar entre os dois candidatos de maior rejeição pelo eleitorado.

O deputado conseguiu associar-se à figura da novidade na política, mesmo sendo congressista desde 1991, e ganhou para si o rótulo de combatente principal contra o PT. Promete "quebrar o sistema", sem dizer exatamente como o fará, apoiando-se na rejeição da política tradicional -algo que vai além de Lula, mas o inclui.

Já o ex-prefeito apresenta-se como um redentor de políticas de seu partido durante a era Lula, buscando esquivar-se do desastre econômico legado por Dilma Rousseff (PT), impedida e substituída por seu vice, Temer, em 2016.

Essa particularidade explica o fiasco experimentado pelo PSDB nessa eleição. O partido apoiou o impeachment e aliou-se a Temer até o ano passado, mesmo contra a vontade de seu candidato, o ex-governador paulista Geraldo Alckmin.

De porta-estandarte do combate à corrupção protagonizada pelo PT, simbolizado pela Operação Lava Jato, a sigla viu o seu quase vencedor de 2014, Aécio Neves, ser envolvido em investigações policiais.

O papel de bastião do antipetismo foi conquistado por Bolsonaro. Com tudo isso, Alckmin teve o pior desempenho da história do partido em eleições presidenciais, com 4,94% dos válidos até agora.


(Foto: Veja)
Fátima Bezerra e Carlos Eduardo levam o RN ao 2º turnoOito candidatos concorreram ao governo do RN no primeiro turno das eleições 2018

A disputa do governo do Rio Grande do Norte será decidida no segundo turno. Fátima Bezerra (PT) liderou os votos, com 45,8%, seguida por Carlos Eduardo (PDT), com 32,6%. Os dois disputam o futuro do governo no próximo dia 28.

Essa foi a primeira eleição em quase cinquenta anos sem a presença de Henrique Alves (MDB), eleito onze vezes consecutivas para a Câmara Federal. Preso e depois liberado devido a investigações que apontam desvios em obras públicas, o veterano assiste seu partido apoiar a candidatura de Carlos Eduardo, prefeito eleito de Natal por quatro vezes.

Oito candidatos concorreram ao governo do RN no primeiro turno das eleições 2018. Entre eles, o atual governador do estado, Robinson Faria (PSD), que ficou em terceiro lugar nas votações e ficou fora da disputa.

Fátima já era apontada pelas pesquisas Ibope como a líder das intenções de voto, inclusive no último sábado (6), com 45% dos votos válidos. 


(Foto: Montagem)
Styvenson e Zenaide são eleitos senadores do RNGaribaldi Alves Filho perde vaga ao Senado

O Rio Grande do Norte elegeu o capitão Styvenson Valentim (Rede) e a Dra. Zenaide Maia (PHS) para o Senado Federal. Com 96% das urnas apuradas, Capitão Styvenson teve 25,98% dos votos válidos e Zenaide Maia, 22,58%.

Neste ano o eleitor escolheu dois candidatos ao Senado porque o mandato é de oito anos, mas as eleições ocorrem de quatro em quatro anos. Assim, a cada eleição, a Casa renova, alternadamente, um terço e dois terços de suas 81 cadeiras. Neste ano, 54 vagas estavam em disputa no país.

Styvenson Valentim despontava desde o início das eleições como favorito nas pesquisas. Ele era seguido por Zenaide Maia, que dividia a segunda colocação com Garibaldi Alves Filho (MDB) e Geraldo Melo (PSDB).

Garibaldi Alves Filho (MDB) não foi reeleito. Ele ocupava uma cadeira no Senado desde 1° de fevereiro de 2003 e foi presidente da casa e do Congresso Nacional entre dezembro de 2007 e fevereiro de 2009. 


(Foto: Montagem)
IBOPE: Bolsonaro chega a 41% dos votos válidosBolsonaro, 41%; Haddad, 25%; Ciro, 13%; Alckmin, 8%

O Ibope divulgou neste sábado (6) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. Segundo o instituto, desde a pesquisa divulgada no dia 3, e realizada nos dias 1 e 2 de outubro, o primeiro colocado, Jair Bolsonaro, cresceu quatro pontos, enquanto Fernando Haddad, em segundo lugar, oscilou um ponto para baixo.

A probabilidade de os resultados retratarem a realidade é de 95%, considerando a margem de erro, de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa ouviu 3.010 eleitores na sexta-feira (5) e no sábado (6).

Votos válidos

Jair Bolsonaro (PSL): 41%

Fernando Haddad (PT): 25%

Ciro Gomes (PDT): 13%

Geraldo Alckmin (PSDB): 8%

João Amoêdo (NOVO): 3%

Marina Silva (REDE): 3%

Alvaro Dias (PODE): 2%

Cabo Daciolo (PATRI): 2%

Henrique Meirelles (MDB): 2%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

Eymael (DC): 0%

Vera (PSTU): 0%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Fonte: G1


(Foto: Folha/UOL)
Eleições: saiba a ordem de votação na urna Eleitores vão votar seis vezes neste domingo

Neste domingo (7), os eleitores vão às urnas escolher o novo presidente do Brasil, os governadores dos 26 estados e do Distrito Federal. Também serão escolhidos os 1.059 deputados estaduais das assembleias legislativas e 24 deputados distritais, 513 deputados federais e dois terços, ou seja, 54 senadores (que ficarão os próximos oito anos no Congresso).

A ordem de votação sofreu uma pequena mudança este ano em relação ao pleito de 2014, quando o primeiro voto foi dado para o deputado estadual. A mudança decorre da Lei nº 12.976, de maio de 2014, que alterou o parágrafo 3º do artigo 59 da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) .

Ordem de votação

O eleitor escolherá primeiro o deputado federal (quatro dígitos). Depois, será a vez de votar para um deputado estadual (cinco dígitos), dois senadores (três dígitos), um governador (dois dígitos) e, por fim, o presidente da República (dois dígitos).

Ao digitar os números, aparecerão a foto, o número, o nome e a sigla do partido do candidato. Se as informações estiverem corretas, aperte a tecla verde Confirma. Para o cargo de senador, o eleitor deve fazer a operação duas vezes. 

A urna eletrônica também tem a tecla Corrige, que permite ao eleitor mudar o voto caso detecte algum erro.

A Justiça eleitoral disponibilizou um simulador de votação para o eleitor praticar e não se confundir no dia da votação. 

Voto na legenda

Nos casos de deputado federal e estadual, o eleitor pode votar no partido, sem escolher um candidato específico. Neste caso, é preciso apertar dois dígitos (números do partido).  Antes da confirmação do voto, a urna apresentará a informação do respectivo partido e mensagem alertando ao eleitor que, se confirmado o voto, ele será computado para a legenda. 

 

Voto nulo e em branco

Há opção de anular o voto, nesse caso, basta votar em um número inexistente - que não seja de nenhum candidato ou partido - e confirmar.

Para votos em branco, há uma tecla específica na urna eletrônica. 

Os votos nulo e em branco não são considerados válidos, ou seja não entram na contagem para escolha de um candidato, são usados apenas para estatísticas. 

Cola eleitoral

Para facilitar e dar agilidade à votação, a Justiça Eleitoral sugere que o eleitor leve para a cabine de votação a cola eleitoral, em papel, com os números dos seus candidatos. Celulares não são pemitidos na cabine de votação.

Para serem eleitos chefes do Poder Executivo já no primeiro turno, os candidatos a presidente e os governadores precisam receber mais da metade dos votos válidos, excluídos brancos e nulos. Caso isso não aconteça, será realizado um segundo turno, em 28 de outubro, entre os dois que obtiverem maior votação.


(Foto: Agência Brasil)
IBOPE: Carlos sobe, mas Fátima pode ganhar em 1º turnoVotos válidos: Fátima Bezerra, 45%; Carlos Eduardo, 32%; Robinson Faria, 15%

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (6) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos para o governo do Rio Grande do Norte. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Votos válidos

Fátima Bezerra (PT): 45%

Carlos Eduardo (PDT): 32%

Robinson Faria (PSD):15%

Brenno Queiroga (Solidariedade): 4%

Dário Barbosa (PSTU):1%

Freitas Junior (Rede): 1%

Heró Bezerra (PRTB): 1%

Professor Carlos Alberto (PSOL): 1%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no primeiro turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto. Fonte: G1 RN; 


(Foto: Montagem)
IBOPE: Pela margem de erro, disputa pelo Senado será históricaCapitão Styvenson, 23%; Garibaldi Filho, 18%; Dra. Zenaide Maia, 18%; Geraldo Melo, 17%

Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (6) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos para o Senado no Rio Grande do Norte. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Votos válidos

Capitão Styvenson (Rede): 23%

Dra. Zenaide Maia (PHS): 18%

Garibaldi Filho (MDB): 18%

Geraldo Melo (PSDB): 17%

Jácome (Podemos): 10%

Magnólia (Solidariedade): 5%

Alexandre Motta (PT): 3%

Ana Célia (PSTU): 2%

Levi Costa (PRTB): 1%

João Morais (PSTU): 1%

Jurandir Marinho (PRTB): 1%

Professor Lailson (PSOL): 1%

Telma Gurgel (PSOL): 1%

Napoleão (Rede): 0%

Dr. Joanilson (DC): 0%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição.


(Foto: Costa Branca)
Certus: Eleição para o Senado segue acirradaGaribaldi Filho tem 17,55% de rejeição, seguido por Geraldo Melo 9,99%, Zenaide Maia 4,96% e Capitão Styvenson 3,45%.

Nas eleições deste ano, o eleitor tem dois votos para o Senado. A sondagem de votos válidos (soma do primeiro e segundo votos, segundo a metodologia usada pelo TSE), nesta quinta rodada da pesquisa FIERN/CERTUS, mostra Capitão Styvenson com 24,21% dos votos válidos, Zenaide Maia 20,16%, Garibaldi 18,42% e Geraldo Melo 18,00%. A pesquisa considera a margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. O levantamento ouviu 1.410 eleitores maiores de 16 anos residentes nas oito regiões do estado, entre os dias 30 de setembro e 3 de outubro.

A pesquisa estimulada (soma do primeiro e segundo votos), na comparação com a rodada anterior, aponta que Capitão Styvenson passou de 12,09% para 16,31% da intenção dos votos, Zenaide Maia saiu de 9,68% para 13,58% e Geraldo Melo, de 10,96% para 12,13%. Garibaldi Filho tinha 12,62% e nesta 12,41%. Na espontânea, Capitão Styvenson aparece com 15,67%, Zenaide Maia 10,00%, Garibaldi Filho 8,72% e Geraldo Melo com 6,31%.

O número de indecisos recuou. Na pesquisa anterior, divulgada dia 23 de setembro, pela FIERN/CERTUS, o percentual dos eleitores que respondeu “Não sabe” era de 20,11% e reduziu para 11,84% e “nenhum” passou de 23,05% para 20,53%.

O levantamento mediu ainda a intenção de votos por região do Estado. Na Grande Natal, Capitão Styvenson tem 45,88%, Geraldo Melo 27,71%, Garibaldi Filho 26,32% e Zenaide Maia 22,47%.

A rejeição dos candidatos também foi aferida durante as entrevistas com os eleitores potiguares. Garibaldi Filho tem 17,55% de rejeição, seguido por Geraldo Melo 9,99%, Zenaide Maia 4,96% e Capitão Styvenson 3,45%.


(Foto: Agência Senado)
Certus: Fátima Bezerra pode ser eleita em primeiro turnoA candidata do PT ao governo do RN pode liquidar a fatura já em primeiro tuno. Pela última pesquisa Certus/Fiern, Fátima está a 3,1% de conquistar o governo no domingo (7)

Com 46,91% dos votos válidos, a candidata Fátima Bezerra aparece como grande favorita para o governo do Rio Grande do Norte e pode liquidar a fatura já domingo (7) se conseguir mais 3,1% do eleitorado. Vale dizer que basta que Fátima Bezerra (PT) consiga que 1,6% de votos de outros candidatos migrem para ela.

Fátima é seguida por Carlos Eduardo (PDT), e seu mais provável adversário se houver 2º turno, com 33,55% dos votos válidos. Na terceira posição e a quilômetros de distância vem o atual governador Robinson Faria (PSD) com 12,53%, Breno Queiroga (Solidariedade) com 3,50%, e Professor Carlos Alberto (PSOL) com 2,58%.

A pesquisa foi feita no período de 30 de setembro a 3 deste mês e ouviu 1.410 eleitores em 8 regiões do RN. Seu intervalo de confiança é de 95% e sua margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.


Fátima Bezerra pode vencer em primeiro turno (Foto: Blog do Wallace)
Datafolha: Bolsonaro cresce e pode vencer já em 1º turnoCandidato do PSL chega a 39% dos votos válidos e começa a vislumbrar possibilidade de vitória já no primeiro turno

A pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (4) aponta continuação do crescimento constante do candidato Jair Bolsonaro (PSL), que agora chegou a 39% dos votos válidos (35% dos votos totais), três pontos percentuais acima do registrado na pesquisa do dia 2 deste mês. Na segunda posição se manteve Fernando Haddad (PT) com 25% dos votos válidos (22% dos votos totais), um ponto percentual acima do obtido na pesquisa anterior. Os outros principais postulantes, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin, estão com 13 e 9% dos votos válidos, respectivamente.

Os outros candidatos que pontuaram, em termos de votos totais, foram Marina Silva (4%), João Amoêdo (3%), Álvaro Dias (2%), Meirelles (2%), Daciola (1%).

Observando esses resultados da pesquisa Datafolha, os bolsonaristas estão a 11 pontos percentuais de vitória no primeiro turno. Ainda é algo muito distante, mas se levarmos em consideração que basta que o candidato do PSL consiga transferir para si 5 pontos e meio dos demais candidatos, e considerando que algumas candidaturas estão minguando, não se trata de uma postulação impossível, nem mesmo muito difícil.

Colocado pela mídia e pela elite acadêmica do país como candidato detestado pelas mulheres (que representam 52% do eleitorado), Bolsonaro, devidamente impulsionado pelo movimento que tentou detoná-lo, o "Ele Não", lidera entre as eleitoras com 28% (cresceu 1% com relaçao a pesquisa anterior de 2 deste mês), enquanto Haddad tem 23% (3% a mais que na pesquisa anterior). No eleitorado masculino, o capitão reformado do Exército é líder absoluto com 42% (quatro a mais que na pesquisa anterior), enquanto Haddad mantém os mesmo 22% da anterior.

A pesquisa do Datafolha foi feita nos dias 3 e 4 deste mês e ouviu 10.930 eleitores em 389 municípios do país. Seu nível de confiança é de 95% e sua margem de erro é de dois pontos percentuais para mais e para menos. A pesquisa foi contratada pela TV Globo e pelo jornal Folha de São Paulo.

 


Bolsonaro se consolida na liderança e pode vencer no primeiro turno
Ibope: Bolsonaro com 32% e Haddad 23%Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (3) traz consolidação do avanço de Bolsonaro e crescimento da rejeição de Haddad

A maratona de pesquisas continuou nesta quarta-feira (3), a quatro dias da eleição, com a divulgação da última sondagem feita pelo Ibope. Pelo Ibope, Bolsonaro lidera com 32% (na anterior estava com 31%); Haddad (PT) tem 23% (na anterior tinha 21%); Ciro (PDT) aparece com 10% (antes tinha 11%); Alckmin (PSDB) desceu para 7% (na anterior tinha 8%); e Marina (Rede) está com 4% (na anterior também tinha 8%).

Considerando apenas os votos válidos, que é o resultado que define quem ganha ou vai para o segundo turno, Bolsonaro foi para 38%, Haddad 28%, Ciro 12%, Alckmin 8%, Marina 4%, Amoêdo 3%, Meireles 2%, Alvaro Dias 2%, Daciolo 2%, e Boulos 1%. Esses dados indicam que Jair Bolsonaro (PSL) precisa de mais 12% para ganhar já no primeiro turno, percentual que pode ser bem menor se ele conseguir conquistar votos já definidos para os outros candidatos.

No quesito rejeição, Bolsonaro apresenta a mais alta, oscilando para baixo com relação a última pesquisa, feita em 1º de outubro - de 44 para 42%. Fernando Haddad tem uma rejeição alta de 37%; Ciro Gomes 16%; Alckmin 17%; e Marina Silva 25%.

A pesquisa foi realizada nos dias 1º e 2 deste mês e ouviu 3.010 eleitores em todas as regiões do país.


Bolsonaro e Haddad polarizam eleição
Venezuelanos chegam ao RN em voo da FABNo Rio Grande do Norte, os venezuelanos deixaram a Base Aérea de Parnamirim em um ônibus do Exército

Desembarcou no início da tarde desta quarta-feira (3) na Base Aérea de Parnamirim, na Grande Natal, o voo da Força Aérea Brasileira (FAB) com 60 venezuelanos que irão ficar abrigados na cidade de Caicó, na região Seridó potiguar. A aeronave decolou do Aeroporto Internacional de Boa Vista pela manhã.

Esta é a 11ª etapa do processo de interiorização de um total de 19 voos que saíram de Roraima para outros estados do país desde o mês de abril. Além dos 60 imigrantes transferidos para o RN, 16 têm destino o Rio de Janeiro (RJ), 26 seguirão para Guarulhos (SP), 15 para São Paulo (SP) e outros 7 para Brasília (DF). Conforme a Casa Civil, até agora foram interiorizadas 2.452 pessoas.

No Rio Grande do Norte, os venezuelanos deixaram a Base Aérea de Parnamirim em um ônibus do Exército com destino ao abrigo Aldeias Infantis SOS, em Caicó.

A interiorização busca ajudar os solicitantes de refúgio e de residência a encontrar melhores condições de vida em outros estados brasileiros. Todos aceitam, voluntariamente, participar do programa e são vacinados, submetidos a exame de saúde e regularizados no Brasil – inclusive com CPF e carteira de trabalho.

A iniciativa tem o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), da Agência da ONU para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Com informações do portal G1 RN.


(Foto: Foto: Renata Duarte)
Dólar, com baixa de 1,58%, está cotado a R$ 3,87O dólar acumula recuos seguidos, como ontem quando fechou em queda de 2,08%.

O dólar abriu o pregão de hoje (3) mantendo a tendência de queda, com baixa de 1,58%. A moeda norte-americana está cotada a R$ 3,8726 para venda.

O dólar acumula recuos seguidos, como ontem quando fechou em queda de 2,08%. O Banco Central mantém a política tradicional de swaps cambiais, sem ofertas extraordinárias de venda futura da moeda.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), iniciou o dia em alta de 2,33% com 83.512 pontos, mantendo a escala de valorização chegando a bater 4,69% no meio da manhã de hoje. Os principais papéis, chamados de blue chip, seguem a tendência, com Petrobras valorizando 5,08%.


(Foto: Reuters)
Ibope: 'Ele Não' funciona para Bolsonaro entre as mulheresPesquisa realizada em pleno período de manifestações aponta crescimento e liderança de Bolsonaro entre os eleitores do sexo feminino

Os apoiadores de Jair Bolsonaro (PSL) estão comemorando o crescimento do candidato líder das pesquisas no Ibope. Bolsonaro foi 27% na pesquisa anterior para 31% na pesquisa realizada no sábado (29) e no domingo (30), enquanto seu adversário mais próximo, Fernando Haddad (PT), estacionou nos 21%. Os demais viram o líder nas pesquisas se distanciar ainda mais - Ciro (PDT) com 11%; Alckmin (PSDB) com 8%; Marina Silva (Rede) com 4%; e João Amoêdo (Novo) com 3%. Depois desse pilotão, só pontuaram os retardatários Henrique Meirelles (MDB), 2%: e Cabo Daciolo (Patriotas), 1%.

Até aí, nada que surpreenda, Bolsonaro continua surfando ao sabor das ondas do jeito que provavelmente nem ele esperava, sempre na liderança e como nome a ser batido. A real surpresa vem das intenções de voto das mulheres já no primeiro turno: Jair Bolsonaro aparece liderando e crescendo também entre as mulheres com 24% das intenções de voto (crescimento de 6 pontos percentuais com relação a pesquisa anterior realizada no dia 26 de setembro0, enquanto Fernando Haddad perdeu um ponto percentual e agora está com 20%. Os outros principais candidatos ficaram com 12% (Ciro), 9% (Alckimin), e 5% (Marina), respectivamento.

O que surpreende é o fato de o candidato Bolsonaro ter melhorado seu desempenho entre as mulheres em pleno período de manifestações contra ele em mais de 30 cidades brasileiras - dentro do movimento Ele Não. A pesquisa foi realizada no dia das manifestações (sábado - 29) e no dia posterior (domingo (30), portanto recebeu toda a influência dos eventos de protestos e, apesar disso, ou graças a isso, apontou um Bolsonaro que se fortalece entre as mulheres e um Haddad estático e os demais candidatos apenas patinando.

O movimento Ele Não, que deve surgindo com a anuência da elite de professores universitários da área de humanas que apoiam o PT, pode ter sido um tiro no pé, mais um da esquerda brasileira. Com o Ele Não, além de ensejar dentro da lógica o Ele Sim, se coloca Jair Bolsonaro como o único protagonista do processo eleitoral, e os outros candidatos passam a uma condição de apenas coadjuvantes. O Ele Não faz com que o adversário de Bolsonaro seja apenas o próprio eleitor que discorda das ideias dele, mas esse eleitor não está inscrito como candidato, nem vai estar na máquina eletrônica para receber votos, nem adianta chamá-lo. Com o Ele Não, o próprio movimento retira do gramado os outros candidatos e suas propostas, inclusiva Haddad, e passa a se discutir se Bolsonaro deve ou não ser presidente do Brasil - é dar cacife demasiado a um candidato. Nesse sentido, a revolta e a indignação funcionam de forma negativa e o eleitor que ainda está em dúvida não tem como ser alcançado de forma negativa, ele quer algo que se apresente de forma positiva.

O avanço de Bolsonaro entre as mulheres e a ampla liderança entre os homens (39 a 21% pró o candidato do PSL) lhe transformam em um real favorito ao Palácio do Planalto.


Candidato avançou com o movimento Ele Não
Comércio no RN tem horário especial no feriadoDe acordo com a CDL, as lojas do Alecrim e da Zona Norte estarão fechadas

O feriado comemorado na quarta-feira,3, que faz alusão aos Santos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, padroeiros do Rio Grande do Norte, vai alterar o funcionamento de alguns serviços na capital potiguar.

De acordo com a Câmara de Dirigentes Lojistas de Natal (CDL), as lojas do Alecrim e da Zona Norte estarão fechadas. Já nos shoppings, apenas as praças de alimentação funcionam normalmente; as lojas abrem em horário de domingo.

A Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) informou que o sistema de transporte público vai operar com o efetivo do domingo. Além disso, será aplicada a tarifa social, onde nos pagamentos em dinheiro, o valor da tarifa cai de R$ 3,65 para R$ 1,80.

Segundo o Sindicato dos Bancários do RN, as agências estarão fechadas durante o feriado. Boletos bancários com data de vencimento marcada para essa quarta, poderão ser pagos sem juros no dia seguinte.

Confira abaixo, os horários de funcionamento do comércio de rua em Natal, supermercados, dos principais shoppings e bancos da cidade.

Comércio de rua

Alecrim: fechado

Centro da Cidade

Os grandes magazines Riachuelo, C&A, Marisa e Leader abrem das 8 às 16hs

Zona Norte: fechado

Shoppings

Midway Mall

Alimentação e Lazer: 11hs às 22hs

Lojas de Departamento: 13h às 21hs

Demais lojas: 15h às 21hs

Hipermercado EXTRA: 7h às 22h

Academia Smart Fit: 9h às 15h

Cinemark: conforme programação

Natal Shopping

Alimentação e lazer: 11h às 22h

Quiosques de alimentação: 13h às 22h

Âncoras e megalojas: 13h às 21h

Fórmula Academia: 9h às 15h

Cinépolis: conforme programação

Demais lojas e quiosques: 15h às 21h

Praia Shopping

Praça de Alimentação e Lazer: a partir das 11h.

Lojas e Quiosques: 15 às 21h

Cinema: conforme a programação

Shopping Cidade Jardim

Praça de Alimentação: a partir das 11h

Lojas e Quiosques: 15 às 21hs

Shopping Via Direta

Praça de Alimentação e Lazer: 12h às 22h.

Lojas e Quiosques: abertura facultativa das 14h às 20h

Partage Norte Shopping Natal

Lojas e quiosques: 15h às 21h

Praça de Alimentação/Lazer: 11h às 22h

Cinema: conforme programação

Shopping 10

Fechado

Supermercados

Funcionamento: 7h às 21hs

Bancos

Fechados


(Foto: PMN)
Bandidos explodem caixa eletrônico no Oeste PotiguarA Polícia Militar registrou a ocorrência por volta das 2h50. O grupo estava em um Renault Sandero da cor preta.

Cerca de 10 homens armados explodiram um caixa eletrônico da agência do Bradesco na cidade de Almino Afonso, cidade da região Oeste potiguar, na madrugada desta terça-feira (2). A quadrilha ainda fez disparos contra a base da Polícia Militar. Ninguém foi preso.

A Polícia Militar registrou a ocorrência por volta das 2h50. O grupo estava em um Renault Sandero da cor preta. Os homens explodiram o caixa do banco e depois atiraram pelas ruas da cidade, e também contra o pelotão da PM. A ação criminosa causou pânico entre os moradores.

"A cidade amanheceu com medo diante a violência. O banco já tinha sido alvo dos bandidos em outro assalto", disse Mara Núbia Bezerra, 47 anos, agricultora emoradora da cidade.

A quadrilha ainda espalhou grampos de ferro na pista com a intenção de danificar os pneus dos veículos e evitar a perseguição da polícia. Ainda não há informações se o grupo conseguiu levar o dinheiro do caixa.


(Foto: PMRN)
Ibope: Bolsonaro lidera com 31%; Haddad tem 21%Nas simulações para o segundo turno, só Ciro Gomes vence o capitão reformado

O Ibope divulgou nesta segunda-feira (1º) uma nova pesquisa de intenções de voto para a eleição presidencial. Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos em relação à pesquisa anterior e chegou a 31%, mantendo a liderança. Fernando Haddad (PT), é o segundo com 21%.

Depois, vêm Ciro Gomes (PDT), com 11%; Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%; e Marina Silva (Rede), com 4%

A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa foi encomendada pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo. O Ibope ouviu 3010 eleitores e o levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o seguinte protocolo: BR-08650/2018.

O pleito está marcado para o próximo domingo, dia 7 de outubro. Já o segundo turno acontece no dia 28 do mesmo mês.

Jair Bolsonaro (PSL): 31%

Fernando Haddad (PT): 21%

Ciro Gomes (PDT): 11%

Geraldo Alckmin (PSDB): 8%

Marina Silva (Rede): 4%

João Amoêdo (Novo): 3%

Alvaro Dias (Podemos): 2%

Henrique Meirelles (MDB): 2%

Cabo Daciolo (Patriota): 1%

Guilherme Boulos (PSOL): 0%

Vera Lúcia (PSTU): 0%

Eymael (DC): 0%

Branco/nulos: 12%

Não sabe/não respondeu: 5%

João Goulart Filho (PPL) não foi citado por nenhum entrevistado

Segundo turno

O Ibope também fez quatro simulações para o segundo turno. No duelo “Bolsonaro x Haddad”, há um empate numérico com 42% para cada um, com 14% de brancos e nulos e 3% de indecisos.

Contra Ciro Gomes, o capitão reformado sai derrotado por 45% a 39%, com 13% de brancos e nulos e 3% de indecisos.

No duelo “Geraldo Alckmin x Bolsonaro”, o tucano fica à frente com 42% contra 39%, mas há empate quando considerada a margem de erro, que é de dois pontos. Neste cenário, brancos e nulos somam 17% e indecisos são 3%.

 

Contra Marina Silva, Bolsonaro vence por 43% a 38%, com com 17% de brancos e nulos e 2% de indecisos.

 


(Foto: Reuters)
Moro quebra sigilo de delação de Palocci e Lula é citadoO ex-ministro pagará multa de R$ 35 milhões e terá redução de ⅔ da pena

O juiz federal Sérgio Moro quebrou o sigilo de parte do acordo de delação premiada de Antonio Palocci com a Polícia Federal. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, o magistrado responsável pela Operação Lava Jato afirmou que não vislumbra “riscos às investigações em outorgar-lhe publicidade” após examinar o conteúdo da delação.

Segundo o acordo, Palocci terá de pagar uma multa de R$ 35 milhões e teve redução de ⅔ da pena.

Os documentos também detalham um suposto esquema de indicações para cargos na Petrobras durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva e uma reunião no Palácio do Planalto que contou com a presença do então presidente. Na ocasião, ficou acertado o pagamento de R$ 40 milhões em propina para a campanha de Dilma Rousseff em 2010. A ex-presidente também estaria presente.

Vale ressaltar que tanto Lula quanto Dilma negaram as acusações de Palocci.

Além disso, Palocci também revela que, durante o governo do PT, foi discutida a “ideia de nacionalização do projeto do pré-sal" a partir do "aspecto social, de geração de empregos e desenvolvimento nacional, e objetivo, para atendimento dos interesses das empreiteiras nacionais, as quais tinham ótimo relacionamento com o governo".

Por fim, ainda de acordo com Mônica Bergamo, Palocci também diz na delação que seira "muito mais fácil discutir com a OAS,  Odebrecht, Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa contribuições para campanhas eleitorais do que se tentar discutir os mesmos assuntos com empresas estrangeiras”.


(Foto: Reuters)
Trump acusa Brasil de tratar empresas americanas injustamenteSegundo o presidente dos EUA, Brasil é um dos países mais difíceis do mundo para ter relações comerciais

O presidente americano, Donald Trump, acusou, nesta segunda-feira (1º), o Brasil de ser um dos mais difíceis do mundo para ter relações comerciais e disse que a forma como as empresas americanas são tratadas no país é injusta.

"É uma beleza, eles cobram de nós o que querem. Se você perguntar a algumas das empresas, elas dizem que o Brasil está entre os mais difíceis do mundo, talvez o mais difícil do mundo. Nós não ligamos para eles e dizemos: 'ei, vocês estão tratando nossas empresas injustamente, vocês estão tratando nosso país injustamente'".

Para Trump, o problema é que nenhum presidente americano anterior tentou negociar as relações comerciais com o Brasil. As declarações foram feitas após um jornalista questionar o republicano sobre as relações comerciais com a Índia, também acusada de cobrar, segundo Trump, enormes tarifas.

"A Índia cobra de nós tarifas tremendas. Quando enviamos Harley-Davidson, motocicletas, eles cobram elevadas tarifas. E eu falei com o primeiro-ministro Modi, ele vai reduzi-las, substancialmente", afirmou.

O republicano convocou a imprensa para comentar a decisão do Canadá de embarcar no acordo comercial que os Estados Unidos já haviam negociado com o México.


(Foto: Leah Millis/Reuters)
Bolsonaro: Eleição vira plebiscito sobre um protagonistaAs campanhas do Ele Não e do Ele Sim dividem o país, não com relações a posições politicas ou propostas, mas sobre o querer ou não um candidato

As campanhas do Ele Sim e do Ele Não que aconteceram em dezenas de cidades brasileiras no sábado (29) evidenciam a primazia de um candidato como protagonista único do pleito eleitoral deste ano que reune vários outros nomes na disputa.

Com a intenção maior de desconstruir uma candidatura que incomoda a elite acadêmica, a boa parte da outrora grande mídia (agora são as redes sociais puxada pelo gigante mundiaL Facebook), e a grupos de minorias, campanhas instigadas por clichês, como o do Ele Não, em referência ao candidato Jair Bolsonaro (PSL) se alastraram pelo país e motivaram o outro lado da moeda: o Ele Sim, dos defensores do nome que lidera as pesquisas de intenção de voto.

O próprio alardeamento do placar de cidades que tiveram manifestações do Ele Não com relação ao número menor das que tiveram mobilizações do Ele Sim, evidencia uma espécie de torcedores de time de futebol e um objetivo que se revela maior que o próprio processo de escolha popular de um presidente de República, o de buscar evitar que um cidadão venha ter êxito em seu pleito de conquistar o poder. O Ele Não, que pode ser até simpático e bem intencionado em seu princípio, abre a brecha inevitável para que os candidatos e partidos fujam dos grandes temas e problemas que têm de serem enfrentados por quem chegar ao governo.

Com o Ele Não, Ele Sim, e o protagonismo avassalador do Bolsonarismo, não se discute mais o que fazer com relação a Segurança Pública, nem com a Saúde Pública que agoniza a muitos anos, nem muito menos com a Educação, uma das mais ineficazes do mundo. O que se discute é como alastrar a Antipatia por um candidato, ou então, a Simpatia por esse mesmo candidato.

O atual quadro, que não deve mudar nos dias que faltam para o 7 de outubro, leva a eleição presidencial deste ano para um simples e direto plebiscito: você quer ou não que Bolsonaro chegue ao poder? Se não, a alternativa concreta para evitar isso é votar no segundo coloado nas pesquisas e que tem musculatura em termos de militância para se contrapor ao nome do PSL - Fernando Haddad, do PT; se sim, e você realmente deseja evitar que os petistas cheguem ao poder novamente, vote no líder das pesquisas e no nome que hoje divide o país - Jair Bolsonaro.

Está lançada a sorte, ou o azar, depende da visão de quem lê e de quem observa a cena política.


Eleição será sobre sim ou não para Bolsonaro (Foto: Paulo Lopes/ Pleno News)
Haddad vai a 22%; Bolsonaro enfraquece no 2º turnoO Instituto Datafolha ouviu 9.000 eleitores em 343 cidades de quarta (26) a esta sexta (28).

A nove dias do primeiro turno da eleição presidencial, Fernando Haddad (PT) subiu seis pontos e consolidou-se em segundo lugar na corrida eleitoral, com 22%.

Ela segue sendo liderada por Jair Bolsonaro (PSL), que se manteve estável com 28%, mas perdeu fôlego nas simulações de segundo turno, sendo derrotado em todas elas. A dupla lidera também no quesito rejeição do eleitor, indicando a polarização na disputa.

Os dados estão na nova pesquisa do Datafolha. Nela, Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB) empatam tecnicamente no terceiro posto. Marina Silva (Rede) murchou para um distante quarto lugar.

O instituto ouviu 9.000 eleitores em 343 cidades de quarta (26) a esta sexta (28). A margem de erro é de dois pontos percentuais, para cima ou para baixo. O levantamento foi contratado pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo. A pesquisa anterior havia sido feita nos dias 18 e 19.

Haddad, o preposto indicado por Luiz Inácio Lula da Silva para concorrer em seu lugar, já que foi declarado inelegível por ter condenação em segunda instância, cresceu de 16% para 22% nas intenções de voto estimuladas. Nas menções espontâneas, também cresceu seis pontos, chegando a 17%.

Ele teve seu mais forte crescimento nas regiões Nordeste (12 pontos) e Norte (13 pontos). No tradicionalmente lulista e populoso Nordeste, ele lidera com 38% das intenções de voto. Ali, Bolsonaro registra seu pior desempenho regional, com 16% de intenções de voto, empatado com Ciro Gomes (PDT), que tem 15% no seu território de origem.

O período da pesquisa coincidiu com uma zona de turbulência na campanha do capitão reformado, que se recupera internado de uma facada recebida no dia 6. Na quarta, a Folha de S.Paulo revelou um documento do Itamaraty relatando uma ameaça de morte atribuída a Bolsonaro por uma ex-mulher, que hoje nega ter dito isso. Na quinta, surgiu a fala de seu vice, Hamilton Mourão (PRTB), criticando o 13º salário, e mais acusações contra o deputado no processo de divórcio divulgadas pela revista Veja.

Bolsonaro segue com os mesmos 28% que recebeu no levantamento anterior, na pesquisa estimulada. Na declaração espontânea, oscilou positivamente um ponto, para 25%.

No terceiro pelotão, a disputa está embolada entre Ciro, que oscilou negativamente dois pontos e tem 11%, e Alckmin, que subiu dentro da margem de 9% para 10%. No caso do pedetista, o forte crescimento de Haddad no seu quintal eleitoral, o Nordeste, ajuda a bloquear seus movimentos. Já o tucano, apesar de contar com o maior tempo de propaganda eleitoral gratuita, viu sua campanha mais incisiva por um voto útil contra Bolsonaro e PT fracassar em lhe auferir apoio.

Já Marina confirmou a tendência de queda livre e oscilou mais dois pontos para baixo, atingindo 5% na pesquisa estimulada. A candidata da Rede está agora um pouco acima do bloco dos nanicos eleitorais, integrado por João Amoêdo (Novo, 3%), Alvaro Dias (Podemos, 2%), Henrique Meirelles (MDB, 2%), Vera (PSTU, 1%), Guilherme Boulos (PSOL, 1%) e Cabo Daciolo (Patriota, 1%).

As simulações de segundo turno trazem más notícias para Bolsonaro. Se nas duas semanas seguintes ao ataque de Juiz de Fora ele viu seu desempenho melhorar nos embates com os principais adversários, agora ele perde para todos com uma curva desfavorável.

Ciro ampliou a vantagem sobre o deputado, que batia por 45% a 39% na pesquisa anterior, derrotando-o por 48% a 38%. O pedetista segue sendo o único a vencer todos os embates nas simulações de segundo turno.

Haddad saiu do empate em 41% e supera Bolsonaro por 45% a 39%, melhorando também seu desempenho contra o PSDB: empata com Alckmin em 39%, o que dificultará a ideia tucana de vender o candidato como alguém que venceria o PT com certeza no segundo turno. Questionados sobre mudança de voto, 18% dos apoiadores do tucano optariam pelo capitão.

A raiz da dificuldade de Bolsonaro é sua rejeição, que paradoxalmente é a principal fraqueza também de Haddad, hoje seu principal oponente. Ambos os candidatos são os que registram a maior taxa de "não voto de jeito algum" da pesquisa.

O deputado subiu de 43% para 46% e o petista, de 29% para 32%, confirmando o caráter plebiscitário e polarizado da disputa. Isso também se nota na convicção de seus eleitores, superior à dos outros candidatos: 79% dos bolsonaristas e 78% dos pró-Haddad dizem não mudar de opção.

A rejeição ao candidato do PSL segue forte entre as mulheres, objeto da campanha #elenão. O rejeitam 52% das eleitoras. Na pergunta estimulada, seu eleitorado feminino é de apenas 21%, contra os 37% que alcança entre homens. Jovens de 16 a 24 anos (55%) e os mais pobres (52%) são outros grupos que lideram a tendência de descartar o voto nele.

Já Haddad é mais rejeitado pelos eleitores que ganham mais de dez salários mínimos (59%), com nível superior (48%) e do sexo masculino (39%). A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-08687/2018. O nível de confiança é de 95%. Com informações da Folhapress.


(Foto: Reuters)
MP apreende panfletos irregulares em comitê de FátimaOs encaminhamentos dessa apreensão serão adotados no âmbito da investigação que transcorre na PRE e da representação eleitoral em trâmite no TRE.

O Ministério Público Eleitoral, com o apoio da Polícia Militar e do Ministério Público Estadual, cumpriu - na tarde desta sexta-feira (28) - mandados de busca e apreensão em endereços vinculados a candidatos da Coligação “Do Lado Certo” (PT / PHS / PC do B), com o intuito de apreender material de propaganda eleitoral que contivesse o ex-presidente Lula ainda como candidato à Presidência da República.

Luiz Inácio Lula da Silva teve o registro de sua candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que proibiu, também e em virtude disso, a continuidade da aparição do ex-presidente – na condição de candidato - em qualquer meio de propaganda eleitoral divulgada pelos partidos integrantes da coligação composta pelo Partido dos Trabalhadores (PT). 

Nesta semana, o TSE autorizou os juízes auxiliares da propaganda eleitoral - em todo o país - a mandar apreender qualquer material que constatassem nessa condição, ressalvados, porém, os impressos em que Lula aparece apenas como apoiador, a exemplo do que utiliza o slogan “Haddad é Lula”.  

Em alguns estados foi detectada a continuidade da utilização e da distribuição do material proibido, mesmo depois da decisão do TSE. No Rio Grande do Norte, inúmeras denúncias chegaram ao Ministério Público Eleitoral, inclusive instruídas com vídeos e fotografias do material verificado. A partir delas, O MP Eleitoral instaurou uma investigação e, com as provas que reuniu, requereu do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) as buscas e apreensões cumpridas nesta sexta-feira.

Dentre os endereços inspecionados, o material proibido foi encontrado no Diretório Municipal do PT em Mossoró e no comitê de campanha de Fátima Bezerra, candidata ao governo do Estado pela Coligação “Do Lado Certo”, em Natal. Nesse último, cerca de 130 mil impressos, dentre panfletos e “santinhos”, foram apreendidos por apresentarem a figura do ex-presidente Lula ainda como candidato presidencial. 

Os encaminhamentos dessa apreensão serão adotados no âmbito da investigação que transcorre na PRE e da representação eleitoral em trâmite no TRE.


(Foto: Rede Social)
TRE nega direito de resposta de Carlos à Fátima Em sessão plenária ocorrida nesta sexta (28), o Plenário do TRE-RN negou recurso da coligação de Carlos Eduardo Alves

Na sessão plenária desta sexta-feira (28), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) analisou um recurso da coligação '100% RN', do canddidato Carlos Eduardo, que solicitava a concessão do direito de resposta em face da coligação 'Do Lado Certo'. liderada pela senadora Fátima Bezerra. Sob relatoria do juiz Almiro Lemos e, em decisão colegiada, a Justiça Eleitoral votou pelo conhecimento e desprovimento do recurso.

Conforme explicado pelo relator, o recurso na representação se referia ao caso de programa eleitoral realizado pela coligação 'Do Lado Certo' e que continha a reprodução de notícias de jornais acerca das investigações envolvendo o candidato ao cargo de governador da coligação '100% RN'. O TRE-RN, após análise, entendeu que, por não se tratar de uma inverdade sabida, em virtude de se embasar em notícias veiculadas pelos meios de comunicação, não cabia a concessão do direito de resposta. O juiz Almiro ainda ressaltou que “deve ser reconhecido o exercício do debate político. Portanto, cabe ao representante defender-se das afirmações dentro do tempo que ele já dispõe e na dialética própria do debate político”, afirmou.

Estiveram na pauta, ainda, embargos de declaração e processos administrativos. As sessões acontecem no Plenário da sede do TRE-RN, localizada na Av. Rui Barbosa, nº 215, Tirol. Para acompanhar, basta identificar-se na recepção deste Regional Eleitoral apresentando documento com foto.


(Foto: Tribuna do Norte)
Desemprego recua para 12,1% em agostoSegundo o IBGE, ele ainda atinge 12,7 milhões de pessoas

A taxa de desemprego no Brasil caiu para 12,1% no trimestre encerrado em agosto, na quinta queda mensal consecutiva, mas ainda atinge 12,7 milhões de brasileiros, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se de um contingente 4% menor de desempregados que o registrado no trimestre até maio (529 mil pessoas a menos). Já na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, quando havia 13,1 milhões de desempregados no país, a população desocupada caiu 3,1% (menos 406 mil pessoas).

O resultado ficou ligeiramente melhor do que a média das expectativas de 26 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data, que apontava uma taxa de12,2%.

Número de desalentados segue recorde

O número de desalentados (que desistiram de procurar emprego), que havia batido recorde no mês passado, se manteve estável em 4,8 milhões. Em 1 ano, entretanto, a alta é de 13,2% (mais 555 mil pessoas).

A população ocupada cresceu 1,3% (mais 1,2 milhão de pessoas) em relação ao trimestre móvel anterior, atingindo 92,1 milhões de brasileiros. Em relação ao mesmo trimestre de 2017, houve alta de 1,1% (mais 1 milhão de pessoas).

Apesar do crescimento da população ocupada, os dados do IBGE mostram que a queda da taxa de desemprego tem sido puxada não por empregos com carteira assinada, e sim por vagas informais, pelo trabalho por conta própria ou doméstico.

O contingente fora da força de trabalho também se manteve estável no trimestre encerrado em agosto. O número de brasileiros que nem trabalham nem procuram emprego segue no patamar recorde de 65,5 milhões, um aumento de 1 milhão em 1 ano.

Trabalho sem carteira é o que mais cresce

O número de empregados no setor privado com carteira de trabalho assinada (33 milhões) ficou estável na comparação com o trimestre de março a maio, mas caiu 1,3% (-444 mil pessoas) na comparação anual.

O número de trabalhadores sem carteira assinada (11,2 milhões) também ficou estável em relação ao trimestre anterior e subiu 4% (mais 435 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre do ano passado.


(Foto: Reuters)
Ex-mulher acusou Bolsonaro de furto de cofre e agressividadeAs informações constam de um processo de cerca de 500 páginas obtido pela revista Veja e revelado na noite desta quinta-feira

A separação litigiosa de Jair Bolsonaro (PSL) e da ex-mulher dele foi além da disputa pela guarda do filho do casal e incluiu acusações de furto de cofre, ocultação de bens e relatos de "comportamento explosivo" e "desmedida agressividade" do hoje candidato à Presidência da República pelo PSL.

As informações constam de um processo de cerca de 500 páginas obtido pela revista Veja e revelado na noite desta quinta-feira (27).

No documento, Ana Cristina Siqueira Valle acusou seu ex-marido de ocultar milhões de reais em patrimônio pessoal na prestação de contas à Justiça Eleitoral em 2006, quando foi candidato a deputado federal -e eleito em seguida.

Segundo a revista, Ana Cristina também acusou o ex-marido de furtar US$ 30 mil e mais R$ 800 mil -sendo R$ 600 mil em joias e mais R$ 200 mil em dinheiro vivo- de um cofre que ela mantinha em agência do Banco do Brasil, em 26 de outubro de 2007.

O caso resultou em um boletim de ocorrência registrado na 5ª Delegacia de Polícia Civil, no mesmo dia.A ex-mulher também disse no processo que a renda mensal do deputado na época chegava a R$ 100 mil. Para tal, Bolsonaro recebia "outros proventos" além do salário de parlamentar -à época, segundo a Veja, de R$ 26,7 mil como parlamentar e outros R$ 8.600 como militar da reserva. Ela não especificou quais seriam as fontes extras.

s acusações da ex-mulher descritas no processo obtido pela Veja incluem o caso revelado pela Folha de S.Paulo sobre a disputa da guarda do filho do casal, Jair Renan.

Ana Cristina afirmou, segundo documentos obtidos no Itamaraty, que ela sofria ameaças de morte de Bolsonaro. Em 2009, teria fugido para a Noruega por medo do deputado. A narrativa de Ana Cristina foi confirmada à Folha de S.Paulo por brasileiros que conviveram com a ex-mulher de Bolsonaro naquele país.

Conforme também revelou a Folha de S.Paulo, Bolsonaro acionou o Itamaraty devido à disputa de guarda entre o casal, que acontecia em paralelo ao desenrolar do caso do cofre. Segundo a revista Veja, enquanto a ex-mulher o acusava de furto do cofre, o deputado dizia que Ana Cristina tinha sequestrado o filho Jair Renan.

Atualmente Ana Cristina usa o sobrenome Bolsonaro e é candidata a deputada federal pelo Podemos. Hoje ela nega as acusações -diz que foram excessos na separação- e defende o ex-marido.Ana Cristina também reagiu de forma negativa à reportagem da Folha de S.Paulo que revelou as ameaças de morte relatadas por ela ao Itamaraty. Em vídeo divulgado nas redes sociais, a ex-mulher do deputado chamou o jornal de "sujo" e se colocou à disposição de Bolsonaro para ajudá-lo a se tornar presidente.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, a ex-mulher do deputado chamou o jornal de "sujo" e se colocou à disposição de Bolsonaro para ajudá-lo a se tornar o próximo presidente do Brasil.

A separação de Bolsonaro e da ex-mulher foi oficializada em 2008, depois de dez anos em que o casal ficou junto.Em relação à acusação de furto do cofre, Ana Cristina foi chamada a depor duas vezes pela polícia, mas não compareceu -em 2017, o caso foi encerrado sem esclarecimento.

Questionada pela revista Veja, Ana Cristina se esquivou e não explicou sobre como resolveu o litígio com Bolsonaro e passou a apoiá-lo publicamente. "Quando você está magoado, fala coisas que não deveria", limitou-se a dizer.

Sobre as joias, a ex-mulher de Bolsonaro disse que eram coisas que havia juntado após ganhá-las de Bolsonaro.Questionada sobre por que não atendeu às convocações para depor na polícia, Ana Cristina respondeu: "Não lembro. Fiquei quieta". Por quê? "Não me sentia à vontade. Iria dar um escândalo para ele e para mim. Deixei para lá", disse à revista Veja. "Nós dois tínhamos um acordo de abrir mão de qualquer apuração porque não seria bom."Procurado, Bolsonaro não quis dar entrevista. Com informações da Folhapress. 


(Foto: O Globo)
TSE julga Garotinho inelegível e o afasta de campanhaTrata-se do primeiro caso em que o TSE aplicou a Ficha Limpa nas eleições majoritárias deste ano

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu hoje (27), por unanimidade, que o ex-governador do Rio Anthony Garotinho está inelegível e, portanto, deve suspender de imediato a campanha ao governo fluminense nas eleições deste ano. Ele também está proibido de gastar recursos do Fundo Eleitoral.

O TSE confirmou decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), que no último dia 6 já negou o registro de candidatura a Garotinho. Ele figura como segundo colocado em pesquisas de intenção de voto ao governo do Rio.

Garotinho teve seus direitos políticos suspensos pelo TSE por ter sido condenado por improbidade administrativa e enriquecimento ilícito, em julho, pela segunda instância do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). O caso envolve desvios de R$ 234,4 milhões da área de Saúde do Rio de Janeiro quando ele era secretário da pasta, entre 2005 e 2006.

Trata-se do primeiro caso em que o TSE aplicou a Ficha Limpa em face de condenação por improbidade nas eleições majoritárias deste ano, estabelecendo jurisprudência para os julgamentos daqui em diante.

Para o relator do caso, ministro Og Fernandes, a condenação se enquadra de modo preciso nos critérios da Lei da Ficha Limpa, que prevê a inelegibilidade de pessoas condenadas por improbidade em órgãos judiciais colegiados. “Não há dúvida de que a condenação atende aos requisitos”, afirmou.  


Foto: Destak Jornal
Cotistas têm até sexta (28) para sacar PIS/PasepMais de 11 milhões de beneficiários com menos de 60 anos já fizeram o saque.

Cotistas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) têm até amanhã (28) para sacar o benefício fora dos critérios previstos em lei. É o caso dos trabalhadores com menos de 60 anos. De acordo com o último balanço do Ministério do Planejamento, há 4,5 milhões de pessoas nessa faixa etária que ainda não retiraram os recursos.

Mais de 11 milhões de beneficiários com menos de 60 anos já fizeram o saque. Aqueles que optarem por não retirar os recursos até amanhã não perdem o direito ao dinheiro. Poderão fazer o saque futuramente, quando passarem a cumprir um dos critérios habituais, conforme determina a Lei 13.677/2018.

Até 2017, os saques dos fundos PIS/Pasep só eram permitidos para cotistas com idade mínima de 70 anos ou para os casos de aposentadoria, herdeiro de cotista, pessoas em situação de invalidez ou acometidos por algumas doenças específicas. A partir do dia 29, os saques voltam a ser exclusivos para aqueles que atenderem a um dos critérios citados, sendo que a idade mínima fixada pela lei passou para 60 anos.

Horário estendido na Caixa

Para facilitar o atendimento aos cotistas do PIS que ainda não sacaram seus benefícios, as agências da Caixa Econômica Federal abrirão duas horas mais cedo nesta sexta-feira, exceto nas regiões em que, devido ao fuso, esse horário não for a melhor condição de atendimento aos clientes. Para essas regiões específicas, o horário também será ampliado, mas cada superintendência local decidirá se abrirá a agência antes ou se fechará depois do expediente normal.

Quem tem direito

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Têm direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os rendimentos anuais depositados nas contas de trabalhadores, instituídas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Do início do processo de flexibilização até o último dia 23, foram pagos R$ 18,03 bilhões aos cotistas do fundo PIS/Pasep, beneficiando 16,3 milhões de cotistas. Cerca de R$ 24 bilhões ainda estão disponíveis no fundo, com mais de 12 milhões de pessoas com cotas para resgatar.


Foto: José Cruz/Arquivo Agência Brasil
Bolsonaro deve ter alta de hospital nesta sextaEle pegará um avião de carreira, como vinha fazendo em sua campanha antes do ataque

Hospitalizado desde 6 de setembro, quando recebeu uma facada em Juiz de Fora (MG) durante ato de campanha, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) deve ter alta do hospital Albert Einstein, em São Paulo, nesta sexta-feira (28).

O candidato embarcará à tarde em avião para o Rio de Janeiro, onde mora em um condomínio na Barra da Tijuca, na zona oeste. Ele pegará um avião de carreira, como vinha fazendo em sua campanha antes do ataque.

Bolsonaro frequentemente se refere à morte do presidenciável Eduardo Campos, em 2014, como atentando político, e por isso se recusa a viajar de jatinho.

O capitão reformado já disse que não terá condições físicas de voltar a fazer campanhas nas ruas antes do primeiro turno, marcado para 7 e outubro. Ele permanecerá com uma bolsa de colostomia nos próximos meses, o que faz com que ele tenha que permanecer longe de ambientes de grandes aglomerações.

Por outro lado, ele trabalha com o planejamento de participar do debate da TV Globo, marcado para 4 de outubro. Ele não deve marcar presença no debate da TV Record, no domingo (30).

"Se ele sentir que vai lá para o sacrifício, ficar duas horas em pé com a bolsa de colostomia na barriga, com todos os transtornos e incômodos, ele vai avaliar", diz Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidenciável e candidato ao Senado no Rio, destacando, no entanto, que o pai demonstrou interesse em participar do evento.

O presidenciável também já anunciou que fará uma transmissão ao vivo nas redes sociais todos os dias durante o horário eleitoral. Com informações da Folhapress. 


(Foto: Assessoria)
Ciro deixa hospital e diz que volta "para a luta"Ciro saiu do hospital Sirio Libanês, em São Paulo, direto para o debate, ainda usando uma sonda.

O candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, que passou por um procedimento médico nesta terça-feira e cancelou parte de sua agenda de rua disse que fará "o que é necessário e o que puder" na última semana de campanha antes do primeiro turno.

"Gosto de estar na rua, mas a gente faz o que é necessário e o que pode", disse, em seu camarim.

Ciro saiu do hospital Sirio Libanês, em São Paulo, direto para o debate, ainda usando uma sonda.

"Tenho já 60 anos, e é muito importante que todos os homens a partir dos 30 façam o exame de toque. Eu faço a prevenção da próstata", disse. Segundo o candidato, por causa da agitação da campanha, um dos vasos da próstata rompeu. "E eu sangrei pela urina."

Segundo ele, o médico já o "devolveu para a luta". Questionado sobre a última pesquisa Ibope, Ciro disse acreditar que o primeiro turno terá "um resultado bem diferente" do das pesquisas.

"É possível que eles [institutos] simplesmente errem porque a população está em permanente mutação, ninguém está apaixonado, é um fim de ciclo, o ódio está demarcando o campo de uma forma muito grave." 


(Foto: O Globo)
Projeto da Bacia do Piranhas-Açú começa a ser realizadoO objetivo primário é definir as principais atividades econômicas viáveis e identificar as fragilidades ambientais, de forma que o possam ser implantadas ações respeitando o ambiente no qual se localizam.

Foi dado início à implementação do Macro Zoneamento Econômico-Ecológico da Bacia Hidrográfica do Piranhas-Açú. Os recursos aplicados no zoneamento somam aproximadamente R$ 3 milhões do Governo do RN através do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

O objetivo primário é definir as principais atividades econômicas viáveis e identificar as fragilidades ambientais, de forma que o possam ser implantadas ações respeitando o ambiente no qual se localizam. O estudo terá 14 meses para ser elaborado, abraçando os 47 municípios inseridos na bacia.

O plano de trabalho e cronograma de atividades foi discutido com técnicos do Instituto de Defesa do Meio Ambiente do RN (Idema), da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e do Projeto Governo Cidadão, que contratou a Companhia Brasileira de Projeto e Empreendimentos (Cobrape) para desenvolver as atividades.

“Um dos principais desafios da aplicação de um zoneamento no Piranhas-Açú é a situação climática do semiárido. A questão hídrica da bacia é bem deficitária. A bacia do Piranhas-Açú é totalmente dependente de reservatórios e de açudes. Outro desafio são os processos de desertificação, que são muito fortes. Nos locais onde há o processo de desertificação é inviável construir ou plantar alguma coisa”, explica Vagner Araújo, secretário da Sethas e coordenador do Projeto Governo Cidadão.

De acordo com Ana Maria Marcelino, assessora técnica do IDEMA, a região dessa bacia é uma das principais produtoras do RN, mas a exploração de seus recursos naturais foi feito ao longo de décadas sem o devido controle e sem levar em consideração a forma como afetaria o meio ambiente. “A bacia do Piranhas-Açú é uma bacia importantíssima para o desenvolvimento do estado. O zoneamento vai orientar o desenvolvimento, tentar recuperar aquilo que se perdeu, incentivar e orientar políticas públicas de várias áreas, não só econômicas, mas sociais também”, ressalta.

Ao todo, serão 12 etapas a serem seguidas: elaboração do roteiro metodológico; contextualização da bacia; apresentação do projeto conceitual, lógico e físico do banco de dados; produção de um documento síntese do 1º caderno de trabalho; relatório das oficinas de diagnóstico em seis municípios; implementação e apresentação do SIG; elaboração da versão preliminar de zoneamento; oficinas de prognóstico para proposta técnica e consolidação das zonas; apresentação do SIG versão final; treinamento do SIG; proposta final das zonas delimitadas e diretrizes junto à norma de implantação; e produção de uma cartilha educativa.


(Foto: ANA)
Ibope: maioria acredita que Bolsonaro será presidenteQuando perguntado sobre quem vai ganhar a eleição, 44% dos entrevistados dizem ser Bolsonaro (PSL)

Um dos dados mais relevantes da última pesquisa Ibope, divulgada nesta quarta-feira (26), é o da expectativa de vitória que o eleitor tem com relação ao pleito deste ano para presidência da República. Perguntado pelo Ibope sobre quem ele acha que vai ser o presidente eleito, independentemente de sua intenção de voto, o eleitor aponta Jair Bolsonaro (PSL) - 44%; Fernando Haddad (PT) - 20%; Ciro Gomes (PDT) - 8%; Geraldo Alckmin (PSDB) - 7%; e Marina Silva (Rede) - 3%. Alvaro Dias conta com 1% de expectativa positiva de vitória do eleitor, mesmo percentual de Henrique Meirelles (MDB).

Neste aspecto, no "quem é que o eleitor acha que realmente vai ser presidente eleito". Jair Bolsonaro lidera com grande vantagem. Isso significa que mesmo votando em outros candidatos, o eleitor brasileiro acredita que o vitorioso será Bolsonaro. Em muitos lugares do Brasil essa crença de vitória para um dandidato também significa voto e mudança de voto.

A pesquisa Ibope ouviu 2.000 eleitores em 126 municípios brasileiros entre os dias 22 e 24 deste mês, e sua margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.


Maioria do eleitorado acredita que Bolsonaro será eleitor presidente (Foto: Metrópolis)
Ibope: Bolsonaro tem 27%, Haddad 21, Ciro 12%O candidato do PSL mantém liderança e Haddad passa por uma estagnação de intenções de voto

Ibope divulga nova pesquisa, dois dias após a última, nesta quarta-feira (26), com oscilações negativas de Haddad (que cai de 22% para 21%) e de Jair Bolsonaro (de 28% para 27%) nas intenções de voto para a presidência da República.

Na pesquisa, o terceiro colocado é Ciro Gomes (PDT) que oscilou de 11 para 12%, a quarta posição permanece com Geraldo Alckmin (PSDB) que manteve-se com 8%, e a quinta colocação é de Marina Silva, mantendo-se com 6%. Amoêdo (Novo) com 3%, Alvaro Dias (Podemos) com 2%, Henrique Meielles (MDB) com 2%, e Guilherme Boulos (PSOL) com 1% foram os outros que pontuaram na pesquisa.

A pesquisa Ibope fez també simulações para o 2º turno, que não passam de especulações mais qualificadas, entre os principais candidatos. Nas simulações, o candidato líder em todas as pesquisas até o momento, Jair Bolsonaro (PSL) empata tecnicamente com Fernando Haddad (PT) - 42% a 38%; empata tecnicamente com Alckmin - 40% a 36%; empata tecnicamente com Marina - 40% a 38% para o candidato do PSL; e perde para Ciro Gomes - 44 a 35%.

É muito provável que a pressa em fazer uma nova pesquisa nacional, em cima de outra divulgada na segunda-feira passada (24), e publicá-la em tempo recorde se dê exatamente aos resultados da anterior em termos de segundo turno. Na anterior, Bolsonaro perdia para todos e só equilibrava o jogo com Marina (Rede), nesta, provavelmente, feita com um maior grau de consistência, o candidato do PSL empata tecnicamente com Haddad, Alckmin e Marina, e só perde para Ciro.

A pesquisa do Ibope entrevistou 2.000 pessoas em 126 municípios do país entre os dias 22 e 24 deste mês, e tem uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O Ibope diz que o nível de confiabilidade da pesquisa tem um intervalo de 95%.

Até pelos números do universo divulgado se percebe que se trata de algo diminuto para se ter um retrato real das intenções de voto do eleitorado nacional. Já teve pesquisa de grande instituto nacional que no RN se deu ao luxo de não ouvir eleitores de Natal e Mossoró, o que, convenhamos, é uma aberração.


Segundo turno entre Bolsonaro, Haddad e Ciro
Ficha Limpa retira 173 candidatos das eleiçõesO PSL foi o partido que lançou o maior número de candidatos país afora – 1.543, 5,3% do total.

Dos 29.101 candidatos que pediram registro, a Justiça Eleitoral rejeitou 1.888, o que representa 6,5% do total. Segundo dados disponíveis no portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 173 candidatos foram julgados inaptos por causa da Lei da Ficha Limpa, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que disputaria o Palácio do Planalto pelo PT.

A falta de requisitos para registro - como a não comprovação de pleno exercício dos direitos políticos, alistamento eleitoral e filiação partidária - foi o principal motivo para indeferimento de candidaturas – 75,46% do total de pedidos. Treze candidatos foram considerados inaptos a disputar as eleições por abuso de poder e outros cinco por gasto ilícito de recursos.

A Justiça Eleitoral confirmou 27.213 candidaturas, um crescimento de 4% em relação a 2014, quando 26.162 disputaram as eleições gerais – presidente, governador, senador, deputado federal, estadual e distrital. Até agora, 682 candidatos renunciaram e três morreram.

Embora a corrida presidencial seja a mais discutida no país, a eleição para a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) é a mais disputada: são 40,88 candidatos por vaga. A Câmara Legislativa tem 24 cadeiras e se apresentaram 981 concorrentes.

As 26 assembleias legislativas têm 1.035 cadeiras e 17.950 candidatos, o que dá em média 17,34 concorrentes por vaga. Para as 513 vagas na Câmara dos Deputados, são 8.595 postulantes (16,75 por vaga).

Do total de candidatos, 13 disputam a Presidência da República, 202 concorrem a governador dos 26 estados e do Distrito Federal e 358 postulam o Senado. Neste ano, estão em disputa duas cadeiras de senador por estado, totalizando 54 vagas.

O PSL foi o partido que lançou o maior número de candidatos país afora – 1.543, 5,3% do total. Além do presidenciável Jair Bolsonaro, 942 concorrem a deputado estadual, 488 a deputado federal, 24 a deputado distrital, 22 a senador, 14 a governador, 11 a vice-governador e 41 a suplente de senador.

Na sequência vêm o PSOL, com 1.347 concorrentes e o PT, com 1.309 candidatos. Além do presidenciável Guilherme Boulos, o PSOL lançou candidatos a governador em 25 estados. O PT tem candidato a presidente, Fernando Haddad, e disputa 16 governos estaduais.


(Foto: Agência Brasil)
Emissão de 2ª via do título eleitoral termina na quintaO documento somente poderá ser solicitado por eleitores que estiverem em seu domicílio eleitoral

Termina nesta quinta-feira (27), dez dias antes do primeiro turno do pleito, o prazo para o eleitor solicitar a segunda via do título no cartório eleitoral da zona onde está cadastrado. A previsão consta no artigo 52 do Código Eleitoral.

É importante ressaltar que, para a emissão da segunda via do título, o eleitor deve estar quite com a Justiça Eleitoral, ou seja, não poderá ter débitos pendentes, como multas por ausência às urnas ou aos trabalhos eleitorais, como o de mesário, ou ainda ter recebido multas em razão de violação de dispositivos do Código Eleitoral (Lei 4.737/1965), da Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e leis conexas.

Multas devem ser pagas por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU) emitida pelo cartório eleitoral e podem variar de R$ 1,05 a R$ 35,14.

Outros documentos

O título de eleitor não é o único documento que possibilita a participação nas eleições. O eleitor pode se apresentar à mesa de votação trazendo consigo qualquer documento oficial com foto, como a carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira de motorista ou o passaporte, por exemplo.

O cidadão cuja inscrição eleitoral estiver em situação regular tem como alternativa ao título de papel a versão digital do documento, que pode ser obtida gratuitamente por meio do aplicativo e-Título, disponível para dispositivos móveis nas lojas virtuais Apple Store e Google Play.

O e-Título também serve como documento de identificação do eleitor caso ele já tenha feito o recadastramento biométrico. Isso porque a versão digital será baixada com foto, o que dispensa a apresentação de outro documento de identificação no momento do voto.

O aplicativo informa o local de votação e, por meio de ferramentas de geolocalização, guia o usuário até sua seção eleitoral. Além disso, ele também oferece serviços como a emissão de certidões de quitação eleitoral e negativa de crimes eleitorais.

O local de votação também pode ser conhecido no portal do TSE, por meio da seção Serviços ao eleitor > Título de eleitor > Título e local de votação. A consulta pode ser feita pelo nome do eleitor ou número do título, data de nascimento e nome da mãe.

Os eleitores que perderam o prazo final do alistamento, no dia 9 de maio, não poderão votar nas Eleições de 2018. Essa foi a data-limite para requerer inscrição eleitoral, transferência de domicílio, alteração de título eleitoral ou transferência para seção eleitoral especial (eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida).


(Foto: TSE)
Pedido de vista adia cassação da prefeita de Cerro-CoráO caso foi apreciado sob relatoria do juiz Wlademir Capistrano, o qual votou pelo desprovimento do recurso

Na tarde desta segunda-feira (24), a Justiça Eleitoral potiguar realizou a análise do recurso eleitoral que pedia a cassação e perda de mandato eletivo de Maria das Graças de Medeiros Oliveira e José Medeiros de Araújo, respectivamente, prefeita e vice-prefeito do município de Cerro-Corá, em virtude de supostas irregularidades na prestação de contas da campanha eleitoral de 2016.

O caso foi apreciado sob relatoria do juiz Wlademir Capistrano, o qual votou pelo desprovimento do recurso, mantendo a decisão acerca da não cassação do mandato. No entanto, o desembargador Cornélio Alves pediu vista para realizar uma análise mais aprofundada do recurso e, posteriormente, colocá-lo novamente em pauta para decisão final.

Na sessão plenária ainda foram analisados embargos de declaração e recursos referentes a alguns registros de candidatura para as Eleições 2018. A próxima sessão acontece amanhã (25), a partir das 14h00, no Plenário do TRE-RN.


Foto: DJ Aildo
Ibope: Bolsonaro estaciona em 28% e Haddad vai a 22%A pesquisa ouviu 2.506 eleitores, entre sábado (22) e domingo (23), em 178 municípios

Nova pesquisa Ibope para a Presidência da República, divulgada nesta noite (24), mostra que o candidato Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança, com 28% da preferência dos eleitores, seguido pelo petista Fernando Haddad, que subiu de 19% para 22%.

Em seguida aparecem Ciro Gomes (PDT), que manteve os 11% da pesquisa anterior, Geraldo Alckmin, que foi de 7% para 8%, e Marina Silva, que oscilou de 6% para 5%.

A pesquisa ouviu 2.506 eleitores, entre sábado (22) e domingo (23), em 178 municípios, e tem margem de erro de dois pontos percentuais.

Confira os resultados no primeiro turno:

Jair Bolsonaro (PSL): 28%

Fernando Haddad (PT): 22%

Ciro Gomes (PDT): 11%

Geraldo Alckmin (PSDB): 8%

Marina Silva (Rede): 5%

João Amoêdo (Novo): 3%

Alvaro Dias (Podemos): 2%

Henrique Meirelles (MDB): 2%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

Cabo Daciolo (Patriota): 0%

Vera Lúcia (PSTU): 0%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Eymael (DC): 0%

Branco/nulos: 12%

Não sabe/não respondeu: 6%

Simulação do segundo turno:

Haddad 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Ciro 46% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 15%; não sabe: 4%)

Alckmin 41% x 36% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 4%)

Bolsonaro 39% x 39% Marina (branco/nulo: 19%; não sabe: 4%)

Índice de rejeição:

Bolsonaro: 46%

Haddad: 30%

Marina: 25%

Alckmin: 20%

Ciro: 18%

Meirelles: 11%

Cabo Daciolo: 11%

Eymael: 11%

Boulos: 11%

Vera: 10%

Alvaro Dias: 9%

Amoêdo: 9%

João Goulart Filho: 9%

Poderia votar em todos: 2%

Não sabe/não respondeu: 7%


(Foto: Montagem)
Eleições: metade do voto feminino segue indecisoA pesquisa Datafolha, divulgada na última quinta-feira (20), mostra o número expressivo de indecisão no lado feminino.

A 13 dias do 1º turno das eleições 2018, 51% das mulheres ainda não resolveram em quem vão votar para presidente. A pesquisa Datafolha, divulgada na última quinta-feira (20), mostra o número expressivo de indecisão no lado feminino.

Conforme o levantamento, 38% disseram não saber ainda em quem votariam para ser o próximo chefe de estado. Os outros 13% restantes responderam que pretendem optar por voto nulo ou branco.

No total, o número corresponde a 39,4 milhões de eleitoras, o que representa 27% de todo o eleitorado. Das entrevistadas, 45,3% moram no Sudeste e 54% ganham até dois salários mínimos por mês, de acordo com informações solicitadas pelo jornal O Globo ao Datafolha.


(Foto: Agência Brasil)
Saques das cotas do PIS/PASEP terminam sextaCerca de R$ 17 bilhões já foram pagos aos trabalhadores que atuaram entre 1971 e 1988

Esta é a última semana para que todos os cotistas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) saquem o benefício fora dos critérios previstos em lei. O prazo termina na sexta-feira (28).

Conforme determina a Lei 13.677/2018, a partir do dia 29 de setembro os saques voltarão a ser permitidos somente para os cotistas que atendam a um dos critérios habituais: pessoas com 60 anos ou mais, aposentados, herdeiros de cotistas, pessoas em situação de invalidez ou acometidos por doenças específicas.

Cerca de R$ 17 bilhões já foram pagos aos trabalhadores que atuaram entre 1971 e 1988 na iniciativa privada (com carteira assinada) ou no serviço público, desde o início do processo de flexibilização dos saques do Fundo PIS/Pasep, em outubro de 2017, até agora. Do público potencial de 28,5 milhões de pessoas que havia em 2017, mais de 15,5 milhões de trabalhadores já receberam os recursos, ou seja, 55% do total.

As pessoas com menos de 60 anos representavam, em outubro de 2017, a maior parte dos cotistas do Fundo PIS/Pasep, somando 16,3 milhões de trabalhadores. De acordo com os últimos dados do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, até o último dia 16 cerca de 5,7 milhões de cotistas nessa faixa etária ainda não haviam se dirigido às agências da Caixa Econômica Federal ou do Banco do Brasil para buscar o benefício.

Divergências no cadastro

Dos R$ 17 bilhões já pagos aos cotistas, cerca de 8,5 R$ bilhões foram entregues aos trabalhadores por meio de depósito automático na conta corrente, ou seja, sem a necessidade de ir à agência bancária. De acordo com o Ministério do Planejamento, isso foi possível devido aos créditos feitos pelo Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal aos seus correntistas e a uma parceria envolvendo a Febraban, a Caixa, o Banco do Brasil e mais oito instituições: Bradesco, Itaú, Santander, Bancoob, Sicredi, Banestes, BRB e Mercantil.

Devido a questões de segurança e a divergências cadastrais, cerca de 5 milhões de cotistas com CPFs válidos não receberão os depósitos automáticos. Por isso, o ministério alerta que cotistas com menos de 60 anos, interessados em ter acesso imediato ao dinheiro, devem procurar as agências da Caixa e do Banco do Brasil até a próxima sexta-feira (28).

Quem tem direito

Para saber o saldo e se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites do PIS e do Pasep. Para os cotistas do PIS, também é possível consultar a Caixa Econômica Federal no telefone 0800-726-0207 ou nos caixas eletrônicos da instituição, desde que o interessado tenha o Cartão Cidadão. No caso do Pasep, a consulta é feita ao Banco do Brasil, nos telefones 4004-0001 ou 0800-729-0001.

Têm direito ao saque as pessoas que trabalharam com carteira assinada antes da Constituição de 1988. As cotas são os rendimentos anuais depositados nas contas de trabalhadores, instituídas entre 1971, ano da criação do PIS/Pasep, e 1988.

Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque. Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


(Foto: O Globo)
FIERN: Tendência é de 2º turno entre Carlos e FátimaNa segmentação por regiões do Estado, Fátima chega a 48,39% no Alto Oeste; Carlos Eduardo a 32,39% na Grande Natal; e Robinson Faria, a 15,90% no Agreste e Trairi.

A duas semanas do dia das eleições, a mais nova rodada da pesquisa Certus/FIERN mostra uma redução dos percentuais dos eleitores que afirmam, na intenção de voto para governador, estarem indecisos ou com disposição de não votar em nenhum dos candidatos. Ao mesmo tempo, há oscilações positivas ou crescimento dos percentuais das candidaturas. A pesquisa foi aplicada entre os dias 14 e 17 de setembro.

Na sondagem estimulada, na qual são apresentados os nomes dos candidatos durante a aplicação dos questionários, Fátima Bezerra (PT) tem 36,24% das intenções de voto, seguida por Carlos Eduardo (PDT), com 21,21%. Robinson Faria (PSD) aparece com 10,43%. Os demais candidatos têm abaixo de dois pontos percentuais: Brenno Queiroga (Solidariedade), com 1,99%; Professor Carlos Alberto (PSOL), 1,91%; Dário Barbosa (PSTU), com 0,43%; Freitas Júnior (Rede), 0,43%; Heró Bezerra (PRTB), 0,21%. Ainda responderam “nenhum”, 19,65%; e “não sabe”, 7,52%.

Na estratificação por grau de instrução, o melhor desempenho da Fátima Bezerra é entre os eleitores que não sabem ler nem escrever, entre os quais ela chega a 39,80%. Carlos Eduardo chega aos percentuais mais elevados entre os eleitores com terceiro grau, completo ou incompleto, entre os quais ele vai a 23,72%. Robinson Faria tem o desempenho mais expressivo também entre os que não sabem ler nem escrever, com 13,27%.

Na distribuição por ocupação, Fátima Bezerra entre os funcionários públicos, vai a 42,86%, e trabalhadores informais vai a 43,97%. Também tem desempenho expressivo entre os estudantes, com 38,04%. Carlos Eduardo registra os índices mais altos entre os aposentados, com 26,72%; e servidores públicos, com 24.11%; e trabalhadores da área privada, com 23,23%. O melhor desempenho de Robinson Faria é entre os empresários, com 16,67%, e estudantes, com 15,22%.

Na segmentação por regiões do Estado, Fátima chega a 48,39% no Alto Oeste; Carlos Eduardo a 32,39% na Grande Natal; e Robinson Faria, a 15,90% no Agreste e Trairi.

Ao considerar apenas os votos válidos — ou seja, as opções feitas por um dos candidatos, sem computar nulos, brancos e indecisos, que é como a Justiça Eleitoral calcula e oficializa o resultado na apuração dos votos — Fátima Bezerra tem 49,76%. Isso significa que ela pode variar, no limite da margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, entre 46,76% e 52,76%. Carlos Eduardo fica, na soma dos votos válidos, com 29,11%, ou seja, uma possibilidade de variação entre 26,11% e 32,11%. Robinson faria aparece com 14,31%, possibilidade de variar entre 11,31% e 17,31%.

Os números das pesquisas anteriores da Certus/FIERN mostram que Fátima Bezerra tinha 29,15%, em julho; foi para 32,84%, em agosto; e nesta nova rodada, em setembro, passou para 36,24%. Carlos Eduardo foi de 15,39%, em julho; para 15,74%, em agosto; e agora chegou a 21,21%. Robinson Faria tinha 6,31%, em julho; foi para 8,37%, em agosto; e passou para 10,43%, nesta sondagem de setembro.

As variações de eleitores que afirmam não votar em nenhum dos candidatos e que “não sabem” quem escolher mostram uma progressiva definição do voto na eleição para governador no Rio Grande do Norte. Responderam “nenhum” 34,11%, em julho, 29,08%, em agosto; e 19,65%, em setembro. Afirmaram “não sabe” em qual candidato votar 10,43%, em julho; 9,28%, em agosto; e 7,52%, em setembro.

Rejeição

A pesquisa também perguntou aos eleitores em qual candidato não votaria de jeito nenhum. Robinson Faria tem rejeição de 36,10%, com maior índice entre as mulheres (37,96%). A rejeição de Fátima Bezerra é de 13,30%; com índice maior entre os homens, chegando a 16,36%. Carlos Eduardo tem rejeição de 9,49%, com percentual mais elevado entre os homens, com 11,21%. A rejeição dos demais candidatos foi a seguinte: 2.5%, no caso de Dário Barbosa; 2% Brenno Queiroga; 1,69%, Heró Bezerra; 1,25%, Freitas Júnior; e 1%, professor Carlos Alberto. Ainda há os que rejeitam todos (12,8%), rejeita nenhum (18,18%).

As tabulações informam ainda sobre a fidelidade do voto dos candidatos ao governo. Afirmaram que a escolha é definitiva 72,96% dos eleitores, enquanto 26,72% afirmaram que podem mudar. Fátima Bezerra tem um percentual de fidelidade de 76,94%; Carlos Eduardo, de 72,54%; e Robinson Faria, de 68,46%.

Entre os eleitores que afirmam estar indecisos — ou seja, respondem ‘não sabe’ quando indagado sobre a intenção de voto para governador —, 13,39% respondem ter mais chance de votar em Fátima Bezerra; 5,36% em Carlos Eduardo; e 8,93% em Robinson Faria. Dos que afirmam que vão anular ou votar branco – significa que respondem nenhum quando indagados na preferência para o governo — 11,27% afirmam que se resolver votar em algum candidato, escolheria Fátima Bezerra; 3,27% Carlos Eduardo; e 3,27% em Robinson Faria.

Na análise dos votos casados no cruzamento das escolhas para presidente e governador; dos eleitores de Fernando Haddad, 71,13% escolhem Fátima Bezerra; 45,5% dos eleitores de Ciro Gomes, também votam na candidata do PT ao governo. Dos que preferem Geraldo Alckmin, 47,62% afirmam votar em Carlos Eduardo; que também tem a preferência de 35,71 dos que declaram escolher Jair Bolsonaro para presidente.

Os entrevistados pelo instituto também responderam sobre o que poderá fazer optar por um dos candidatos. O maior índice foi dos que apontaram “propostas apresentadas nos programas eleitorais”: 38,68%. A segunda resposta foi “o candidato”, por 21,70.

Ao informar qual dos candidatos a governador que apresenta a proposta que mais chamou a atenção de forma positiva, responderam Fátima Bezerra 22,84%; Carlos Eduardo, 13,12%; e Robinson Faria, 5,32%. Ao apontar o assunto desta proposta, disseram educação 29,09% e segurança, 27,99%.

Nas intenções de voto espontâneas, na qual o entrevistador não cita o nome dos candidatos para indagar sobre a preferência do eleitora os percentuais foram os seguintes: Fátima Bezerra, 22,70%; Carlos Eduardo, 12,77%; e Robinson Faria, 5,82%. Afirmam “nenhum”, na espontânea, 20,43%; e não sabe, 36,24%.

Independentemente da decisão sobre em quem vai votar, consideram que Fátima Bezerra vai para o segundo turno, 34,63%. Afirmaram que Carlos Eduardo vai para o segundo turno 28,18%; e Robinson Faria, 16,02%.

A pesquisa aplicou três cenários para o segundo turno: Fátima Bezerra 47,80% X Carlos Eduardo 32,98%; Carlos Eduardo 51,91% X Robinson Faria 19,65%; Fátima Bezerra 55,32% X Robinson Faria 18,37%.


(Foto: Notícias dos Pássaros)
Ibope: Styvenson lidera para senado, Zenaide é a segundaDisputa para o Senado vai se afunilando com o capitão PM Styvenson mantendo-se na dianteira, Zenaide Maia é a segunda, e Garibaldi Filho e Geraldo Melo disputam terceira posição

Os números da mais recente pesquisa do Ibope para o Senado no RN, realizada entre os dias 18 e 20 deste mês mostram um afunilamento que marca bem posições na reta final da disputa por duas vagas. O capitão Styvenson (Rede) que iniciou o pleito como um dos favoritos, embora não figure como elemento da política tredicional, talvez até por isso mesmo, consolida sua posição de vanguarda alcançando 27% das intenções de votio dos potiguares.

É a segunda posição que traz um dado signiticativo e que, se mantido nas urnas, representa uma reviravolta no quadro político estadual. Pelo Ibope, Zenaide Maia (PHS) é a segunda colocada com 25% das intenções de voto, posição que lhe dá a segunda vaga para o Senado. Quatro pontos atrás, com 21%, encontra-se o senador Garibaldi Filho (MDB), que na última eleição alcançou a soma inédita de mais de 1 milhão de votos no Rio Grande do Norte. Agora, Garibaldi luta contra o tempo para alcançar Zenaide e ainda tem em seu calcanhar o ex-governador Geraldo Melo (PSDB), que está a apenas um ponto de distância (20%). É certo que o senador Garibldi Filho, que pleiteia uma reeleição, tem carisma e uma forte capacidade de arregimentação popular, e está empatado tecnicamente com Zenaide no limite da margem de erro, mas suas possibilidades já não são tão favoráveis.

Em companhia de Fátima

Zenaide Maia, por sua vez se beneficia de ser a candidata ungida por Fátima Bezerra, candidata do PT favorita as eleições para o governo no Rio Grande do Norte. Sua boa aceitação entre os eleitores que tendem a votar na candidata do PT lhe torna uma das favoritas a conquista de uma das vagas para o Senado em disputa.

Na sequência, a pesquisa traz o deputado Jácome (Podemos) com 13%, Alexandre Motta (PT com 5%, Magnólia (Solidariedade) com 4%, Ana Célia (PSTU) com 2%, Telma Gurgel (PSOL) com 2%, João Morais (PSTU) COM 2%, Jurandir Marinho (PRTB) com 2%, Levi Costa (PRTB) com 1%, Napoleão (Rede) com 1%, Joanilson de Paula Rego (DC) com 1%, e Professor Lailson (PSOL) com 1%.

O Ibope ouviu 812 eleitores nas diversas regiões do RN e a margem de erro é de 3% para mais ou para menos.


Capitão Styvenson lidera, Zenaide é a segunda para o Senado no RN
Ibope: Fátima, 39%; Carlos Eduardo, 25%; Robinson, 13%A pesquisa foi encomendada pela Inter TV Costa Branca.

Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira (21) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo do Rio Grande do Norte:

Fátima Bezerra (PT): 39%

Carlos Eduardo (PDT): 25%

Robinson Faria (PSD): 13%

Brenno Queiroga (solidariedade): 3%

Professor Carlos Alberto (PSOL): 2%

Freitas Jr. (Rede): 1%

Dário Barbosa (PSTU): 1%

Heró Bezerra (PRTB): 1%

Brancos/nulos: 11%

Não sabe ou não respondeu: 5%

A pesquisa foi encomendada pela Inter TV Costa Branca. É o segundo levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

No levantamento anterior, feito de 14 a 16 de agosto, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes: Fátima Bezerra, 34%; Carlos Eduardo, 15%; Robinson Faria, 8%; Brenno Queiroga, 1%; Professor Carlos Alberto, 2%; brancos ou nulos; 31%; não sabe ou não respondeu, 9%. Freitas Jr, Dario Barbosa e Heró Bezerra não pontuaram na primeira pesquisa.

Rejeição

O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Os entrevistados podem citar mais de um candidato, por isso, os resultados somam mais de 100%. Veja os índices:

Robinson Faria (PSD): 52%

Fátima Bezerra (PT): 24%

Carlos Eduardo (PDT): 19%

Dário Barbosa (PSTU): 14%

Freitas Jr. (Rede): 13%

Heró Bezerra (PRTB): 13%

Brenno Queiroga (Solidariedade): 12%

Professor Carlos Alberto (PSOL): 11%

Poderia votar em todos: 2%

Não sabe ou prefere não opinar: 10%

Simulações de segundo turno

Carlos Eduardo (PDT): 33% x 49% Fátima Bezerra (PT) (branco/nulo: 15%; não sabe: 3%)

Fátima Bezerra (PT): 57% x 22% Robinso Faria (PSD) (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)

Carlos Eduardo (PDT): 51% x 22% Robinson Faria (PSD) (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)


(Foto: Montagem)
PF faz operação contra fraude no seguro-desempregoA polícia encontrou, com os acusados, mais de 1.600 documentos falsos ou em branco

A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação Mendacium, em São Paulo e Taboão da Serra, para desarticular uma organização criminosa que pratica fraudes no recebimento do seguro-desemprego. Foram cumpridos ontem (20) quatro mandados de busca e apreensão. Duas pessoas foram presas em flagrante.

A polícia encontrou, com os acusados, mais de 1.600 documentos falsos ou em branco, como espelhos de carteiras de Identidade e de Trabalho, num escritório de contabilidade do bairro da Penha, na capital paulista. Foram apreendidos R$ 472 mil em espécie, além de equipamentos para a falsificação de documentos.

O inquérito começou em outubro de 2017, na cidade de Presidente Prudente, interior de São Paulo, a partir da denúncia de um trabalhador que não conseguiu obter seu seguro-desemprego porque alguém já o havia resgatado.

As investigações mostram que mais de 300 empresas fictícias foram criadas, com mais de 9 mil benefícios de seguro-desemprego. Estima-se um prejuízo de mais de R$ 9 milhões.

Os presos foram encaminhados ao sistema prisional estadual, onde ficam à disposição da Justiça Federal. Eles responderão pelos crimes de estelionato, organização criminosa e corrupção ativa.


(Foto: Assessoria)
Prévia da inflação oficial fica em 0,09% em setembroO IPCA-15 acumula taxas de 0,86% no terceiro trimestre, 3,23% no ano e 4,28% em 12 meses.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, registrou taxa de 0,09% em setembro deste ano. O índice é inferior ao observado em agosto deste ano (0,13%) e em setembro do ano passado (0,11%). O dado foi divulgado hoje (21) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O IPCA-15 acumula taxas de 0,86% no terceiro trimestre, 3,23% no ano e 4,28% em 12 meses.

A queda da taxa da prévia de agosto para a prévia de setembro foi provocada principalmente pelos alimentos, que registraram deflação (queda de preços) de 0,41%. A alimentação no domicílio ficou 0,7% em setembro, devido aos recuos de preço de produtos como cebola (-18,51%), batata-inglesa (-13,65%), leite longa vida (-6,08%) e carnes (-0,97%).

Por outro lado, evitaram uma queda maior da inflação o aumento do custo de despesas pessoais (0,46%), habitação (0,30%), transportes (0,21%) e saúde e cuidados pessoais (0,26%).


(Foto: O Globo)
Confiança do empresário recua em setembro, diz CNIO indicador é fruto de pesquisa com 2.806 empresas do país, entre os dias 3 e 13 de setembro de 2018.

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 0,5 ponto percentual em setembro, para 52,8 pontos, informou nesta quinta-feira (20) a Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O indicador é fruto de pesquisa com 2.806 empresas do país, entre os dias 3 e 13 de setembro de 2018.

A queda aconteceu após dois meses de alta. “O resultado negativo é o primeiro registrado na comparação mensal desde a forte queda de junho (-5,9 pontos, por conta da paralisação dos serviços de transporte rodoviário)”, informou a CNI.

Avaliou ainda que recuperação acumulada em julho e agosto (+3,7 pontos) não foi suficiente para recuperar a queda de junho.

Apesar do recuo, os empresários ainda estão “confiantes”. Pela metodologia da pesquisa, valores acima de 50 pontos indicam “confiança do empresário”. “Quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança”, explicou a entidade.

De acordo com a CNI, o ICEI de setembro ficou 1,3 ponto abaixo de sua média histórica, e 2,9 pontos abaixo do registrado no mesmo mês de 2017.

Componentes do ICEI

A entidade informou que tanto o índice de Condições Atuais, como o de Expectativas, os componentes do indicador, recuaram na passagem de agosto para setembro.

“O índice de Condições Atuais caiu 0,5 ponto, de 47,2 para 46,7 pontos. O índice permanece abaixo da linha de 50 pontos, indicando que o empresário percebe piora nas condições correntes de seus negócios”, informou a CNI.

A entidade informou que a queda do índice de Condições Atuais deve-se “quase que exclusivamente” à avaliação da situação corrente da economia brasileira, cujo índice recuou 1,2 ponto, para 41,8 pontos em setembro.

Já o índice de Expectativas recuou 0,4 ponto em setembro, para 55,9 pontos.

“O índice relativo às expectativas da economia brasileira está em 50,2 pontos, ou seja, praticamente sobre a linha divisória que separa otimismo de pessimismo com relação aos próximos seis meses. Já o referente às expectativas da empresa mostra otimismo: índice de 58,9 pontos”, acrescentou a CNI.


(Foto: O Globo)
MPRN apura falsificação de assinaturas em recibos de bancoSegundo decisão judicial, rubricas guardam consideráveis semelhanças com as da investigada Ana Augusta Simas

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) apura a falsificação de assinaturas em recibos de saques bancários por parte da chefe de Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho, presa na operação Canastra Real. Ela teria falsificado as assinaturas de pelo menos quatro investigados, o que, para o MPRN, reforça que “terceiros efetuavam os saques à revelia dos titulares”.

Na decisão judicial para a deflagração da operação Canastra Real, a Justiça frisa que “é visível a substancial divergência entre as assinaturas das titulares nos meses de abril e de maio de 2015. Em contrapartida, em que pese não tenha sido realizada até o momento perícia grafotécnica nos referidos documentos, essas rubricas de maio guardam consideráveis semelhanças com as da investigada Ana Augusta Simas”.

No mês de junho de 2015, houve saques com assinaturas de uma outra pessoa nas contas dos investigados Karla Ruama Freire de Lima, Jalmir de Souza Silva, Fabiana Carla Bernadino da Silva e Ivaniecia Varela Lopes, todos ex-assessores técnicos da Presidência da Assembleia presos na operação Canastra Real. “Mais uma vez, os padrões das assinaturas dos investigados nesse mês guardam muita semelhança entre si, e divergem consideravelmente dos originais”, cita trecho da decisão judicial. Em depoimento ao MPRN, três deles confirmaram que as assinaturas que estão nos recibos bancários não são deles.


(Foto: MPRN)
Bolsonaro vai a 28% e Haddad, 16%; Ciro lidera no 2º turnoConforme o levantamento, concluído nesta quarta (19), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto

Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19) e divulgado na madrugada de hoje, o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada.

O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes (PDT), que ficou estagnado, com 13%. 

O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça (18) e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais, e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pela Folha de S. Paulo e pela TV Globo e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-06919/2018.

As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad. 

Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento. 

O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste -onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%.

O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais. Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina. 

A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista. 

Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome.

No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro. Com informações da Folhapress.


(Foto: TRE/RN)
Ibope: presidência está entre Bolsonaro e HaddadCandidato do PSL tem 28% das intenções de voto e lidera entre os homens e entre as mulheres. Haddad agora tem 19% e está forte entre os mais pobres e menos escolarizados

A pesquisa Ibope feita entre os dias 16 e 18 deste mês aponta uma polarização com todas as carecterísticas de ser definitiva entre Jair Bolsonaro (PSL) e o candidato do PT, Fernando Haddad. Pela pesquisa, que ouviu 2.506 eleitores, Bolsonaro tem 28% e Haddad, 19%. Considerando que Bolsonaro vem experimentando um crescimento de 2 pontos percentuais nas pesquisas desde o atentado que sofreu no dia 6 deste mês, e que Haddad é o que mais tem crescido nos últimos levantamentos (no anterior tinha apenas 8%), e que os outros principais contendores mostram evidentes sinais de enfraquecimento, os dois são amplamente favoritos a irem para o segundo turno.

Também está entre os dois a condição de vitória já no primeiro turno. Embora difícil, não é impossível se pensar em uma vitória de Bolsonaro ou de Hadda ainda no primeiro turno. Os outros principais postulantes experimentaram queda no levantamento do Ibope: Ciro Gomes (PDT) ficou com 11% (na anterior era 11%); Geraldo Alckmin (PSDB) caiu para 7% (na anterior era 9%); e Marina Silva (Rede) só conseguiu 6% (na anterior era 9%).

Entre os dados mais importantes que a última pesquisa Ibope traz está o da intenção de voto por sexo. Jair Bolsonaro na pesquisa de 20 de agosto tinha apenas 13% das intenções de voto entre as mulheres, isso quando ainda não tinha começado a onda de formação de grupos contrário ao seu nome nas redes sociais. Agora, na última pesquisa do Ibope, Bolsonaro aparece liderando também entre as mulheres com 20% das intenções de voto, Haddad aparece em segundo com 19%. Entre os homens a vitória de Bolsonaro é ampla, o candidato do PSL tem 36% das intenções de voto, enquanto o petista aparece em segundo com apenas 18%. 


Bolsonaro e Haddad polarizam disputa pelo Planalto
Eleições: TRE-RN inicia a fase de carga das urnasO evento acontece nesta quarta-feira (19), a partir das 14h30min, no Coje/TRE-RN

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) dá início nesta quarta-feira (19) à fase da inserção das informações nas 8.043 urnas eletrônicas que serão utilizadas no estado durante as eleições gerais que ocorrem em 07 de outubro.

O trabalho, que será coordenado pela Secretaria de Tecnologia da Informação do TRE-RN, começará pelas 1.465 urnas da capital. As urnas serão alimentadas a partir das 14h30min, no Centro de Operações da Justiça Eleitoral (Coje), localizado na Rua da Torre, s/n, Tirol.

No interior do estado, o sistema de alimentação de urnas vai acontecer no período de 25 a 28 de setembro, cabendo a cada zona eleitoral a responsabilidade por esse serviço.


(Foto: Oficina da Net)
Mercado avalia vitória de Bolsonaro no primeiro turnoAs instituições financeiras já disparam relatórios a investidores para responder questionamentos

Preocupados com os rumos do Brasil após as Eleições 2018, investidores questionam as instituições financeiras sobre as chances de Jair Bolsonaro vencer a disputa presidencial no primeiro turno.

Com isso, segundo a coluna “Painel”, da Folha, o mercado financeiro já começa a soltar os resultados dos relatórios que encomendou sobre o assunto. Os documentos apontam uma chance ainda remota do candidato do PSL faturar a disputa no dia 7 de outubro.

O cenário de Bolsonaro no jogo eleitoral pode mudar com o crescimento de Fernando Haddad nas pesquisas. Há o temor de que os antipetistas esqueçam os outros candidatos e migrem para o capitão reformado.


(Foto: Reuters)
"Nem a pau", diz Ciro sobre apoio a Haddad em um 2º turnoO pedetista também disse que é "diferente em tudo" de Haddad.

O presidenciável do PDT, Ciro Gomes, rebateu durante entrevista à rádio CBN nesta quarta-feira (19) a declaração do candidato Fernando Haddad (PT), dada no dia anterior à mesma emissora, de que tinha certeza que seria apoiado pelo pedetista no segundo turno das eleições.

"Nem a pau, Juvenal. Eu não cedo a instituto de pesquisa a minha responsabilidade com o meu país", disse Ciro ao ser questionado se já pensa na possibilidade.

O candidato afirmou que a declaração de Haddad era uma "amostra de inexperiência e arrogância" do petista e seu partido. Ciro citou ainda a possibilidade de derrota do ex-prefeito de São Paulo para Jair Bolsonaro (PSL) em um eventual segundo turno, uma vez que a pesquisa Ibope divulgada nesta terça (18) mostra os dois candidatos empatados com 40 pontos percentuais nesse cenário.

"Ele está se precipitando como uma demonstração a mais de inexperiência e arrogância. A 'petezada' costuma cultivar uma certa arrogância, uma certa superioridade, que não sei de onde tiraram isso. Ele já se acha vitorioso, já se acha no segundo turno e sabe que é o candidato marcado para perder", completou.

O pedetista também disse que é "diferente em tudo" de Haddad. Ele afirmou que o candidato petista continuará atendendo aos interesses do mercado e que está fazendo uma nova versão da "Carta ao povo brasileiro", a exemplo de Lula, mas "agora em parágrafos".

ADOÇÃO E ABORTO

Na entrevista, Ciro se recusou a responder de forma breve se é contra ou a favor da adoção de crianças por casais homossexuais e da legalização do aborto em qualquer situação.

No chamado "pinga-fogo", rodada com perguntas e respostas objetivas que encerra a entrevista, o pedetista se estendeu ao explicar porque é contra o financiamento público de campanha e da prisão após condenação em segunda instância.

O candidato começou a responder sobre adoção de crianças por homossexuais dizendo "acho que toda forma de amor é...", quando foi interrompido pelo locutor, que lhe pediu para responder apenas com "sim ou não" ou não haveria tempo suficiente. O pedetista, então, disse "não quero responder", mesma resposta dada ao ser questionado sobre aborto.

Ciro se declarou contra a taxação de igrejas, a intervenção militar no Rio de Janeiro e foro especial para políticos. Ele também disse vai reduzir o número de ministérios se eleito. Com informações da Folhapress.


(Foto: Reprodução/G1/CBN)
Economia brasileira cresceu 0,57% em julho, diz BCQuando comparado a julho de 2017, o IBC-Br cresceu 2,56% (neste caso, sem ajuste sazonal).

O nível de atividade da economia brasileira registrou expansão em julho, mês que marca o início do terceiro trimestre, de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central nesta segunda-feira (17).

O chamado Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado um tipo de “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB), teve expansão de 0,57% em julho, comparado com o mês anterior. O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de “compensação” para comparar períodos diferentes).

Quando comparado a julho de 2017, o IBC-Br cresceu 2,56% (neste caso, sem ajuste sazonal).

Os números do BC mostram que esse foi o segundo mês seguido de crescimento do nível de atividade, que já havia avançado 3,42% em junho – após o tombo de 3,35% em maio, por conta da greve dos caminhoneiros.

Os números do BC mostram ainda que, nos sete primeiros meses deste ano, o indicador do nível de atividade registrou uma expansão de 1,19%, sem o ajuste sazonal. No acumulado em 12 meses até julho, a prévia do PIB (indicador dessazonalizado) registrou crescimento de 1,46%.

Produto Interno Bruto e o IBC-Br

O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Já o IBC-Br foi criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que é divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os resultados do IBC-Br, porém, nem sempre mostraram proximidade com os dados oficiais do PIB, pois o cálculo dos dois é um pouco diferente – o índice do BC incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos.


(Foto: O Globo)
15% dos candidatos do RN não prestaram contas de gastosApós as Eleições, os candidatos e partidos políticos têm o prazo de 30 dias para realizarem a prestação de contas final,

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) recebeu, dentro do prazo estabelecido por lei,401 prestações de contas parciais de candidatos e partidos políticos referentes às campanhas para as Eleições de 2018. O número corresponde ao percentual de 84,77% do quantitativo esperado. A Justiça Eleitoral potiguar havia estimado que, ao todo, 473 prestações deveriam ser realizadas, a partir do quantitativo de candidatos que estão regularmente registrados no sistema do TRE-RN.

"Comprovamos que o diálogo e a sensibilização junto ao nosso público-alvo fez a diferença. Isso se deu a partir de reuniões com partidos, advogados, contabilistas e assessores de campanha. É uma estatística que muito honra a Justiça Eleitoral potiguar", ressaltou Lígia Limeira, Secretária Judiciária do TRE-RN.

De acordo com estatísticas do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), após o processamento dos dados, o Rio Grande do Norte ficou entre os 09 estados com melhores índices de prestação de contas parcial. O processo foi realizado exclusivamente por meio eletrônico, através do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE), cabendo aos candidatos e partidos o registro da movimentação financeira e/ou estimável em dinheiro ocorrida desde o início da campanha até o dia 8 de setembro deste ano.

A não apresentação da prestação de contas parcial ou seu encaminhamento com registros que não correspondam à efetiva movimentação da campanha representa irregularidade grave e poderá implicar a desaprovação das contas finais. Após as Eleições, os candidatos e partidos políticos têm o prazo de 30 dias para realizarem a prestação de contas final, através do mesmo sistema.

Conforme a Resolução nº. 23.553/2017, o TSE tem até amanhã (15) para realizar a divulgação das prestações de contas parciais, informando detalhes sobre doadores e fornecedores de campanha com seus respectivos CPFs ou CNPJs, além dos valores doados. Todos os dados podem ser verificados na plataforma DivulgaCandContas, disponível no link: http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/. A ferramenta dá transparência aos registros de candidatura e às movimentações de recursos destinados às campanhas, podendo ser acessada por qualquer cidadão que deseja contribuir com a fiscalização do processo eleitoral.


(Foto: Assessoria)
CNT/MDA: Bolsonaro lidera com 28,2%; Haddad passa CiroA margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) lidera a disputa à Presidência com 28,2% das intenções de voto, segundo pesquisa do instituto MDA encomendada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) divulgada nesta segunda-feira. A informação é do UOL.

Em segundo lugar, aparece Fernando Haddad (PT), com 17,6% da preferência dos entrevistados. A margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Veja a intenção de voto estimulada para presidente:

Jair Bolsonaro (PSL): 28,2%

Fernando Haddad (PT): 17,6%

Ciro Gomes (PDT): 10,8%

Geraldo Alckmin (PSDB): 6,1%

Marina Silva (Rede): 4,1%

João Amoêdo (Novo): 2,8%

Alvaro Dias (Podemos): 1,9%

Henrique Meirelles (MDB): 1,7%

Cabo Daciolo (Patriota): 0,4%

Guilherme Boulos (PSOL): 0,4%

Vera (PSTU): 0,3%

José Maria Eymael (DC): 0%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Branco/Nulo: 13,4% Indeciso: 12,3%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre 12 e 15, em 137 municípios de 25 unidades da federação. Ela está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-04362/2018 e tem nível de confiança de 95%.


(Foto: Montagem)
MPRN investiga desvio de R$ 2,4 mi da AssembleiaOito pessoas foram presas e 23 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nesta segunda (17). Esquema envolvendo servidores fantasmas começou em 2015.

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta segunda-feira (17) a operação Canastra Real. O objetivo é apurar o desvio de pelo menos R$ 2.440.335,47 em um esquema envolvendo servidores fantasmas na Assembleia Legislativa. Ao todo, foram cumpridos 6 mandados de prisão e outros 23, de busca e apreensão. Duas pessoas foram presas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

Segundo as investigações, o esquema fraudulento foi iniciado em 2015 e tem como principal integrante a chefe de Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa, Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho. Para o MPRN, Ana Augusta ocupa posição de controle ao indicar pessoas para ocupar cargos na Casa. Para isso, a chefe de Gabinete forneceu o próprio endereço residencial para constar nos assentos funcionais e nos cadastros bancários dos servidores fantasmas por ela indicados.

Além de Ana Augusta, foram presos temporariamente por 5 dias: Paulo Henrique Fonseca de Moura, Ivaniecia Varela Lopes, Jorge Roberto da Silva, Jalmir de Souza Silva e Fabiana Carla Bernardina da Silva, todos ex-assessores técnicos da Presidência da Assembleia Legislativa. Essas cinco pessoas, que foram indicadas por Ana Augusta, tinham altos vencimentos na Casa, embora não possuíssem nível superior.

A investigação verificou que todos os indicados possuem movimentações financeiras atípicas, recebendo mensalmente a importância líquida aproximada de R$ 13 mil. Logo após o depósito dos valores nas contas bancárias, as quantias eram integralmente sacadas. Essa movimentação financeira das contas bancárias, todas com saques padronizados, de valores idênticos, revela que os titulares não possuíam o controle de suas próprias contas.

Para o MPRN, as contas-correntes desses ex-assessores técnicos foram abertas somente para desvio de dinheiro público. Embora fossem servidores com alta renda, optaram por não contratar cartões de crédito. Mesmo sendo bem remunerados, investigação do Grupo de Atuação Especial ao Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MPRN, mostra a ausência de aquisição de patrimônio no período em que estiveram nomeados para o cargo na Assembleia. A movimentação financeira deles não espelha a renda percebida.

Já em relação à Ana Augusta Simas Aranha Teixeira de Carvalho, ao contrário dos demais investigados, a movimentação financeira é superior à renda declarada, incompatível com a qualidade de servidora pública e dissociada da sua declaração de Imposto de Renda. Ela declarou à Receita Federal, no IR do ano calendário 2015, somente rendimentos advindos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte, enquanto que a declaração de informações sobre movimentação financeira revelou que a entrada de recursos na conta dela foi em valores que equivalem a mais que o dobro da remuneração dela.


(Foto: Divulgação)
Datafolha: Com Bolsonaro na frente, Haddad empata com CiroEm curva francamente descendente está Marina Silva (Rede), que caiu de 11% para 8%

Fisicamente fora da campanha eleitoral desde que foi esfaqueado no dia 6, Jair Bolsonaro (PSL) lidera a corrida à Presidência com 26%, segundo nova pesquisa do Datafolha.

Na semana em que foi oficializado candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad viu sua intenção de voto subir de 9% para 13%. Está empatado numericamente com Ciro Gomes (PDT), que manteve sua pontuação, e na margem de erro também com Geraldo Alckmin (PSDB), que oscilou de 10% para 9%.

Em curva francamente descendente está Marina Silva (Rede), que caiu de 11% para 8% e hoje tem metade das intenções de voto que tinha quando sua candidatura foi registrada em agosto.

O levantamento foi feito entre quinta (13) e sexta (14), ouvindo 2.820 eleitores em 187 cidades, com uma margem de erro de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa foi contratada pela Folha de S.Paulo e pela Rede Globo.

A pesquisa anterior havia sido realizada na segunda (10). Bolsonaro oscilou positivamente dois pontos desde então, numa semana em que teve de submeter-se a uma cirurgia de emergência para desobstruir o intestino. O deputado segue incomunicável na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

A curva é favorável ele, mesmo tendo crescido dentro da margem de erro. Antes do atentado, ele registrava 22% de intenções de voto na primeira pesquisa sem a presença de Lula no cartão apresentado aos entrevistados. Seu eleitor se diz o mais convicto: 75% afirmam que não mudarão de voto.

Bolsonaro também oscilou positivamente para 22% nas citações espontâneas ao nome do candidato preferido, liderando com folga nesse quesito.

O levantamento ocorreu um dia antes do registro de Haddad, então vice de Luiz Inácio Lula da Silva, como presidenciável. Preso por corrupção, o ex-presidente é inelegível por ter condenação em segunda instância.

O ex-prefeito dobrou sua pontuação na pesquisa espontânea, de 4% para 8%, empatando com Ciro, que subiu de 5% para 7%.

Alckmin registra os mesmos 3% espontâneos da pesquisa anterior, empatado com Marina, João Amoêdo (Novo) e Alvaro Dias (Podemos), todos com 2%. A pesquisa traz más notícias para o tucano, que esperava crescer com a exposição de duas semanas com o maior horário de propaganda gratuita de rádio e TV. Seu eleitor também é menos sólido: 61% dizem que podem mudar de voto.

O crescimento do petista no levantamento estimulado ocorreu principalmente onde Lula já se dava melhor: entre os mais pobres e menos instruídos. Seu melhor desempenho se deu entre eleitores de 45 a 59 anos (9% para 15%). Se dizem convictos no voto em Haddad 72% dos eleitores.

A maior rejeição entre os candidatos segue sendo a de Bolsonaro, tendo oscilado de 43% para 44%. Haddad, por sua vez, viu seu índice subir de 22% para 26%, à frente numericamente Alckmin (25%). Dos principais concorrentes, Marina oscilou de 29% para 30% e Ciro, de 20% para 21%.


(Foto: Carta Capital)
Haddad e a entrevista inquisidora do Jornal NacionalO candidato do PT é submetido a uma lamentável entrevista inquisidora no principal jornal da televisão aberta do país

A repercussão negativa da forma como foi feita a entrevista no Jornal Nacional, da Rede Globo, na sexta-feira (14), com o candidato a presidência pelo Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, evidencia um rechaço da sociedade a uma certa forma de "jornalismo" que vem se desenvolvendo no país. Na entrevista, de cerca de 29 minutos, o candidato do PT enfrentou um verdadeiro interrogatório inquisidor e foi cortado em suas respostas em nada menos que 62 vezes.

O que deveria ser um serviço prestado à sociedade pela emissora em seu principal jornal, que já não vive os mesmos dias de glória de outrora, se tornou em uma batalha que tinha como objetivo principal desmontar, desconstruir, uma candidatura legitimamente referendada por um partido político que disputa as eleições deste ano à presidência dentro das regras do jogo democrático em um Estado Democrático de Direito.

Fernando Haddad foi interrogado no programa por dois elementos que não disfarçavam o interesse em constrangê-lo, em destruí-lo politicamente. A conduta dos dois apresentadores, que se posicionaram como os mais implacáveis adversários do petista, supera em muito qualquer ataque que venha a sofrer de seus contendores legitimamente definidos em convenções partidárias - Alckmin, Bolsonaro, Amoêdo, Álvaro Dias, Ciro, Meireles, ou Marina Silva.

Os dois apresentadores já haviam tratado o candidato Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas na corrida presidencial, como um inquirido em um interrogatório em que ficou evidente a ira e a intenção de desconstrução.  Naquele momento, os petistas até saudaram o comportamento lamentável dos dois apresentadores, afinal era contra o adversário Bolsonaro que, por sinal, se saiu bem no verdadeiro embate travado.

Fernando Haddad também se saiu bem, conseguiu enfrentar os inquisidores com maestria e exemplo de civilidade e educação. O que fica disso tudo é uma questão que precisa ser refletida: a presença de Fernando Haddad, a exemplo do que aconteceu anteriormente com Jair Bolsonaro, no Jornal Nacional, que ainda é o principal jornal da televisão aberta brasileira, serviu para o eleitor telespectador conhecer as pretensões e projetos dos candidatos para  o país?

Outra questão que deve ser levada em conta: o objetivo da Rede Globo com essas entrevistas é contribuir para que o eleitor tome conhecimento sobre o que cada candidato propõe para o pais, ou é difundir a capacidade inquisidora de seus apresentadores?


Haddad enfrenta uma lamentável inquisição no Jornal Nacional
Ex-governador Beto Richa (PSDB) deixa prisãoMinistro do STF mandou soltar o candidato ao Senado pelo PSDB, a mulher, Fernanda Richa, e outros 13 investigados

O ex-governador do Paraná, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada de sábado, 15. Ele foi preso na manhã de terça-feira, 13, no âmbito da Operação Rádio Patrulha, que investiga o suposto direcionamento de licitação para beneficiar empresários e o pagamento de propina a agentes públicos no Paraná.

Na noite desta sexta-feira, 14, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, decidiu soltar a família e mais 14 acusados que foram presos.

Na saída da carceragam, Richa disse à imprensa que está “de cabeça erguida” e que continua respondendo todas as acusações “sem a menor dificuldade”. “O que fizeram comigo é uma crueldade enorme. Não merecia o que aconteceu. […] Foram dias de extremo sofrimento para mim a toda a minha família”, disse, questionando a credibilidade do delator da operação, “cujo histórico de vida não demonstra nenhuma credibilidade”. “E aí eu pergunto, vale a palavra dele ou vale a minha palavra?”.

O ex-governador disse que quer voltar à vida normal e à sua campanha ao Senado.

Prisão provisária

Richa, que é candidato ao Senado nas eleições de outubro, sua esposa e ex-secretária da família, Fernanda Richa, e o seu irmão, José Carlos Richa, o Pepe Richa, estavam detidos provisoriamente no Regimento da Polícia Montada, da Polícia Militar, em Curitiba. Todos deixaram o local nesta madrugada.

No pedido de liberdade feito ao STF, os advogados alegaram que não há motivos para a decretação da prisão porque os supostos fatos teriam ocorrido entre 2011 e 2013. O pedido de liminar foi enviado ao processo no qual o próprio Gilmar Mendes proibiu a condução coercitiva de investigados. Segundo a defesa, a prisão foi decretada em substituição à condução, violando a decisão do ministro, que foi confirmada posteriormente pelo plenário.

Na decisão, Mendes disse que a decretação da prisão foi inconstitucional e violou a decisão da Corte sobre a condução coercitiva.  Além disso, disse que as prisões temporárias só podem ocorrer quando forem imprescindíveis para as investigações.


(Foto: Tarcísio Silveira/RPC)
Nordeste concentra maior rejeição a BolsonaroCandidato planeja atenção especial ao Nordeste em postagens nas redes

Única região a ficar de fora da agenda de campanha de Jair Bolsonaro (PSL), o Nordeste deve ter uma atenção especial a partir de agora nas postagens feitas pela equipe do candidato nas redes sociais.

Bolsonaro, que está impossibilitado de fazer campanha após ter sido esfaqueado, usou sua conta do Twitter para afirmar a importância da região, mencionando seu potencial produtivo.

"Estivemos em Israel e vimos de perto o que eles não tem [sic] e o que eles são, mesmo no meio do deserto. O Nordeste brasileiro tem grande potencial para produzir, gerar empregos e prosperar, principalmente quando falamos em agricultura e energia limpa. É onde pretendemos avançar!"

O Nordeste tem 26,63% dos eleitores do Brasil e, antes de Bolsonaro sofrer um atentado, cinco de seus estados estavam no mapa de agendas do candidato.

Uma primeira viagem teria início na última terça (11) e incluiria Pernambuco, Alagoas e Bahia.

A outra visita ficaria para a última semana de campanha antes do primeiro turno e abarcaria o Ceará e a Paraíba.

Bolsonaro queria visitar a cidade de Crateús, no Ceará, que é a terra natal de seu sogro, conhecido como "Paulo Negão". Com essa agenda, ele pretendia dar sequência a uma narrativa na qual tenta desconstruir sua imagem de racista.

Já na Paraíba ele faria campanha ao lado de Julian Lemos, que é vice-presidente do PSL e disputa uma vaga na Câmara dos Deputados.


(Foto: Reuters)
Alckmin durante campanha em Natal: "Temer é do PT'A declaração destoa do comportamento do PSDB, que integrou a base aliada de Temer a partir do impeachment

O candidato à Presidência pelo PSDB, Geraldo Alckmin, associou o presidente Michel Temer ao PT durante agenda de campanha nesta sexta-feira (14) a Natal.

"O Temer, eu não votei nele. O Temer é do PT. Ele era vice do PT. Quem escolheu o Temer foi o PT, não fomos nós. Eles quem escolheram o Temer como vice", disse o tucano, defendendo a legalidade do processo de impeachment sofrido pela ex-presidente Dilma Rousseff.

"É óbvio que se tinham crimes cometidos. Não foi a primeira vez que se teve impeachment. No sistema presidencialista, quando se tem problemas, troca. Qual é a maneira de trocar? É o Congresso Nacional com o acompanhamento do Supremo Tribunal Federal. O que nós precisamos é não errar mais."

A declaração destoa do comportamento do PSDB, que integrou a base aliada de Temer a partir do impeachment, em agosto de 2016. Com inrformações da Folha de São Paulo. 


(Foto: Portal NoAr)
Ciro diz que Haddad não conhece o BrasilCandidato do PDT destacou, no entanto, ser amigo do petista, mui amigo

Em rápida passagem por Porto Velho (RO) nesta sexta-feira (14), o presidenciável Ciro Gomes (PDT) disse ter amizade com Fernando Haddad, mas duvidou da capacidade do petista de ser presidente do Brasil.

"Sou muito amigo do Haddad de longa data. Tenho por ele mais do que respeito e afeição. Entretanto, estamos em campanha e eu preciso dizer às pessoas o que difere a minha candidatura da dele", disse Ciro.

"E eu atribuo a ele um único defeito, nada que o tempo possa resolver: inexperiência. Até o dia em que ele souber onde fica Ji-Paraná, Vilhena, Ariquemes [cidades do interior de Rondônia], em que souber os graves problemas da fronteira com a Bolívia, souber os constrangimentos que Rondônia têm para processar seu gado, sua agricultura. Já se passaram dez anos e ele não conhece o Brasil, e o Brasil não pode mais repetir a experiência da Dilma", completou.

Questionado se seu passado ligado ao PT poderia contaminar sua campanha, Ciro diz ter sido poupado por Deus "do sentimento de medo".

"A gente é o que a gente é. Eu não tenho nenhum arrependimento de ter sido ministro do primeiro mandato do Lula. Pelo contrário: tenho orgulho. Ajudei nas reuniões que formularam o Bolsa Família por exemplo. Tive muito orgulho de ter sido o encarregado de confiança do Lula para fazer a transposição do São Francisco, que é a obra mais importante do ponto de vista físico do governo dele", afirmou, dizendo que afastou-se "quando eu vi que as contradições começaram a acontecer".

"As pessoas compreendem isso, porque lá atrás eu já tinha ajudado a fazer o Plano Real, que o PT ficou contra. Se você quiser saber onde eu caminho, eu caminho para ajudar o Brasil, pouco importa qual o partido", disse.

Ciro também disse que há muita interferência do Poder Judiciário no atual cenário político brasileiro. "O Brasil está fazendo muita bobagem com essa judicialização da política".

O candidato fez uma caminhada no centro da capital de Rondônia e visitou o Mercado Central. A previsão era de visita ainda nesta sexta a Rio Branco e Manaus, e, no sábado (15), a Boa Vista, Macapá e Belém. Com informações da Folhapress.


(Foto: Reuters)
Voto útil: Ciro, Marina, Alckmin e Haddad no vale-tudoQuatro nomes disputam uma vaga no segundo turno para enfrentar Bolsonaro. O voto útil pode ser o fator determinante para o sucesso

A última pesquisa nacional do Ibope para presidente da República deflagrou uma onda de voto útil entre os principais candidatos com condições de ir para o segundo turno e já está chegando aos militantes dos partidos envolvidos e deve também alcançar o eleitor.

Pela pesquisa do Ibope, e também por outras feitas recentemente, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem presença praticamente garantida no segundo turno. Sua alta rejeição, 41%, aponta por outro lado que terá dificuldades de vencer no segundo turno, e isso desencadeia uma série de especulações e "análises" com vistas ao voto útil que, nesse caso, vai além do simples interesse de cada candidato em chegar lá e ganha conotações de aproximação ideológica e de postura frente a Constituição e ao andamento das instituições brasileiras.

Pela pesquisa Ibope Bolsonaro tem 26% das intenções de voto dos brasileiros, vindo na segunda colocação um amplo empate técnico com os outros principais contendores: Ciro, 11%; Marina e Alckmin, 9%; e Haddad, 8%. Para avançar e sair desse empate técnico, os candidatos que disputam a segunda vaga estão empregando o discurso do voto útil e, nesse sentido, entra em cena além das chances de êxito no primeiro turno, também a possibilidade de vitória sobre Jair Bolsonaro no segundo turno.

Ciro Gomes (PDT) quer se manter na segunda posição numérica e ir para o segundo turno com Bolsonaro. Em seu discurso, que já não está medindo críticas ao seu adversário direto Fernando Haddad (PT), diz que tem reais possibilidades de vencer Bolsonaro no segundo turno, segundo a pesquisa do Ibope (Ciro 40%, Bolsonaro 37%, dentro da margem de erro).

Haddad, por sua vez, faz valer sua condição de candidato do Partido dos Trabalhadores, sucessor do ex-presidente Lula no embate, e com condições possíveis de herdar boa parte dos seus votos. Com essa perspectiva real, Haddad se coloca como verdadeiro voto útil em se tratando do eleitorado de esquerda. No segundo turno, Haddad, perde para Bolsonaro por 40% a 36%, mas dentro da margem de erro.

Geraldo Alckmin (PSDB), outro candidato que conta com musculatura de estrutura de partido e de coligação, reivindica essa condição na pregação do voto útil de olho no eleitorado que tem intenção de votar em Álvaro Dias (Podemos), que tem 3%; de João Amoêdo (Novo), que tem 3%; e de Henrique Meirelles (MDB), que também está com 3%. Alckmin também ressalta que indo para o segundo turno tem a possibilidade de derrotar Bolsonaro (38% a 37%, dentro da margem de erro).

Marina Silva (Rede), que está vendo seu eleitorado minguar, está de olho nos votos que eram para Lula e agora estão voando sobre as cabeças dos candidatos de esquerda e de centro-esquerda. Marina diz que tem chances reais de derrotar Bolsonaro no segundo turno, já que pela pesquisa Ibope empata com o candidato do PSL (38% a 38%), mas é quem tem, pelo seu perfil, mais condições de agregar apoios na disputa final.

Observando essa verdadeira luta do vale-tudo, os coordenadores da campanha de Jair Bolsonaro, ainda na UTI do Hospital Albert Einstein, vítima de um atentado à faca na quinta-feira (6), em Juiz de Fora, MG, têm a preocupação principal de reduzir o índice de rejeição que está em 41%, índice que reduz as chances de vitória no segundo turno. 


Candidatos lutam por lugar no segundo turno
Gasolina em Natal custa em média R$ 4,81Entre as regiões, a Zona Oeste foi a que apresentou o menor preço médio para a Gasolina Comum

No último dia 05 de setembro, o PROCON NATAL realizou uma pesquisa após a Petrobras anunciar aumento nas refinarias nos preços da gasolina tipo A para averiguar se o acréscimo havia sido repassado ao consumidor. O órgão constatou um aumento de 6,10% em relação à pesquisa do mês de agosto. O levantamento apurou os valores praticados em 69 postos de combustíveis da cidade do Natal nas suas quatro regiões. A constatação é a de que o aumento dos preços das refinarias foi sim repassado ao consumidor final.

GASOLINA COMUM

Com relação ao combustível mais utilizado pelo natalense, a gasolina comum, a diferença entre o maior preço praticado (R$4,899) e o menor (R$4,550) equivale a uma variação de (10,19%). Já o preço médio atual do combustível é de (R$4,814).

Entre as regiões, a Zona Oeste foi a que apresentou o menor preço médio para a Gasolina Comum, (R$4,727). O menor valor foi encontrado no bairro de Cidade da Esperança (R$4,550). Já o maior preço da gasolina comum em média foi encontrado na zona sul com (R$4,843) sendo o maior valor encontrado no bairro de Ponta Negra (R$4,899).

O PROCON NATAL orienta aos consumidores que consultem na íntegra a pesquisa mensalmente realizada e divulgada no endereço eletrônico www.natal.rn.gov.br/procon. Através dela, é possível ter acesso às informações dos preços praticados em toda a cidade.


(Foto: Exame)
STF concede habeas corpus a Fernando FreireApesar da decisão, ex-governador Fernando Freire permanece preso.

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), substituiu por medidas cautelares a prisão preventiva decretada contra o ex-governador do Rio Grande do Norte Fernando Freire. Ele condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em decorrência da operação que desbaratou o esquema conhecido como “Máfia dos Combustíveis”. A liminar foi deferida no Habeas Corpus 161608.

Apesar da decisão, Fernando Freire permanece preso. A defesa do ex-governador do estado potiguar explica que ele tem outras quatro condenações em segunda instância de processos da Operação Gafanhoto, somando 19 anos de prisão.

Neste caso julgado agora pelo Supremo, Fernando Freire havia tido negado o direito de recorrer em liberdade em razão de ter sido fixado regime fechado para o cumprimento da pena imposta, de 19 anos, 11 meses e 9 dias de reclusão. O juízo da 4ª Vara Criminal de Natal também considerou que ele não comprovou que poderia ser localizado no endereço indicado nos autos e não fez qualquer comunicação sobre seu paradeiro, tendo sido dado como foragido em outro processo.

A defesa do ex-governador buscou a revogação da prisão preventiva junto ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN), mas a corte estadual negou o habeas corpus. Em seguida, os advogados interpuseram recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), e ministro daquela corte indeferiu o pedido de liminar.

No habeas corpus ao Supremo, a defesa argumentou que o ex-governador é “pessoa idônea”, tem bons antecedentes, ocupação lícita e residência fixa, e que “jamais” esteve na condição de foragido, apenas mudou de endereço, tendo comparecido em juízo a todos os atos processuais requeridos durante a instrução deste processo. Com informações do portal G1 RN. 


(Foto: Canal Areia Branca)
Justiça proíbe operações com antecipação de royalties A permissão havia sido dada ao Poder Executivo por uma lei aprovada na Assembleia Legislativa em junho

A Justiça proibiu o Governo do Rio Grande do Norte de fazer cessão de créditos ao Banco do Brasil que sejam decorrentes de royalties e participações especiais, relacionados à exploração de petróleo e gás natural. A proibição é válida até 31 de dezembro de 2019. Para o banco, Justiça determinou que também se abstenha de realizar essa operação de crédito.

A permissão havia sido dada ao Poder Executivo por uma lei aprovada na Assembleia Legislativa em junho, e o governo pretendia utilizar essa transação para pagamento da folha de pessoal.

Na decisão, o Juízo da 5ª vara da Fazenda Pública da Natal ainda ordenou que, na hipótese de já ter sido realizado algum ato nesse sentido, ficam os seus efeitos suspensos, sem eficácia prática, até novo posicionamento judicial.

A determinação da Justiça deferiu uma liminar do Ministério Público, que pedia a proibição. A operação de cessão, agora vedada judicialmente, dava a contrapartida para o Estado receber os recursos financeiros correspondentes, previstos na legislação estadual.

A lei que permitiu a antecipação, aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Robinson Faria foi questionada pelo Ministério Público. Com informações do G1 RN. 


(Foto: Assessoria)
Dólar fecha a R$ 4,19 e atinge valor histórico A maior alta foi em 21 de janeiro de 2016, quando chegou a R$ 4,163

O dólar encerrou o pregão de hoje (13) próximo dos R$ 4,20, no maior patamar desde a criação do Plano Real. A moeda norte-americana fechou em alta de 1,21%, cotada a R$ 4,1957 para venda, superando o teto de R$ 4,1655 de janeiro de 2016.

No acumulado do mês, o dólar já apresenta valorização de 3,03% em relação ao real. O Banco Central segue com a política tradicional de swaps cambiais, sem efetuar na semana nenhum leilão extraordinário de venda futura de dólares, como fez na última sexta-feira para conter a valorização da moeda norte-americana.

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), terminou o dia em baixa de 0,58%, com 74.686 pontos. Os papéis da Petrobras tiveram desvalorização de 1,27%, seguidos pelos do Itau com (-0,55%) e Bradesco (-0,40%). Com informações da Agência Brasil.


(Foto: O Globo)
Ex-prefeito de Nísia Floresta é condenado pelo TJA justiça condenou João Lourenço Neto com a penalidade de suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos

O juiz Tiago Neves Câmara, da Comarca de Nísia Floresta, condenou o ex-prefeito daquele Município, João Lourenço Neto e a M e K Comércio e Construções Ltda. pela prática de Improbidade Administrativa consistente em irregularidades na contratação da empresa para executar os serviços do programa para erradicação de casas de taipa.

A justiça condenou João Lourenço Neto com a penalidade de suspensão dos direitos políticos pelo prazo de cinco anos e pagamento de multa civil no valor de R$ 18.172,04. Ele também está proibido de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo mesmo prazo de cinco anos.

Já a empresa M e K Comércio e Construções Ltda. foi condenada ao pagamento de multa civil no valor de R$ 18.172,04, bem como proibida de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

As condenações atendem ao que foi pedido na Ação Civil Pública de Responsabilização por Ato de Improbidade Administrativa promovida pelo Ministério Público Estadual contra o ex-prefeito, João Lourenço Neto, e M e K Comércio e Construções Ltda., imputando a estes a prática de atos de improbidade administrativa, tipificados nos artigos 10, XI, e 11, caput, da Lei nº. 8.429/92 e requerendo a sua condenação nas penas previstas no artigo 12 da mesma lei.

Segundo o Ministério Público, o réu João Lourenço Neto, na condição de prefeito de Nísia Floresta, estava mantendo de forma irregular o convênio n.º 08/98-SEPLAN/SETAS, referente a programa para erradicação de casas de taipa.

O MP sustentou que foram verificadas as seguintes irregularidades: realização de subconvênio não previsto no convênio celebrado; condução imprópria do processo licitatório; prestação de contas extemporâneas e pagamento indevido de valor referente a serviços não realizados.


(Foto: Assessoria)
Audiência debate situação das pontes sobre o PotengiA Ponte de Igapó, no seu formato atual, foi inaugurada em 1988, enquanto a Newton Navarro teve a sua inauguração no ano de 2007

A Câmara Municipal de Natal debateu, na tarde desta quinta-feira, 13, a situação das pontes sobre o Rio Potengi (de Igapó e Newton Navarro). O debate contou com a presença d o Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias em Engenharia (Ibape), responsável por um amplo relatório de avaliação das pontes da capital do Estado.

A audiência pública foi proposta pelo vereador Sueldo Medeiros (PHS), por meio da Frente Parlamentar da Engenharia, Arquitetura, Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano, a qual ele preside. Segundo o parlamentar, “a realidade das duas pontes é muito preocupante. Não falo da adequabilidade da manutenção, mas da sua ausência. Quem transita pelos dois equipamentos tem que contar um pouco com a sorte e isso não podemos admitir”, justifica ele.

O Ibape é uma entidade federativa nacional de caráter técnico com trabalho desenvolvido por meio de projetos pioneiros intimamente ligados ao desenvolvimento das atividades dos profissionais da engenharia e da arquitetura atuantes nos campos das avaliações de bens e das perícias.

Pontes do Potengi

A Ponte de Igapó, no seu formato atual, foi inaugurada em 1988, enquanto a Newton Navarro teve a sua inauguração no ano de 2007. Durante a audiência pública, os engenheiros do Ibape serão responsáveis por uma detalhada apresentação técnica, que vai trazer a situação atual das estruturas para os parlamentares presentes. O objetivo da audiência é ampliar o debate e propor soluções imediatas para os possíveis problemas apresentados pelos técnicos.


(Foto: Gumaré News)
Hackers atacam portal da Assembleia Legislativa do RNAssembleia esclareceu ainda que os hackers não pediram dinheiro em troca da devolução de informações

O sistema de tecnologia da informação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte foi invadido por hackers, conforme confirmou a assessoria do órgão. Por precaução, o Legislativo informou que tirou o site do ar para evitar que os invasores alterem fotos e matérias, e tenta recuperar o acesso aos programas. Na manhã desta quarta-feira (12), uma imagem na página inicial informava que o site estava em manutenção.

Ainda de acordo com a Assembleia Legislativa, os dados da intranet não foram perdidos. O órgão também negou que os criminosos virtuais tenham pedido dinheiro em troca da devolução das informações. As edições nos sistemas que lidam com folha de pagamento e orçamento foram suspensos.

Veja nota completa:

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte informa à sociedade, à imprensa e aos órgãos de controle que o sistema de informática foi atingido por um ataque de vírus promovido por hackers. Permanecem preservados os bancos de dados internos.

No momento em que ocorreu a invasão, precavidamente, a Assembleia optou pela suspensão temporária da sua página na internet, fechando o sistema para evitar transtornos.

É importante esclarecer que o serviço da rede de internet do Poder Legislativo é contratado à operadora OI e a Assembleia tem licença para uso de todos os programas, incluindo softwares de segurança. Outros órgãos públicos também foram atingidos pelo vírus com origem internacional.

O Poder Legislativo lamenta a interrupção momentânea das informações do trabalho dos deputados estaduais, ao mesmo tempo em que reafirma que todas as medidas cabíveis já foram tomadas e que as diretorias administrativas e de informática estão trabalhando para uma solução com brevidade.

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Palácio José Augusto


(Foto: Elo Concurso)
Ibope: Bolsonaro amplia liderança após atentadoCiro Gomes, Marina Silva, Geraldo Alckmin e Fernando Haddad estão empatados tecnicamente em segundo lugar

A primeira pesquisa Ibope feita após o atentado contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro revela que ele subiu de 22% para 26% nas intenções de voto. Ciro Gomes (11%), Marina Silva (9%), Geraldo Alckmin (9%), e Fernando Haddad (8%) estão empatados tecnicamente em segundo lugar.

De acordo com o jornal 'O Globo', o levantamento foi realizado entre sábado (8) e segunda-feira (10). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Foram ouvidas 2.002 pessoas em 197 municípios.

PRIMEIRO TURNO

Jair Bolsonaro (PSL) - 26%

Ciro Gomes (PDT) - 11%

Marina Silva (Rede) - 9%

Geraldo Alckmin (PSDB) - 9%

Fernando Haddad (PT) - 8%

Álvaro Dias (Podemos) - 3%

Henrique Meirelles (MDB) - 3%

João Amoêdo (Novo) - 3%

Cabo Daciolo (Patriota) - 1%

Vera Lúcia (PSTU) - 1%

Brancos e nulos - 19%

Não souberam responder - 7%

Guilherme Boulos (Psol), João Goulart Filho (PPL) e Eymael não pontuaram.

A pesquisa aponta que o percentual de eleitores que disseram não vão votar de forma alguma em Bolsonaro caiu três pontos percentuais. Confira o índice de rejeição dos candidatos à Presidência:

REJEIÇÃO

Jair Bolsonaro (PSL) - 41%

Marina Silva (REDE) - 24%

Fernando Haddad (PT) - 23%

Geraldo Alckmin (PSDB) - 19%

Ciro Gomes (PDT) - 17%

Henrique Meirelles (MDB) - 11%

Cabo Daciolo (Patriotas) - 11%

Eymael (DC) - 11%

Guilherme Boulos (PSOL) - 11%

Vera (PSTU) - 11%

João Amoêdo (NOVO) - 10%

Alvaro Dias (Podemos) - 9%

João Goulart Filho (PPL) - 8%

Poderia votar em todos - 2%

Não souberam ou não opinaram - 11%

SEGUNDO TURNO - Possíveis cenários

Cenário 1

Ciro Gomes (PDT) - 40%

Jair Bolsonaro (PSL) - 37%

Brancos ou nulos - 18%

Não sabe/não respondeu - 4%

 

Cenário 2

Geraldo Alckmin (PSDB) - 38%

Jair Bolsonaro (PSL) - 37%

Brancos ou nulos - 21%

Não sabe/não respondeu - 4%

 

Cenário 3

Jair Bolsonaro (PSL) - 38%

Marina Silva (REDE) - 38%

Brancos e nulos - 20%

Não sabe/não respondeu - 4%

 

Cenário 4

Jair Bolsonaro (PSL) - 40%

Fernando Haddad (PT) - 36%

Brancos e nulos - 19%

Não sabe/não respondeu - 5%


(Foto: Reuters)
Os desafios de Haddad como candidato à presidênciaConfirmação de Fernando Haddad foi feita pela executiva nacional do PT na tarde desta terça-feira (11) na cidade de Curitiba (PR)

Confirmado como candidato à presidente da República pela executiva nacional do Partido dos Trabalhadores nesta terça-feira (11), após aval de Lula, que se encontra preso em Curitiba (PR), Fernando Haddad tem o grande desafio de se fazer conhecer na maior base de eleitores de seu partido, o Nordeste, e de angariar a maior parte dos votos que seriam dados ao ex-presidente.

Jovem e com boa presença de cena, Haddad tem contra si também o argumento de que sua fala é sofisticada demais e não consegue alcançar o cidadão comum das ruas. Analistas dentro do PT consideram que Haddad se imagina o tempo todo falando para seus colegas professores de universidades federais brasileiras que têm, principalmente nas áreas de Humanas, sua mesma preferência partidária.

Distante das ruas, o que era incialmente o pensamento do PT, Haddad teve seu nome referendado por unanimidade pela executiva de seu partido em um hotel na cidade de Curitiba. Manuela D'Ávila, do PCdoB, que vinha no banco de reserva da coligação exatamente para esse tipo de procedimento, foi confirmada como vice na chapa de Haddad.

Fernando Haddad, dos candidatos que correm atrás de Bolsonaro, é o que aparece com mais possibilidades de êxito para ir ao segundo turno contra o deputado do PSL, líder em todas as pesquisas e fortemente colocado na mais recente do Datafolha, na sondagem espontânea. Haddad, na visão dos especialistas é o que mais tende a crescer já que deverá ser o principoal destino dos votos do ex-presidente Lula, até pouco tempo líder nas pesquisas na corrida ao Planalto.

Fernando Haddad também cresceuna última pesquisa do Datafoha, no tipo estimulada, estando agora com 9% das intenções de voto, empatado tecnicamente com Marina e Alckimin na terceira posição e a 4 pontos de Ciro, que é o segundo.


Fernando Haddad é confirmado finalmente como candidato do PT
Datafolha: Bolsonaro abre larga margem na espontâneaJair Bolsonaro cresce 5% e aparece com 20% na pesquisa espontânea, enquanto segundo colocado, Ciro Gomes, tem apenas 5%

Colocado para debaixo do tapete pelos principais veículos de comunicação do país, a pesquisa espontânea da última sondagem de votos do Instituto Datafolha traz um dado absolutamente importante: o candidato Jair Bolsonaro subiu cinco pontos e alcançou percentual de 20%, algo só conseguido por Lula em seus melhores momentos na atual disputa eleitoral.

A pesquisa espontânea é vista como a mais evidente já que é apontada pelo eleitor sem nenhum tipo de mostragem de nomes de candidatos. Em outras palavras, na pesquisa espontânea o eleitor fala o candidato que realmente está na sua mente, no qual pretende de fato votar, ou então, não fala nenhum candidato, se ainda não tem um nome definido para votar.

Na pesquisa espontânea o candidato Bolsonaro, que ainda se encontra internado na UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, vítima de um atentando à faca na quinta-feira (6), em Juiz de Fora, Minas Gerais, sai de 15% que tinha no dia 21 de agosto para 20% na última segunda-feira (10). Já Lula, que seria o principal adversário de Bolsonaro, caiu de 20 pontos para 9% agora.

Fernando Haddad, que nesta terça-feira (11) está sendo oficializado como candidato do PT ao Planalto, fica apenas nos 4% na pesquisa espontânea do Datafolha. A pesquisa espontânea do Instituto Datafolha aponta Ciro Gomes como segundo colocado, a uma enorme distância de Bolsonaro, com 5%. Os demais candidatos não estão explicitados pelo release burocrátrico da Folha de São Paulo, que serve de base para nossa matéria.

O fato é que a vantagem de Bolsonaro é ampla em se tratando de pesquisa espontânea e é esse tipo de levantamento que representa o que de fato se passa na cabeça do eleitorado.

A pesquisa do Datafolha diz que entrevistou 2.804 eleitores de 197 municípios brasileiros na segunda-feira (10).


Bolsonaro lidera e Ciro é segundo também na espontânea do Datafolha
Datafolha: Bolsonaro, 24%; Ciro, 13%; Marina, 11%O Datafolha pesquisou o cenário já com o nome de Fernando Haddad no lugar de Lula como candidato do PT

O Datafolha divulgou nesta segunda-feira (10) uma nova pesquisa de intenção de voto para presidente da República. É o primeiro levantamento do instituto desde que o Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Lula está preso em Curitiba, condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

O Datafolha pesquisou o cenário em que o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT, aparece como possível substituto de Lula na chapa.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Vamos aos números:

Jair Bolsonaro (PSL): 24%

Ciro Gomes (PDT): 13%

Marina Silva (Rede): 11%

Geraldo Alckmin (PSDB): 10%

Fernando Haddad (PT): 9%

Alvaro Dias (Podemos): 3%

João Amoêdo (Novo): 3%

Henrique Meirelles (MDB): 3%

Guilherme Boulos (PSOL): 1%

Vera (PSTU): 1%

Cabo Daciolo (Patriota): 1%

João Goulart Filho (PPL): 0%

Eymael (DC): 0%

Branco/nulos: 15%

Não sabe/não respondeu: 7%

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado em 21 de agosto:

Jair Bolsonaro oscilou, dentro da margem de erro, de 22% para 24% (com a margem de erro, tem de 22% a 26%);

Ciro Gomes tinha 10%, agora tem 13% (pela margem de erro, de 11% a 15%);

Marina Silva estava com 16%, agora caiu para 11% (com a margem de erro, tem de 9% a 13%);

Geraldo Alckmin tinha 9%, agora, 10% (com a margem de erro, de 8% a 12%); Ciro, Marina e Alckmin estão tecnicamente empatados.

Fernando Haddad tinha 4%, agora cresceu para 9% (com a margem de erro, de 7% a 11%). Fernando Haddad também está tecnicamente empatado, no limite da margem de erro, com Ciro, Marina e Alckmin.

Álvaro Dias tinha 4%, agora tem 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);

João Amoêdo tinha 2%, agora, 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%);

Henrique Meirelles também tinha 2%, agora 3% (com a margem de erro, de 1% a 5%). Os três estão empatados.

Guilherme Boulos, Vera Lúcia e Cabo Daciolo tinham 1% cada um e mantiveram 1% (com a margem de erro, têm de 0% a 3%);

João Goulart Filho tinha 1%, agora, 0% (com a margem de erro, tem de 0% a 2%);

Votos brancos e nulos somavam 22%, agora, 15%.

Não responderam ou não quiseram opinar eram 6%, agora, 7%.

Rejeição

O Datafolha também mediu a taxa de rejeição (o eleitor responde em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices:

Bolsonaro: 43%

Marina: 29%

Alckmin: 24%

Haddad: 22%

Ciro: 20%

Cabo Daciolo: 19%

Vera: 19%

Eymael: 18%

Boulos: 17%

Meirelles: 17%

João Goulart Filho: 15%

Amoêdo: 15%

Alvaro Dias: 14%

Rejeita todos/não votaria em nenhum: 5%

Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 2%

Não sabe: 6%

Em relação à pesquisa anterior, a variação da taxa de rejeição foi a seguinte: Bolsonaro, de 39% para 43%; Marina, de 25% para 29%; Ciro, de 23% para 20%; Alckmin, de 26% para 24%; Haddad, de 21% para 22%.

Simulações de segundo turno

Marina 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe: 2%)

Ciro 39% x 35% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 3%)

Alckmin 43% x 34% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)

Marina 38% x 37% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 2%)

Ciro 45% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%; não sabe: 3%)

Alckmin 43% x 29% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)

Haddad 39% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)

Ciro 41% x 35% Marina (branco/nulo: 22%; não sabe: 2%)

Marina 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)


(Foto: Montagem)
MP apura se Carlos Eduardo cobrou propina dos transportesEm nota, a Prefeitura de Natal afirmou que "o reajuste tarifário do transporte público segue critérios eminentemente técnicos"

O Ministério Público do Rio Grande do Norte abriu um inquérito civil para investigar a suposta prática de ato de improbidade administrativa que teria sido praticado pelo atual prefeito de Natal, Álvaro Dias (MDB) e pelo ex-prefeito Carlos Eduardo Alves, atual candidato a governador do estado pelo PDT.

A investigação vai apurar se Carlos Eduardo e Álvaro Dias autorizaram o aumento da tarifa do ônibus de Natal em troca de recebimento de propina em forma de doação eleitoral que seria realizada por um empresário, proprietário de uma empresa de ônibus, para as candidaturas de Carlos Eduardo a governador e de Adjuto Dias, filho de Álvaro Dias, para deputado estadual.

A portaria do dia 28 de agosto determinou a abertura do inquérito civil, mas não foi publicada no Diário Oficial do Estado, porque o promotor substituto Márcio Cardoso Santos, da 44ª Promotoria do Patrimônio Público de Natal, determinou o sigilo da investigação. Porém, o G1 e a Inter TV Cabugi tiveram acesso ao documento em pesquisa pública dentro do próprio site do Ministério Público.

Em nota, a Prefeitura de Natal afirmou que "o reajuste tarifário do transporte público segue critérios eminentemente técnicos e um processo que é regulamentado por lei" e "foi aprovado por deliberação independente do Conselho Municipal de Transportes e Mobilidade Urbana (CMTMU), composto por 31 membros".

Confira a nota da Prefeitura de Natal na íntegra:

"A Prefeitura Municipal do Natal se dirige à Intertv Cabugi para manifestar seu estranhamento diante do surgimento da notícia apresentada. Primeiro, por ser absolutamente desprovida de fundamentos. O reajuste tarifário do transporte público segue critérios eminentemente técnicos e um processo que é regulamentado por lei. O processo se inicia com estudos que se convertem em planilhas com o acompanhamento da evolução de custos em itens como salários dos motoristas, encargos trabalhistas e despesas com insumos como combustíveis e peças de manutenção dos veículos.

Com base em todos esses dados, as planilhas de custos são submetidas ao Conselho Municipal de Transportes e Mobilidade Urbana (CMTMU), composto por 31 membros, sendo eles não somente oriundos de organismos do Poder Público Municipal, mas também de representantes dos próprios usuários e de outras instituições públicas e privadas. O reajuste definido neste ano, como de resto nos anos anteriores, foi aprovado por deliberação independente do Conselho, após levar em considerar a elevação de itens como o aumento do óleo diesel do ano anterior para o início deste, na ordem 23%, um índice maior que o representado pelo reajuste (8,96%).

Vale ressaltar que as próprias empresas que operam o sistema público de transporte em Natal criticaram a decisão do Conselho de Mobilidade Urbana, por considerar que ela não repunha os custos absorvidos pelo setor. Ao Poder Executivo Municipal, coube respeitar a decisão do Conselho, um padrão administrativo sempre adotado por todas as gestões na Prefeitura. O surgimento deste inquérito, quatro meses depois do reajuste ter sido oficializado e a esta altura dos acontecimentos, abre margem para interpretações de estar contaminado pelo processo eleitoral. A Prefeitura Municipal do Natal informa à população estar à disposição para prestar todos os esclarecimentos pertinentes à questão.

Prefeitura Municipal do Natal"

Com informações do portal de notícias G1.


(Foto: MPRN/Reprodução)
Mercado reduz estimativa de crescimento do PIB em 2018Para o PIB deste ano, a previsão do mercado financeiro recuou de 1,44% para 1,40%. Essa foi a terceira queda seguida do indicador.

Analistas do mercado financeiro reduziram a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018 e também passaram a estimar uma inflação mais baixa para este ano.

As expectativas constam no boletim de mercado, também conhecido como relatório “Focus”, divulgado nesta segunda-feira (10) pelo Banco Central. O relatório é resultado de levantamento feito na semana passada com mais de 100 instituições financeiras.

Para o PIB deste ano, a previsão do mercado financeiro recuou de 1,44% para 1,40%. Essa foi a terceira queda seguida do indicador.

O Produto Interno Bruto é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Para o ano que vem, a expectativa do mercado para expansão da economia continuou em 2,50%. Os economistas dos bancos também não alteraram a previsão de expansão da economia para 2020 e para 2021 – que continuou em 2,5% para esses anos.

Nesse mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o PIB brasileiro cresceu 0,2% no 2º trimestre de 2018, na comparação com os três meses anteriores.

O resultado foi sustentado pelo setor de serviços e pressionado por forte queda da indústria e dos investimentos, reforçando a leitura de perda de ritmo e recuperação ainda mais lenta da economia brasileira.

Inflação

Para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, os economistas do mercado financeiro reduziram a estimativa de 4,16% para 4,05% para este ano. Foi a segunda queda consecutiva do indicador.

Com isso, a expectativa do mercado segue abaixo da meta de inflação, que é de 4,5% neste ano, e dentro do intervalo de tolerância previsto pelo sistema. A meta terá sido cumprida se o IPCA, a inflação oficial do país, ficar entre 3% e 6% em 2018.

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

Para 2019, os economistas das instituições financeiras mantiveram sua estimativa de inflação em 4,11%. A meta central do próximo ano é de 4,25%, e o intervalo de tolerência do sistema de metas varia de 2,75% a 5,75%.


(Foto: O Globo)
Ciro diz que Bolsonaro representa 'risco muito grave'Candidato do PDT afirma que posicionamento do opositor é 'muito estimulante à violência'

Quatro dias após o atentado sofrido pelo candidato ao Planalto Jair Bolsonaro (PSL), o também presidenciável Ciro Gomes (PDT) disse nesta segunda-feira (10) que o opositor “representa um risco muito grave para a nação brasileira”.

Em evento de campanha em Mauá (SP), Ciro afirmou que o ataque a faca contra Bolsonaro foi um crime “absolutamente intolerável”, mas que é preciso identificar o que é “sentimento cristão de solidariedade” e o que é “decisão do futuro do país”.

“Ele representa um pensamento de uma revolta muito zangada, muito extremista, muito radical, e o Brasil, a maioria do nosso povo, quer uma solução equilibrada que encerre essa confrontação miúda que está empurrando o país para trás”, afirmou Ciro.

O candidato do PDT também disse que o posicionamento de Bolsonaro “é muito estimulante à violência”. “Não creio que seja a intenção dele, mas a natureza da atitude de fazer gesto de arma com a mão ainda dentro do hospital, de ensinar criança de 3, 4 anos a mostrar uma arma, de apologia ao armamento, de dizer que tem que fuzilar os adversários do partido A é um descuido de quem está nesse nível de projeção simbólica do conjunto da sociedade”, afirmou. “Você precisa tomar cuidado.’

Para ele, o impacto do atentado contra Bolsonaro não vai ter uma influência central “daqui a uma semana, duas semanas”. Segundo Ciro, o “povo brasileiro tem uma solidariedade humana muito instantânea” e, para uma “pequena fração, isso atingiu também a decisão de voto”.

“Mas daqui a pouco vai ficar muito claro que é só um momento emocional, compreensível, legítimo, coerente com a vida brasileira, e o debate vai voltar ao sei leito normal”, disse. 

Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto. Na pesquisa Ibope da última semana, Ciro aparece empatado com Marina Silva (Rede) no segundo lugar, à frente de Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad, candidato a vice do PT que deve ser confirmado o cabeça de chapa nesta semana.   


(Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
Frutas e pescados são 97% das exportações aéreas do RNSomente em 2017, entre exportações, importações e envio de carga para destinos nacionais, o terminal potiguar movimentou 12.413,098 toneladas em produtos.

Um total de 97% das exportações feitas pelo Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal, é de frutas e pescados.

Do RN, os produtos partem para a Europa em voos cargueiros da Lufthansa e nas viagens comerciais da TAP, destaca informação publicada pelo portal G1 RN.

Somente em 2017, entre exportações, importações e envio de carga para destinos nacionais, o terminal potiguar movimentou 12.413,098 toneladas em produtos.

O estado é o maior exportador nacional de peixes das espécies atum e meca.De acordo com a Inframérica, a administradora do terminal, os pescados são responsáveis por cerca de 29% das exportações.

O maior volume (68%), porém, corresponde às frutas in natura, como manga, mamão e abacaxi, que são enviadas semanalmente para o exterior. Os 3% restantes são de cargas como flores ornamentais e tecidos. Ao todo, foram exportadas 5.506,106 toneladas.


(Foto: Inframérica/Divulgação)
Filhos de Bolsonaro discutem com a PF reforço na segurançaJair Bolsonaro está internado no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, desde sexta-feira (7),

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), disse hoje (9) que ele e o irmão Flávio terão reunião com o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rogério Galloro, nesta segunda-feira (10). Eles falarão sobre um possível reforço de segurança para o pai e para a família do candidato.

Jair Bolsonaro está internado no Hospital Albert Einstein, na capital paulista, desde sexta-feira (7), quando foi transferido da Santa Casa de Juiz de Fora (MG). Ele sofreu um ataque à faca na quinta-feira (6) enquanto fazia uma atividade de campanha pelas ruas da cidade.

“Vamos bater papo lá [na Polícia Federal] para saber o que pode ser feito em relação à segurança. A gente sabe que ele [Jair] faz questão desse contato como povo e diante desse quadro é muito difícil fazer a segurança de uma autoridade, mas acredito que o nível de periculosidade que o Jair Bolsonaro se encontra é muito maior”, disse o deputado, em entrevista à imprensa. Ele esteve hoje no Hospital Albert Eistein. 

Sobre o estado de saúde do pai, Eduardo destacou que o quadro está evoluindo e que Jair Bolsonaro já começa a se movimentar mais pelo quarto com a ajuda de um andador. “Os médicos falam que a recuperação dele está sendo boa, mas ainda está numa UTI [unidade de terapia intensiva], está um pouco anêmico, está fraco, não está 100%, mas está melhorando bem”, disse à imprensa.

Ainda sobre as investigações, Eduardo disse considerar o ataque contra o pai como um “atentado político” e destacou o fato de que Adélio Bispo Pereira, agressor confesso do deputado, foi filiado ao PSOL. “Demonstra o viés marxista, esquerdista dele, sim. Isso é inegável. E tentou matar Jair Bolsonaro por acreditar que é uma pessoa que não pode chegar a Presidência da República”, declarou.

De acordo com informações do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Adélio foi filiado ao PSOL entre os anos de 2007 a 2014. Em nota, o presidente nacional da legenda, Juliano Medeiros, disse que o fato de o agressor ter sido filiado “não altera em nada o posicionamento do partido em relação ao inaceitável atentado sofrido por Jair Bolsonaro”.

O partido manifesta repúdio ao ataque sofrido pelo candidato à Presidência e defendeu que o responsável responda pelos atos de acordo com a lei.


(Foto: Istoé)
TSE proíbe propaganda de Lula na TV e eleva multaMinistro do TSE Luis Felipe Salomão fixou uma multa de R$ 800 mil em caso de descumprimento da determinação judicial

O ministro Luis Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), decidiu na última sexta-feira, 7, suspender a veiculação de uma inserção com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso e condenado no âmbito da Lava Jato. Salomão também fixou uma multa de R$ 800 mil em caso de descumprimento da determinação judicial.

O valor representa um aumento em relação a decisões judiciais anteriores, que previam multa de R$ 500 mil caso o PT descumprisse a determinação do TSE.

A decisão do ministro é uma resposta a uma representação proposta pela Coligação Brasil Acima de Tudo, Deus Acima de Todos (PSL/PRTB), do candidato Jair Bolsonaro, contra inserção de TV da Coligação o Povo Feliz de Novo (PT/PCdoB/PROS), que faz referência ao ex-presidente Lula e sua candidatura, o que seria, de acordo com a representação, "uma afronta à decisão proferida" pela justiça eleitoral, que indeferiu a candidatura do petista.

"Vislumbro, na hipótese, depois de assistir à propaganda eleitoral impugnada, que o programa lançado na modalidade inserções não parece deixar margem a dúvidas, no sentido de que estão sendo descumpridas as deliberações do Colegiado. É claro que as frases não podem ser pinçadas e analisadas isoladamente, mas sim dentro do contexto em que exibidas. Nesse passo, é forçoso reconhecer que o conteúdo divulgado faz referência expressa a Lula, utilizando, além de sua imagem, sua voz por meio da seguinte expressão: "Não adianta tentar evitar que eu ande por esse país" e, na sequência, eleitores dizendo: "Eu sou Lula", o que, no contexto da cena, induz que ele é postulante ao cargo de presidente, e leva a concluir pela inegável afronta ao que foi deliberado pela Corte, uma vez configurada campanha eleitoral de candidato reconhecidamente inelegível, com pedido de registro indeferido por este Tribunal", diz o ministro na decisão.

"Reitero que a Justiça Eleitoral foi criada e existe justamente para garantir segurança jurídica e transparência ao processo democrático, e, por isso, cumprindo seu papel, a partir do momento em que houve a deliberação quanto ao registro da candidatura, e definido que não haverá mais propaganda com o candidato a presidente Lula, tal decisão há de ser cumprida integralmente, sob pena de descrédito da determinação da Corte", completa o ministro. Com informações do Estadão Conteúdo.


(Foto: Folha de SP)
Renda de 35% dos brasileiros é insuficienteSegundo o estudo, outros 46% dos consumidores dizem que não falta

A renda de 35% dos brasileiros é insuficiente para pagar as contas em dia, mostrou nesta quinta-feira (6) um levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), antecipado pelo G1.

Segundo o estudo, outros 46% dos consumidores dizem que não falta, mas também não sobra dinheiro com a renda que possuem, enquanto 13% dizem estar com as contas no azul, sobrando dinheiro para consumir ou fazer investimentos.

Crédito negado

Neste cenário, cresceu o percentual dos brasileiros que tiveram crédito negado ao tentar fazer uma compra parcelada. O estudo do SPC mostra que 19% deles não conseguirem os recursos em julho, contra 17% no mês imediatamente anterior.

O principal motivo para a negativa foi a restrição do CPF pelo não pagamento de contas, seguido da falta de comprovação de renda ou renda insuficiente.

Para obter empréstimos e financiamentos, é ainda mais difícil. Metade dos consultados pelo levantamento do SPC disseram que têm dificuldades para conseguir este tipo de crédito. Entre aqueles que ganham até 5 salários mínimos, esse percentual sobe para 55%.

“Há um contingente grande de consumidores que já tiveram acesso ao crédito em um passado recente, mas que hoje enfrentam restrições por atrasos de pagamentos ou pela perda do emprego, explicou por nota o presidente da CNDL, José Cesar da Costa.

“Por mais que isso seja frustrante, a liberação sem critérios aumentaria o risco de inadimplência, de endividamento excessivo e exigiria juros elevados para cobrir esse risco”, afirmou.


(Foto: XP investimentos)
Natal sedia etapa dos Jogos Escolares da JuventudeEvento também conta com ações paralelas às competições junto ao IDEMA, onde será feito um trabalho de conscientização sobre o meio ambiente e com a Fundação José Augusto

Natal será sede da etapa regional dos Jogos Escolares da Juventude 2018, um dos principais eventos esportivos do Brasil, que será realizado de 12 a 16 de setembro. O RN vai receber a delegação de nove estados participantes do Nordeste: Alagoas, Paraíba, Sergipe, Ceará, Maranhão, Bahia, Piauí, Pernambuco e Piauí.

A competição tem início simultâneo no Colégio Marista, IFRN Central e Ginásio Jorge Tavares. Estudantes de 12 a 14 anos e 15 a 17 anos das escolas públicas e particulares vão participar nas modalidades de atletismo, badminton, ciclismo, ginástica rítmica, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, xadrez, basquete, futsal, handebol e vôlei indoor e de praia.

Em números, os jogos deverão reunir cerca de 1.200 pessoas entre atletas, coordenadores, professores e delegações. O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) está investindo R$ 9,5 milhões em diárias de hotel, refeições e transporte.

Segundo o Secretário Estadual de Esporte e Lazer, Fernando Villar, além de promover o esporte, o evento também vai movimentar a economia e o turismo da capital. “São mais de mil pessoas e dez hotéis envolvidos fomentando o turismo nessa época de baixa estação”, explica o secretário da SEEL.

O evento também conta com ações paralelas às competições junto ao IDEMA, onde será feito um trabalho de conscientização sobre o meio ambiente e com a Fundação José Augusto com atividades culturais. O objetivo é fortalecer os vínculos entre os participantes e aproximá-los dos valores olímpicos e dos exemplos positivos das práticas esportivas.

Além desta, o estado também é palco da etapa nacional, com a participação de 27 estados, realizado de 12 a 26 de novembro, com um público estimado de 8 mil pessoas. “É uma satisfação sediar um evento grandioso como esse, envolvendo todas as práticas esportivas”, concluiu o secretário.

A realização dos jogos é uma parceria entre o Governo do Estado com a rede hoteleira, escolas públicas e privadas.


(Foto: Di[ario do Nordeste)
SUS foi decisivo no atendimento à BolsonaroPago pelo sistema público brasileiro, cirurgião de veias e artérias de Juiz de Fora é tirado de almoço de família para achar e conter hemorragia no candidato

Antes do Einstein veio o SUS. Antes dos médicos de grife vieram os que recebem pela tabela do Sistema Único de Saúde. Foram eles que salvaram a vida de um Jair Bolsonaro esfaqueado e exangue. Esta é a história de um deles.

Por volta das 16 horas desta quinta-feira, o cirurgião vascular Paulo Gonçalves de Oliveira Junior participava de um almoço de família em Juiz de Fora quando seu celular tocou. Era um chamado da Santa Casa de Misericórdia da cidade para que fosse com urgência para o hospital: Bolsonaro havia sido esfaqueado e os médicos não conseguiam conter a hemorragia e nem identificar de onde vinha. O candidato a presidente pelo PSL chegara ao hospital com muita dor. Os médicos fizeram uma ultrassonografia e verificaram um hematoma na barriga, sem saber se era na parede na região epigástrica ou no fígado. Pelo quadro, resolveram iniciar imediatamente a cirurgia. Ao abrirem o abdômen, se depararam com um sangramento abundante e incontrolável. Chegaram a acreditar que o fígado havia sido atingido. Foi então que Oliveira Junior foi acionado, às pressas. O papel do cirurgião vascular seria tentar identificar onde era a hemorragia.

Quando o médico entrou na sala de cirurgia, encontrou um quadro dramático: Bolsonaro, por causa da perda de sangue, estava em choque. A pressão havia caído para 7 por 4, apesar de ter tomado um litro de soro. Com a lesão na veia do intestino, não havia nada que contivesse a hemorragia. Após exame em condições adversas, Oliveira Junior concluiu que a veia afetada fora a mesentérica, uma das mais importantes do intestino, além de um ramo dessa veia, chamada cólica média. Se a facada tivesse sido alguns centímetros acima, poderia ter atingido, segundo os médicos, a veia porta e, nesse caso, o risco de morte seria maior. Oliveira Junior imediatamente iniciou o processo de sutura das veias para conter o sangramento. O agravante é que havia uma grande lesão no cólon, o que poderia resultar em contaminação. A preocupação dos médicos era com o risco de infecção generalizada.

Os procedimentos de sutura deram resultado, e o quadro clínico do candidato se estabilizou. Na medicina o trabalho é sempre feito em equipe, e os outros cirurgiões, anestesistas e enfermeiros foram vitais. Mas, sem a intervenção do especialista em cirurgia de veias e artérias, provavelmente, a sucessão de eventos seria outra.

No começo da noite, Oliveira Junior mandou uma mensagem para um grupo de WhatsApp de cirurgiões vasculares amigos. Ali, ele agradece os cumprimentos dos colegas pelo trabalho e revela a tensão daquela cirurgia. “Meus amigos, muito obrigado pelos cumprimentos. Estou muito aliviado. Foi muito tenso. Quando cheguei, estava chocado, a lesão venosa estava destamponada, com muito sangue na cavidade tributária calibrosa da mesentérica superior. Talvez a cólica média junto a mesentérica superior. Lesão grande de cólon transverso com fezes livres na cavidade, quatro lesões de delgado, várias lesões linfáticas. Está estável e entubado no CTI da Santa Casa.”

Pelo procedimento, Oliveira Junior será remunerado pelo Sistema Único de Saúde em 367 reais e seis centavos, preço pago pelo sistema público por esse tipo de cirurgia – na tabela do SUS, aparece como “tratamento cirúrgico de lesões vasculares traumáticas do abdômen”. O hospital será remunerado em 1.090 reais e 80 centavos. 

Nesta sexta-feira pela manhã, o candidato foi transferido para o Albert Einstein, em São Paulo, hospital que rivaliza com o Sírio-Libanês a preferência dos políticos e de quem pode pagar pelos seus serviços. Bolsonaro passou a noite na Santa Casa de Juiz de Fora, monitorado pelos médicos que, até o início da noite, pela gravidade do quadro, entendiam que o candidato ainda corria risco de morte. Na madrugada, com a estabilização da pressão do paciente, foi dada autorização para a transferência para São Paulo.

Quando a cirurgia em Juiz de Fora terminou, os médicos que participaram do procedimento deram uma entrevista coletiva. Discreto, Oliveira Junior se manteve em silêncio e saiu antes do fim da coletiva. Para um amigo médico, ele explicou, no grupo de WhatsApp: “Infelizmente não tenho o dom da palavra e prefiro não comentar. Prova disso é que, na entrevista coletiva, entrei mudo e saí calado. Mas, o ocorrido foi o que postei no grupo do vascular.”

Oliveira Junior é descrito como bom profissional por colegas dos seminários médicos dos quais participa. Um deles disse que o cirurgião é uma pessoa “extremamente discreta”. No site Doctoralia, o médico é elogiado por dois pacientes pela pontualidade, atenção e instalações. Um dos comentários diz tratar-se de “um excelente médico! Muito competente. O melhor especialista em angiologia e cirurgia vascular e endovascular da região.” O site informa que o consultório fica no Centro de Juiz de Fora e que Oliveira Junior atende pacientes particulares (sem convênio) e Unimed. E sugere entrar em contato, para confirmar se atende o seu plano de saúde. Fonte: Revista Piauí. 


(Foto: R7)
Bolsonaro, após ser esfaqueado, diz 'somos mortais'Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o candidato ao Senado Magno Malta (PSL) fazendo uma oração pela recuperação de Bolsonaro

Após ter levado uma facada durante um ato de campanha nas ruas de Juiz de Fora (MG), na tarde dessa quinta-feira (6), Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência da República, falou pela primeira vez depois do ocorrido. Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o candidato ao Senado Magno Malta (PSL) fazendo uma oração pela recuperação de Bolsonaro.

"Estamos aqui agradecidos porque o Senhor poupou a vida dele. Vamos vê-lo de pé muito rapidamente. Os médicos vão se assustar com a intervenção do Senhor, que está acima do remédio e do médico. Declaramos essa vitória", proferiu Magno Malta, enquanto Bolsonaro, acamado, ouvia a oração.

Com dificuldades para falar, Bolsonaro agradeceu à equipe médica e a Deus por estar vivo. Ele também disse ter ficado preocupado com o atentado logo depois de ser esfaqueado. "Parecia apenas uma pancada na boca do estômago. Mas a dor era insuportável. Parecia que tinha algo mais grave acontecendo", relembrou.

Bolsonaro ainda lamentou não poder comparecer ao desfile de 7 de Setembro, nesta sexta-feira, que acotecerá na Avenida Presidente Vargas. "Estamos com o coração e mente lá", afirmou, acrescentando que todos têm uma missão na terra. "Essa missão será cumprida por mim e por você, Magno", concluiu Bolsonaro.


(Foto: Veja)